Tinea Negra: Sinais e diagnóstico da doença


Tinea Negra

Locais com clima quente e úmido são ideiais para a proliferação de microrganismos, e grande partes deles podem ser cuasadores de doenças. É por este motivo que mesmo centros de pesquisas localizados em locais com clima totalmente diferente se interessam pelas doenças e infecções tropicais. Este é o caso tinea negra.
Apesar de não ser exclusiva de regiões tropicais, uma vez que ocorre por todo o mundo, a doença é mais comuns em países como o Brasil. Consiste em uma infecção causada por um fungo chamado de Phaeoannellomyces werneckii.

Sinais
O principal sinal da doença é o surgimento de manchas negras ou amarronzadas em formas de mácula ou nas sola dos pés ou na palma da mão, uma vez que consiste em um tipo de micose superficial de baixa incidência na população como um todo.
Isso significa que perceber a doença é mais fácil do que em outros casos, pois mesmo que seja assintomática – não apresenta nenhum sintomas, apenas o sinal da mancha – se manifesta em locais do corpo humano que costumam ficar expostos.
É mais comum se manifestar em pessoas do gênero feminino. No entanto, homens também estão sujeitos a apresentar a doença. Assim, em qualquer sinal de mancha, é necessário procurar um médico.

Diagnóstico
A tinea negra se manifesta de forma bastante características. No entanto, mesmo diante do claro sinal da doença é necessário fazer um exame mais detalhado para assegurar a precisão do diagnóstico e, consequentemente, seu tratamento.
Esse exame é realizado por meio da raspagem de tecido do local afetado, que é colocado em uma cultura e posteriormente analisado em microscópio, no qual é possível não só obter o diagnóstico, mas também uma visão mais detalhada sobre o fungo.
Confirmado o diagnóstico, a tinea negra é facilmente tratada por meio de medicamentos tópicos, sem necessidade de intervenções mais significativas.