Resumo da Arte Barroca


Em um contraste marcado pelo período de declínio da Igreja Católica, seus religiosos voltam com tudo influenciando não só o cenário socioeconômico e político de toda a Europa, como também as tendências artísticas. A arte barroca surge então em meio a um contraste: de um lado, temos o teocentrismo e a essência do espiritualismo presente na Idade Média. E do outro, a influência parte do antropocentrismo e racionalismo que marcaram o período renascentista.

Os primórdios da arte barroca

Sendo assim, a arte barroca surge no início do século XVIII, em território italiano. As igrejas católicas, após passarem por um período de crise, adotaram uma forma mais artística para as suas construções e a onda se estendeu por todo o continente europeu. A principal semelhança com o Renascentismo se dá pelo fato de que ambos tinham uma ideologia muito parecida, principalmente pelo destaque dado aos elementos mais antigos, como na arquitetura.

Arte Barroca

No século XVIII, todo o mundo (e não só a Europa) passava por uma série de mudanças impulsionadas pelas descobertas tanto em âmbito político como também social. O catolicismo, então, começou a perder alguns fãs e muitos deles começaram a seguir Martin Lutero e o Protestantismo por ele desenvolvido.

Características da arte barroca

As obras artísticas criadas durante o movimento barroco têm características bem marcantes e fortes, capazes inclusive de mexer com o próprio psicológico de nós humanos. Em pinturas e até mesmo as construções desse tipo de arte é notável a forma como se aproximam dos humanos, com todos os detalhes e diferenciais do nosso corpo e alma. É possível sentir as emoções que aquela obra (ou quem está dentro dela) tenta nos proporcionar, assim como a beleza, a força, a inveja, o medo.

Outra característica presente na arte barroca é a expressão do pessimismo que, inclusive, estabelece um conflito real e marcante entre o personagem, ou seja, o eu e o resto do mundo. Muitos dos autores se dividiam entre a fé imposta pelo catolicismo e a razão do renascimento. Sendo assim, a arte barroca conta com vários recursos para expressar o sofrimento causado pelas dúvidas nos seres humanos, como é o caso da dor e da pobreza, por exemplo.

Com uma linguagem extremamente rica, a arte barroca também valoriza o contraste encontrado entre dois opostos: de um lado, o céu. De outro, a terra. O que seria encontrado em um abismo entre a juventude e a velhice? E entre o pecado e o pedido de desculpas? Todas essas perguntas encontram suas respostas (ou novos enigmas) na arte barroca.

Além da arte e em construções, o barroco também se desenvolve de maneira expressiva na literatura e até mesmo na decoração, estando presente em objetos e móveis até os dias atuais como em camas, cômodas, espelhos e outros. O uso desses itens era comum principalmente em palácios reais.

Os fenômenos da arte barroca

Um grande fenômeno da arte barroca, como já visto anteriormente, é a junção proposta entre dois elementos que já na época entravam em desavenças, encontradas até os dias atuais: a ciência e a crença religiosa. É nessa linha tênue que separa as duas que podemos encontrar a arte barroca.

Porém, no barroco a ciência sempre se sobressaiu, devido às revoluções culturais, artísticas e sociais da época. Isso fez com que os indivíduos começassem a perceber que talvez existisse algo mais do que religião no mundo e algumas explicações da ciência estavam explícitas em obras literárias ou pinturas do período barroco.

Nas pinturas de arte barroca sempre foi comum um ponto de vista mais medieval, porém, sempre exalando os ideais do período renascentista. Sendo assim, as obras ganhavam um grande contraste proporcionado pela bela mistura entre sombras e luz. As divindades religiosas, por exemplo, ganhavam uma forma humana após misturar o homem com Deus. Os seres celestiais, por outro lado, ganhavam o corpo de mulheres e homens na pintura barroca.

A arte barroca no Brasil

Em território brasileiro, a arte barroca era fabricada por meio de madeira dourada ou policromada, além de pedra sabão e de barro cozido. Sua chegada foi durante o século XVIII, sendo ela trazida pelos colonos europeus (com destaque para os portugueses).

Por ser um país essencialmente católico, a arte barroca ganhou muito espaço tanto na decoração da casa dos senhores, engenhos e donos de propriedades mais ricos, como também na construção de igrejas e outros templos religiosos.

No Brasil, a arte barroca sempre contou com traços muito dramáticos e as construções com base nessa arte eram extremamente grandiosas.

O país teve muitos representantes na arte barroca, com destaque para o escultor e artista Antônio Francisco Lisboa, conhecido popularmente como Aleijadinho. Além disso, Manuel da Costa Ataíde foi o principal pintor da arte barroca em nosso território. O auge da arte ocorreu entre o século XVIII desde a sua chegada, até o século XIX.