Resumo sobre o CNPq


O CNPq, ou melhor, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico nada mais é do que uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Uma de suas principais tarefas é tornar o conhecimento científico universalizado, incentivando e aumentando cada vez mais a participação brasileira no âmbito da pesquisa científica e tecnológica.

Por isso o CNPq é hoje um dos órgãos nacionais de maior importância principalmente para as grandes universidades brasileiras, já que juntos ambos têm a responsabilidade da formação de indivíduos interessados na pesquisa científica, assim como pesquisadores e estudantes que verdadeiramente se interessem pela contribuição e pelos estudos na área científica.

CNPq

O órgão CNPq foi criado em 1951 e, posteriormente, implementado em toda a extensão do território brasileiro. Atualmente, ele mantém uma série de atividades fundamentais na conduta e prática de políticas envolvendo tecnologia, ciência e inovação como um todo.

A atuação do órgão visa contribuição tanto para desenvolvimento em âmbito nacional da pesquisa científica como também para o reconhecimento dos pesquisadores e instituições brasileiras que tem esse foco em toda a comunidade científica internacional.

Quais são as relações do CNPq com o pesquisador?

De uma forma geral o CNPq conta com uma série de iniciativas voltadas para o desenvolvimento científico – sejam dentro de universidades, centros de tecnologia e inovação e até mesmo em organizações empresariais.

Ao visitar o site da empresa (disponível em www.cnpq.br) você encontra uma guia para cada um de seus focos.

• Estudantes;

• Pesquisadores;

• Universidades;

• E, por fim, empresas.

Existem áreas priorizadas?

No que se refere ao conhecimento científico, o senso comum logo atribui a pesquisa científica à necessidade de ela ser da área de exatas ou ciências biológicas, priorizando estudantes ou profissionais das áreas de engenharia, biologia, agronomia, medicina, farmácia e outros.

Porém, a verdade é que o CNPq não é um centro voltado unicamente para esse tipo de pesquisa. Mas mesmo assim, a realidade é que tanto as áreas de biológicas quanto exatas, de uma forma geral, são aquelas que ganham maior destaque em âmbito internacional, motivo pelo qual as pesquisas podem ganhar maior profundidade do que quando em comparação com os estudos desenvolvidos para as áreas de humanas e sociais.

Mas é claro que se você for estudante ou profissional das ciências sociais ou humanas, como sociologia, marketing e comunicação, direito, filosofia, psicologia e outros, lembre-se que o CNPq também está de portas abertas para saber mais sobre os seus interesses de pesquisa, possibilitando, ainda, oportunidades de bolsas e programas para financiá-lo.

Sobre a plataforma Lattes

Certamente uma das iniciativas mais conhecidas do CNPq é o Currículo Lattes, que difere do currículo tradicional à medida de que é voltado para o desenvolvimento e pesquisa científica/tecnológica.

O primeiro passo para a iniciação científica – tanto para os estudantes como também para os profissionais que já atuam na área ou segmento de interesse para pesquisa – é o registro do seu currículo lattes. Há a necessidade de preenchê-lo para possivelmente participar de programas estudantis com bolsas, como é o caso, por exemplo, do Ciência sem Fronteiras.

O currículo só pode ser preenchido na própria plataforma Lattes, sendo ele voltado para todos os detalhes que envolvem a pesquisa científica daquele determinado indivíduo, como a iniciação no setor de pesquisas, intercâmbios estudantis voltados para estudos, artigos científicos, TCCs e demais trabalhos acadêmicos de grande porte.

Sobre as bolsas e auxílios do CNPq

Certamente um dos grandes atrativos do CNPq é o fato de que ele concede uma série de bolsas para o financiamento dos trabalhos de estudantes ou profissionais que se interessem pelo âmbito da pesquisa tecnológica e científica. Essa certamente é uma das maneiras mais eficazes de aumentar o número de pesquisadores em nosso país, além de incentivar cada vez mais a prática da pesquisa nas universidades e centros de pesquisa/tecnologia.

Essas bolsas e demais auxílios são possibilitados para institutos e centros de pesquisas em todo o Brasil, assim como laboratórios, universidades, centros de formação profissional e de tecnologia e assim por diante. Além disso, o CNPq também conta com tais benefícios no exterior, mesmo que seja dada prioridade aos pesquisadores brasileiros.

O investimento é voltado principalmente para a divulgação tecnológica e científica e o apoio financeiro visa à possibilidade de publicação de artigos, periódicos e editoração. A participação em eventos nacionais ou internacionais nas áreas de tecnologia e ciências também é um dos principais motivos pelos quais há esse incentivo por parte do CNPq.

As modalidades de bolsas são bem variadas e dependem principalmente do público alvo do CNPQ, que abrange os jovens do ensino médio e ensino superior – público ou privado – profissionais pós-graduados que tenham interesse na área científica, especialistas para trabalhar no P & D – Pesquisa e Desenvolvimento da empresa e assim por diante.

A grande maioria das bolsas do CNPq são implementadas pelo próprio instituto ou então por instituições de pesquisa e ensino parceiras, pelo qual a empresa dá uma quota de bolsas para benefício de pesquisadores e profissionais.