Sistema Internacional de Unidades Físicas


O SI – Sistema Internacional de Unidades, nada mais é do que um grupo de unidades, oficiais e métricas para cada uma das grandezas físicas.

E o que são essas grandezas? Na física, as grandezas são caracterizadas como tudo aquilo que pode ser medido, assim como é o caso do tempo, da velocidade, da força ou da massa, por exemplo.

E já que existem dezenas e dezenas de grandezas de caráter físicas, organizadas em um único sistema não é uma tarefa nada fácil. Por isso, algumas definições e padrões foram definidos para as grandezas que são consideradas essenciais. As grandezas fundamentais, por sua vez, são aquelas que irão definir as unidades para as grandezas que são consideradas “derivadas”.

Sistema Internacional de Unidades

Por conta disso, uma grandeza fundamental de extrema importância, como é o caso do comprimento (a partir da unidade ‘metro’, é possível definir uma série de outras unidades que são consideradas derivadas, como é o caso do ‘volume’ e da ‘água’, por exemplo).

No início dos anos 1960, diferentes sistemas de unidades para a medida eram criados em todos os cantos do mundo. Por isso, as unidades fundamentais eram diferenciadas e responsáveis pela fundação de unidades derivadas ainda mais diferentes.

Foi com essa criação acelerada e totalmente diferenciada de unidades fundamentais e derivadas que o próprio sistema de medidas começou a ficar defasado, já que essas unidades eram diferentes conforme as regiões do mapa.

E, para dar um fim nesses problemas e divergências que foi durante a Conferência Geral de Pesos e Medidas – CGPM, em sua 11ª edição, que o Sistema Internacional de Unidades foi criado, com o principal intuito de acabar com essa multiplicidade tão grande de unidades e padrões.

Após a sua criação da década de 60, ela ganhou também uma mudança especificadamente no ano de 1971, na 14ª conferência que, anteriormente, havia consolidado o sistema. O acordo consiste na utilização de uma única unidade para cada uma das grandezas, e é válido no mesmo até os dias de hoje.

Foi então nesse sistema que os símbolos, unidades básicas e suplementares, unidades derivadas e demais prefixos foram definidos. Sendo assim, para cada uma das grandezas (como temperatura, quantidade de matéria, tempo, intensidade luminosa, quantidade de matéria e outros) são estabelecidas unidades como é o caso de nome e símbolo.

Composta por 7 dessas unidades que são consideradas fundamentais, conheça um pouco sobre cada uma delas.

Unidade de tempo

Na tabela, o tempo pode ser expresso pelo símbolo s, ou seja, por meio de segundos. Mas é claro que no dia a dia utilizamos outras expressões para caracterizá-lo, como as horas, os minutos, as semanas, séculos, meses e assim por diante. Mas, nas equações de física, o tempo sempre deve ser transformado em segundos.

Unidade de comprimento

Já a unidade de comprimento é caracterizada pelo metro, que na tabela, é representado pela letra m.

No Sistema Internacional de Unidades o metro é o único, porém, o sistema inglês e criado para a Inglaterra a os Estados Unidos conta ainda com outras unidades para a medição de comprimento, como é o caso do pé, polegada, milha e jarda.

Unidade de massa

Já que no diz respeito à massa, a unidade oficial é caracterizada como o quilograma, que é representado sempre pelo símbolo kg.

Unidade de corrente elétrica

A unidade de medida da corrente, por sua vez, é o ampère, que é sempre representado pela letra A.

O nome dessa unidade nada mais é do que uma homenagem realizada ao físico André Marie Ampère, da França.

Unidade de quantidade de matéria

Já a unidade de quantidade de matéria é medida por meio do mol. O mol, então, é definido como uma quantidade de substâncias que contam com 6.02 x 10²³ diferentes entidades elementares.

Unidade de temperatura

A unidade que mede a temperatura é representada pela letra k, ou seja, pela unidade kelvin. Isso ocorre pelo fato de que o 0 do kelvin é sempre caracterizado como um zero absoluto, e a sua escala de medição é também considerada absoluta.

Unidade de intensidade luminosa

Já a unidade de intensidade luminosa é medida pela candela, sendo o seu símbolo o cd. A candela é caracterizada como a intensidade da luz em uma dada direção em que uma radiação é emitida.

As unidades derivadas

Por fim, temos também as unidades derivadas que são originadas por meio dos produtos estabelecidos das unidades fundamentais. Seus números não são limitados assim como acontece nas unidades derivadas.

Entre elas, podemos definir ainda alguns exemplos.

A grande física da velocidade, conta com o símbolo b e a sua unidade derivada é o metro por segundo.

Já a área é simbolizada pela letra A e a sua unidade derivada é o metro quadrado. O volume conta com símbolo v, e o metro cúbico é a sua unidade derivada.

Esperamos que a explicação tenha sido satisfatória para seus propósitos.