Termoperiodismo


Termoperiodismo é a palavra escolhida pela Biologia Botânica para definir a influência das temperaturas no processo de crescimento de vegetais e plantas. Falando de maneira mais específica, a influência que as temperaturas mais baixas exercem no cultivo destes. Existem diversas plantas e vegetais, por exemplo, que só crescem e florescem quando são submetidas às temperaturas mais frias. O processo de submeter esses corpos ao frio é chamado, por sua vez, de vernalização.

A importância do termoperiodismo para a botânica está no fato de o seu estudo analisar, também, a distribuição geográfica das plantas e vegetais. Descobrindo as características térmicas de determinado local, como um país, por exemplo, é possível saber quais tipos de corpos vegetais e plantas podem ser cultivados com êxito por lá. Há algumas plantas, como o centeio e o trigo, que só crescem quando têm acesso ao frio para se desenvolver.

Termoperiodismo

Assim sendo, o termoperiodismo é mais importante, ainda, para a área de climatologia agrícola, pois ter acesso a essas informações é uma forma que os agricultores têm de garantir que os seus cultivos estão recebendo o clima mais adequado para se desenvolver de forma saudável. Cada tipo de vegetal e planta necessita de determinadas características térmicas e cabe ao termoperiodismo verificar a influência que essas características exercem.

3 tipos de termoperiodismo

De acordo com a Biologia Botânica, existem três tipos de termoperiodismo que podemos verificar. São eles:

1) O anual, que permite classificar as plantas de acordo com a sua modalidade de crescimento;

2) O diário, que envolve as informações de nictotemperatura e fototemperatura e permite medir os índices bioclimáticos e agroclimáticos;

3) E o aperiódico, que permite a análise sobre as consequências agrometeorológicas, a defesa da vegetação e medir os índices agroclimáticos.

Cada tipo de termoperiodismo é equivalente aos períodos de termoperiodicidade anual, diária ou aperiódica. E, com essas informações, é possível classificar as plantas e vegetais de acordo com a sua modalidade de crescimento, planejar a defesa do cultivo, medir os índices sobre os climas do solo e da água e saber como eles vão influenciar no desenvolvimento das plantas, entre outros aspectos que compreendem esse estudo da ação bioclimática da temperaturas.

Como dito anteriormente neste artigo, existem plantas e vegetais que só conseguem desenvolver as suas sementes e flores após serem submetidas a invernos rigorosos. Utilizando novamente o exemplo do trigo e do centeio, para que possam ser cultivados em um país como, por exemplo, no Brasil, que é tropical e com temperaturas mais quentes, é necessário que sejam submetidos ao choque térmico (vernalização), tendo assim uma indução externa para a sua germinação saudável (vernalização artificial).

Portanto, o termoperiodismo está entre os fatores externos que influenciam no crescimento das plantas e vegetais. Para seu conhecimento, o assunto é mais focado nas temperaturas mais baixas devido ao fato de que a maioria das plantas precisam passar por períodos mais frios, já que esses períodos são justamente os fatores que despertam os seus botões de flores, para que, após esse processo, possam florescer.

Outros fatores externos que também influenciam no crescimento das plantas:

Fotoperiodismo – se refere à influência que a duração do dia exerce sobre o crescimento das plantas e vegetais. De acordo com as suas classificações, as plantas podem ser denominadas como: Plantas de Dias Longos (PDL), Plantas de Dias Curtos (PDC) ou Plantas indiferentes.

As Plantas de Dias Longos são, normalmente, as que florescem no término da primavera ou do verão, que é justamente quando os “dias são mais longos”. Esses dias são assim classificados porque a sua duração é maior que o período mínimo para que a planta possa crescer.

As Plantas de Dias Curtos são, normalmente, as que florescem no começo da primavera, que é quando “os dias são mais curtos”. Esses dias são assim classificados porque a sua duração não ultrapassa o período máximo para que as plantas possam desenvolver as suas flores.

Já as Plantas indiferentes recebem essa classificação porque conseguem florescer em qualquer época. Ou seja, elas são indiferentes à duração dos dias.

Estiolamento – se refere à influência da sombra, ou do escuro, no crescimento das plantas. Sabe-se que as plantas e vegetais crescem mais rápido no escuro, porém, nessas condições, eles não podem se alimentar ou não se alimentam da forma correta e isso faz com que as suas folhas fiquem pequenas e amareladas, no caso das plantas, enquanto os vegetais ficam com uma estrutura mais fraca. Isso ocorre pela queda de intensidade da fotossíntese.

Fotoblastismo – trata da forma como a luz influencia no desenvolvimento das sementes. As plantas podem ser fotoblásticas positivas, quando a germinação ocorre apenas com a luz, ou fotoblásticas negativas, quando só há germinação no escuro.

Características da temperatura – todas as plantas e vegetais possuem uma temperatura mínima que jamais pode ser menor, para que sobreviva; uma temperatura ótima, que é a ideal para o desenvolvimento; e uma temperatura máxima que indica o quanto ela aguenta para que não morra.