Hidrólise Salina


Você já deve ter ouvido falar da palavra hidrólise, ela caracteriza toda e qualquer reação química na qual uma molécula é quebrada por uma outra molécula de água.

Essa quebra de molécula faz com que as alterações de íons nos átomos aconteçam com a doação ou o recebimento de elétrons que fazem com que esses átomos fiquem carregados de forma negativa ou positiva.

Essa alteração acontece porque são liberados os chamados cátions de hidrogênio H+ ou ânions de hidroxila OH-. Isso faz com que as moléculas possam assim se fragmentar e fazer as ligações que precisam quando quebradas com as moléculas de água.

Hidrólise

No entanto, a hidrólise só pode acontecer quando a temperatura e a pressão da reação é alta. Por isso é muito comum que para que aconteça a hidrólise em algumas reações sejam usados os chamados catalisadores de hidrólise, que nada mais são do que substâncias que aceleram o processo químico.

Hidrólise salina

Um desses processos de hidrólise é chamado de hidrólise salina. Ela acontece apenas quando se dissolve sal em água e com isso a quebra das moléculas pela água faz com que um ácido fraco ou uma base fraca seja formada.

Aqui abrimos uma exceção para dizer que as bases e ácidos são fracas porque quanto mais forte eles são, maior será a troca de íons, ou a doação e o recebimento dos elétrons e isso fará com que a reação seja irreversível.

Dito isso temos que dizer que na hidrólise salina a água sofre sempre uma autoionização que fará com que os íons de H+ e OH-possam ser gerados, e isso fará com que seja possível ter o equilíbrio iônico necessário nas reações químicas reversíveis.

Se tomarmos como exemplo o cloreto de amônio e usarmos a água para que ele sofra uma dissociação iônica para que, dessa maneira, sejam liberados tanto os íons de cloreto, quanto o de amônio. Nessa reação, o cátion amônio, ou NH4+ faz a reação com o ânion de hidroxila OH- da água, e assim eles formaram a base conhecida como hidróxido de amônio.

É importante saber que, mesmo formando uma base fraca, a reação entre o amônio e a hidroxila é de uma solução ácida, isso porque o pH < 7, e isso acontece porque os íons de H+ não são consumidos totalmente.

A hidrólise salina é um dos processos hidrólises mais importantes na química porque em meio aquoso é comum que os sais se dissociem, perdendo ou ganhando elétrons e formando assim soluções básicas e ácidas.

Vale lembrar ainda que nem sempre os íons das substâncias vão reagir e formar bases ou ácidos fracos, em alguns casos a reação de hidrólise é tão forte que são formadas bases e ácidos muito fortes e que não terão equilíbrio químico porque suas reações são apenas em um único sentido, ou seja, eles produzem apenas um tipo de composto.

Nesses casos a hidrólise salina não acontecesse, exatamente porque elas não respeitam a regra de formação de bases e ácidos apenas fracos, e por isso o pH da solução permanecerá sempre neutro, ou seja, igual a 7.

A hidrólise salina acontece porque a água se ioniza de forma espontânea com os cátions de hidrogênio e os ânions de hidróxido. É importante lembrar ainda que tanto os ácidos fortes, quanto os ácidos fracos sofrem hidrólise salina, mas os ácidos fortes possuem uma ionização alta e quase incontrolável, tornando a sua reação irreversível.

Para que a hidrólise salina fique mais clara, é preciso que se tenha noção básica de uma teoria conhecida como Teoria ácido-base de Bronsted Lowry. O nome composto porque a teoria faz homenagem a dois cientistas diferentes, Thomas Martin Lowry e Johannes Nicolaus Brönsted.

Teoria ácido base de Bronsted Lowry

Chamamos de ácido todo o composto químico que tem tendência a doar seus prótons H+, enquanto as bases são os compostos químicos que têm como tendência receber os prótons H+ . Esse átomo de hidrogênio presente na água consegue doar o único elétron que tem e faz com que seja possível que se tenha todo o processo de hidrólise salina.

Brosnted ainda afirmou que a água pode se comportar tanto como base ou como ácido e que isso dependerá do par com o qual ela faz a reação. Por exemplo, no caso de reação com o ácido acético, a água recebe o hidrogênio do ácido e atua como base, já que isso se torna necessário para que ocorra a reação.

Já se a água se relacionar com a amônio, a água doará o seu hidrogênio, que fará uma covalência dativa, fazendo assim com que à água se comporte como um ácido.

Esse fenômeno é conhecido como anfótero, que significa que o composto, no caso a água, pode se comportar tanto como base ou como ácido dependendo do outro reagente que está presente na solução.