Variação de Espaço e Distância Percorrida na Física


Para se tornar um verdadeiro craque na física, é preciso entender que, em alguns casos, termos que parecem significar a mesma coisa têm aplicação diferente. E, nesse sentido, o estudo da cinemática talvez seja o campo que mais permite analisar estar diferença de maneira mais clara para conseguirmos compreendê-la totalmente.

Embora a distância percorrida e a variação de espaço possam ser calculadas utilizando os mesmos símbolos de equação, a verdade é que elas podem ter bastante diferença em sua aplicabilidade. Para entender de maneira simplificada as diferenças entre variação de espaço e distância percorrida, basta utilizar um carro qualquer como exemplo e o seu marcador de quilometragem.

Variação de Espaço

Quando uma pessoa compra um carro novo, sua quilometragem está no marco zero. Depois de algum tempo, suponhamos que esta pessoa andou 200 km. Isso significa que ela teve uma distância percorrida de 200 km. Mas, se durante todo este trajeto, ele apenas saiu da concessionária e foi da casa para o trabalho e do trabalho para a casa, isso significa que em toda a distância percorrida, sua variação de espaço não foi de exatamente 200 km de distância.

Se a pessoa utiliza o marcador de quilometragem que pode ser zerado no fim de cada passeio, vamos dizer que ele tenha uma distância de 25 km de sua casa ao seu trabalho. Isso significa que a variação de espaço que ele teve foi de 25 km, embora a sua distância percorrida tenha sido de 200 km.

Com este exemplo, é possível compreender mais claramente a diferença entre distância percorrida e variação de espaço. Mas ainda assim, podemos deixar mais clara esta diferença. Para isso, vamos separar os dois conteúdos.

Distância percorrida – tudo que um objeto faz entre idas e vindas

Agora que já percebemos que a distância percorrida sempre será a diferença entre o local inicial e o local final de um objeto, podemos entender que não necessariamente um objeto se movimento em linha reta para ter uma distância percorrida total no momento em que estiver parado.

Em um jogo de vôlei, por exemplo, uma bola pode sair de um marco zero, ir para o outro lado da quadra, voltar para o marco zero e ter a trajetória interrompida no meio do caminho. Isso significa que a distância percorrida deste caminho terá uma grande variação frente a sua distância percorrida.

Desta forma, para compreendermos a distância percorrida por um objeto, temos que analisar do seu ponto zero à sua distância final e, no caso de ele voltar a um ponto que seja intermediário entre este ponto inicial e o ponto final, acrescentarmos também. Com um exemplo, talvez a explicação fique mais clara:

Uma pessoa sai de sua casa e vai para o mercado. Ela percorre 12 km até este mercado, o que significa que sua distância percorrida foi de 12 km. Agora, na volta para casa, ela percorrerá mais 12 km, correto? E como 12 + 12 são 24, isso significa que, no total, a distância percorrida pela pessoa utilizada no exemplo foi de 24 km. A partir deste raciocínio, nem mesmo é necessário utilizar uma equação física para definir a distância percorrida, basta somar todas as distâncias e então teremos um resultado exato, que em algumas vezes pode ser muito maior do que a distância entre o ponto final e o ponto inicial.

A variação de espaço – do ponto de início ao ponto de retorno.

Já a variação do espaço pouco tem a ver com a distância percorrida, pois para obter esta informação, não importa o número de vezes que um objeto foi e voltou de um ponto A até um ponto B. Para calcular a variação do espaço, só precisamos saber onde é o ponto A e onde é um ponto B. Veja o exemplo abaixo:

Uma pessoa pega seu carro em uma rodovia no km 3 e vai até o km 13, o que significa que ele percorreu uma distância de 10 km. Mas depois, ele retorna por estes mesmos quilômetros, voltado ao km 5 e encerrando sua jornada. Isso significa que depois ele percorreu mais 8 km, ou seja, a distância total percorrida foi de 18 km.

Mas já na variação do espaço (que na física recebe o nome de delta S), podemos perceber que o espaço inicial (Chamado na física de S0) que era 3 e o espaço final (chamado de Sf) que era 5, não sofrem nenhuma influência do km 13 onde o veículo chegou. Desta forma, definimos a variação do espaço como sendo:

Delta S=Sf – S0

Ou seja, a variação do espaço é igual ao quilômetro final (5) menos o quilômetro inicial (3) o que nos leva a perceber que a resposta para a variação do espaço do exemplo utilizado é 2 km. Analisando desta forma, percebemos que mesmo a variação do espaço não é algo tão difícil de se calcular.