Resumo do surgimento da Língua Portuguesa


Falada por mais de 200 milhões de pessoas em praticamente todas as partes do mundo, já que está presente na África, América, Ásia e Europa, a língua portuguesa tem origem europeia e uma história extremamente interessante.

Considerada por muitos como um idioma difícil e com diversos detalhes únicos, a língua portuguesa disseminou-se principalmente devido à essa origem europeia fundamentalmente presente nas chamadas navegações portuguesas que aconteceram no período entre o século XV e XVI.

Desde então, muito tempo se passou, porém a história de nosso idioma continua sendo fascinante, por isso, retrataremos um pouco dela em nosso resumo sobre a origem da língua portuguesa.

Surgimento da Língua Portuguesa

O início

Fortemente influenciada pelo latim em sua origem, a língua portuguesa teve o seu desenvolvimento fundamentalmente na região oeste da chamada Península Ibérica, onde atualmente está situado o país de Portugal, berço dos nossos colonizadores.

Estima-se que desde o ano de 218 a.C, até o século IX, a língua principal desse lugar era o romance, que é considerados pelos estudiosos como uma variante entre o latim, com influências de outras línguas modernas, como português, castelhano e francês, entre outras.

Esse tipo de comunicação prevaleceu até 409 d.C até o ano de 711, quando a Península Ibérica começou a sofrer influências dos imigrantes germânicos cada vez mais presentes no local. Desde então, a língua falada começou a sofrer transformações naturais, que resultaram em variantes diferentes do idioma em esferas regionais. Algumas influências dessa mudança estão presentes em nosso vocabulário até hoje.

A partir de 711, houve uma tentativa de abolir o romance devido a um fato histórico que foi a chamada invasão moura, que instituiu o árabe como idioma oficial na Península Ibérica, decisão que não pôs realmente fim ao romance, uma vez que a população continuou a usá-lo. Mesmo assim, essa época de transformação também refletiu no português e nos trouxe contribuições utilizadas ao longo de todo esse tempo.

Porém, os estudiosos consideram o que o período entre o século IX ao XI é realmente o momento transitório, pois é quando surgem os documentos latino-portugueses. Mesmo assim, nesta época essa diferenciação chamada galego-português é utilizada apenas na região da Lusitânia, porém essa situação mudaria a partir do século XI, quando os cristãos recuperam alguns poderes perdidos para os árabes, que após a expulsão chegam ao sul da já citada em nosso resumo sobre a origem da língua portuguesa, Península Ibérica. Essa segregação gerou a origem de dialetos chamados de moçárabes, que são formados pela mistura entre o árabe e o latim.

Essa retomada resulta na consolidação efetiva do idioma galego-português, que antes era escrito e falado apenas na Lusitânia e é nesse idioma que os primeiros documentos e textos não ligados ao latim começam a ser produzidos. Além disso, surgem os famosos e tradicionais cancioneiros.

Depois dessa fase de ascensão do galego-português, inicia-se então um avanço das capitanias cristãs para o sul da Península Ibérica, onde mais uma vez se depara com a influência árabe, desta vez, por meio dos dialetos moçárabes, já citados anteriormente em nosso resumo sobre a origem da língua portuguesa. Esse novo encontro gera uma mistura ainda mais importante e que mais tarde, aliado a fatos históricos como a independência de Portugal, que aconteceu em 1185, resultará na separação efetiva do galego e do português.

E é entre os séculos XIV e XVI que começa a solidificação do que podemos chamar de império português, época em que a língua estava presente em locais como a Ásia, África e América, por exemplo.

Modernidade

O refinamento da língua vem ainda no século XVI, quando surgem as primeiras gramáticas, responsáveis por definir questões ligadas à morfologia e sintaxe. Também é nesta época que surge um clássico literário aclamado por todo o mundo: Os Lusíadas, escrito por Luís de Camões em 1572.

E essa obra que começam a surgir realmente as definições da língua portuguesa de forma mais parecida com o que falamos e escrevemos nos dias atuais. Desde então, as mudanças na língua portuguesa foram muito menores do que as citadas no parágrafo sobre o seu início no resumo sobre a origem da língua portuguesa.

Entre essas pequenas diferenciações podemos citar a influência castelhana entre os anos de 1580 a 1640, além da contribuição da língua francesa durante o século XVIII.

Questões como o progresso da tecnologia faz com que o português absorva palavras que originalmente são grecolatinas entre os séculos XIX e XX, além da adoção de termos em inglês, como ainda é muito observado em nossa atualidade, principalmente na hora de falar sobre termos especialmente técnicos e de tradução exata que pode soar estranho em nosso idioma.

Porém, tantas adequações resultaram na necessidade da criação de uma comissão, no ano de 1990, que tinha como principal objetivo o diminuir a absorção de novos termos daquele ano em diante. Entre suas ações estavam a uniformização do vocabulário, para que não houvesse lacunas que pudessem ser preenchidas por outras línguas, linguagens ou dialetos em geral.