Regras do Hipismo – Adestramento


Uma das mais concorridas e charmosas provas hípicas olímpicas é o Concurso de Adestramento. Prova clássica e extremamente técnica, preza pela perfeita harmonia entre cavalo e cavaleiro e pela demonstração de perícia do conjunto.

Adestramento – Breve Histórico

Essa modalidade hípica tem sua origem na Antiguidade, e já era praticada pelos árabes, persas, mongóis e egípcios. Um dos grandes legados foi deixado pelo general grego Xenofontes, que redigiu na época um tratado que é considerado o primeiro registro da prática do Adestramento. Já no período da Renascença, principalmente na Itália, foram criadas diversas academias de adestramento, capitaneadas por grandes mestres, que inspirados pela obra de Xenofontes, deram novas características à modalidade.

Hipismo

Nos séculos 18 e 19, o esporte ganha novos fundamentos, conceitos e principalmente a disciplina e a doutrina que fazem parte do adestramento até os dias de hoje. As maiores escolas surgidas neste período são as de Versalhes, de Viena e de Saumur. Somente em 1921, com a criação da Federação Equestre Internacional é que as regras e os métodos de julgamento atuais foram estabelecidos. A modalidade fez parte do programa olímpico pela primeira vez em 1912, mas o regulamento atual estreou apenas em Berlim, 1936. A partir dessa edição, os critérios de avaliação foram padronizados e os concursos acontecem entre conjuntos que representam países de todos os continentes, de acordo com o ranqueamento.

No Brasil, o desenvolvimento do Adestramento coincide com a chegada da Missão Militar Francesa, em 1922. Especialistas em equitação, os militares contratados estabeleceram a uniformização das regras para todas as atividades com cavalos, e dois anos depois foi instituída a primeira turma de instrutores, em um núcleo de Adestramento de Equitação.

Em 1941, foi fundada a Confederação Brasileira de Hipismo, consolidando e profissionalizando o esporte e incentivando o treinamento e a participação em eventos internacionais. Desde então, o hipismo, e particularmente o Adestramento, evoluiu e cresceu exponencialmente. Esse crescimento teve seu auge nos Jogos de 2008, com a primeira participação de uma equipe nacional na modalidade, depois de qualificação com medalha de bronze nos Jogos Pan-americanos de 2007.

Hipismo – Adestramento: Regras, Concursos e Categorias

O Adestramento, ou o “Dressage”, palavra de origem francesa que denomina a modalidade no resto do mundo, busca em primeira instância, o desenvolvimento completo do animal, de maneira a tornar o cavalo flexível, adestrado, obediente e, sobretudo, calmo e satisfeito em executar os exercícios. Em parceria com o cavaleiro, ou amazona – já que não há distinção de gêneros nessa modalidade – o animal é tido não como um instrumento, e sim como o sujeito ativo do Adestramento, a fim de que a apresentação do conjunto seja segura, confiante e esteticamente bem executada. O objetivo final é alcançar o mais próximo da perfeição dos movimentos.

Os concursos são realizados em área aberta ou ainda em pistas fechadas, e nesse caso, a regulamentação indica que o piso seja de areia e a metragem da pista de 20 X 60 m. O programa é obrigatório e prevê a execução de uma sequência pré-determinada, chamada de “reprise”. A sequência é composta pelas andaduras naturais do cavalo, ou seja, o passo, o trote e o galope. Os movimentos devem ser memorizados e harmônica e perfeitamente realizados. As notas são atribuídas por três ou cinco juízes, distribuídos pelo circuito, e levam em conta a exatidão e a correção minuciosa dos movimentos, que devem aparentemente, ser feitos sem esforço, de maneira imediata e intuitiva por parte do animal. Os critérios utilizados são a regularidade e franqueza das andaduras, pela facilidade na execução e pela leveza da movimentação do conjunto. As notas atribuídas variam de zero a dez, e somadas, determinam o percentual e consequentemente o conjunto vencedor do concurso.

Quanto às categorias, os Concursos de Adestramento no Brasil, seguem as regras internacionais e a seguinte ordem e classificação, de acordo com o grau de dificuldade e idade dos competidores: Séries: Elementar, Preliminar, Média 1, Média 2 e Forte 1, são disputadas pelas categorias Amador, Profissional e Sênior. Já a Série Especial é disputada pela Categoria Senior Top e a Forte 2, pela Categoria Sênior.

As demais categorias do Adestramento, são: Mini-Mirim, para crianças de 8 a 12 anos, Mirim, jovens de 12 a 14 anos, Junior, para jovens de 14 a 16 anos e Jovens Cavaleiros, que compreende os jovens de 16 a 21 anos. Estas categorias são exclusivas e concorrem separadamente das demais. Da mesma forma, algumas categorias são determinadas pelas características do cavalo, como Pôneis, Mini-Mirim, Mirim e Cavalos Jovens de 4, 5 ou 6 anos, e também ocorrem separadamente.

Os Concursos de Adestramento preparam para o Campeonato Brasileiro e para a Taça Brasil, organizados pela Confederação Brasileira de Hipismo. Federações estaduais também organizam provas a partir dessas regras. O ranqueamento é definido pelo Campeonato Brasileiro de Ranking, que baliza o Ranking Nacional e habilita para as competições internacionais.