Como se formam as montanhas?


A natureza é cheia de mistérios e beleza. Aliás, boa parte de toda essa beleza vem do fato de não sabermos como cada item surge, como ele se transforma, como acontece cada fenômeno natural.

As montanhas são um dos itens mais apreciados por viajantes e amantes da natureza e conseguem mostram de forma ampla, como a beleza pode acontecer sem nenhuma interferência. Mas você sabe o que são montanhas e como elas surgem?

montanhas?

O que são as montanhas?

Se fôssemos classificar esse fenômeno da natureza, deveríamos descrevê-las como um acidente de relevo, mas eles precisam apresentar dois picos bem elevados e também alguns vales profundos, independente de sua altitudes, que precisam apenas ser maiores do que as das regiões que estão em sua volta. Quando as montanhas ficam aliadas costumamos chamá-las de serra e se sua extensão for grande e seus picos muito altos, elas recebem o nome de cordilheira.

No Brasil, o geógrafo Jurandyr Ross propôs, no ano de 1985, que no país haviam apenas três tipos de relevo: as Planícies, os Planaltos e as Depressões. Desses grupos surgem novas formas de relevo, por exemplo, o planalto brasileiro dá origem às montanhas brasileiras.

No entanto, outros geógrafos defendem o fato de que o Brasil não possui montanhas, já que elas são, na verdade, dobramentos modernos, inexistentes no país. Em contrapartida o Conselho Nacional do Meio Ambiente admite, por meio de sua legislação, que existem montanhas localizadas dentro de território tupiniquim.

A Serra do Espinhaço, localizada entre Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo, é classificada como uma das maiores montanhas do mundo.

Mas, afinal, como nascem as montanhas?

Fascinantes e muito apreciadas, as montanhas têm como principal característica suas altitudes elevadas, se comparadas com a região que as circundam. A altura é tanta que, em alguns lugares, a variação de temperatura é grande, sendo possível encontrar neve no cume da montanha, enquanto sua base é repleta de flores e um clima quente.

Por serem consideradas pelos geólogos (sua maioria) como uma formação relativamente nova e que, por isso, não recebeu muita ação natural, como água e vento, elas podem ser classificadas por suas divergentes origens: as vulcânicas, falhamentos, erosão e dobradas.

Montanhas Vulcânicas: como o próprio nome sugere, elas surgiram de erupções vulcânicas e, na maioria das vezes, são formadas por vulcões adormecidos ou extintos. Isso faz com que a maior parte desse tipo de montanha apresente em seu solo as chamadas rochas magmáticas extrusivas.

Acontece da seguinte maneira: um vulcão extinto ou adormecido entra em erupção e o derramamento de sua lava faz com que seu tamanho aumente, isso porque, ao endurecer, a lava fica sólida e, muitas vezes, cobre o vulcão que a expeliu de forma completa, cobrindo seu cume e fazendo maior. Assim nascem as montanhas vulcânicas.

Montanhas de erosão: esse tipo de montanha pode surgir de duas formas diferentes, mas ambas acontecem por conta do desgaste de rochas que compõe seu relevo. No primeiro caso, a erosão do solo faz com que a área “afunde” (ou rebaixe), o que faz com que a parte que não foi desgastada se torne uma montanha, já que sua amplitude em relação as outras áreas é maior.

Já no segundo caso, o aparecimento das montanhas acontece devido ao acúmulo sedimentar que acontece por conta de outras áreas que sofreram erosão, que acaba formando morros e depois montanhas. As rochas são, em sua maioria, sedimentares e essas montanhas demoram alguns anos para se formarem.

Montanhas falhamentos: assim como o próprio nome já sugere, esse tipo de montanha nasce graças a uma falha geológica, que acaba por transformar um terreno, que antes era plano, em uma área escarpada e com contornos montanhosos que também só são adquiridos com o passar do tempo.

Montanhas dobradas: esse é o tipo mais comum de montanha e, por isso, a maioria dos geólogos classifica as montanhas apenas como dobramentos novos. Elas são as mais altas de todos os grupos, já que sofreram pouca influência dos agentes externos, como já citamos acima.

Esse tipo de montanha nasce de um fenômeno já muito conhecido da geologia, o movimento das placas tectônicas. Quando suas placas tectônicas se chocam elas podem empurrar o solo para cima, dessa maneira o solo sobe e ganha uma elevada altitude, formando assim a maioria das montanhas mais altas de todo o mundo.

Entre as montanhas mais altas do mundo está o conhecido Everest, que conta com mais de 8.850 metros e dica situado no Nepal. Aliás, essa é a região com a maior concentração de montanhas:

– Kanchenjunga (8.598 metros)
– Lhotse (8.501m)
– Makalu (8.463m)
– Lhotse Shar (8.383m)
– Cho Oyu (8.201m), Dhaulagri (8.167m)
– Manslu (8.156m)
– Annapurna (8.091m)

Ou seja, nove das dez maiores montanhas do mundo estão situadas no Nepal. A única que está em outra região é a k-2, segunda maior do mundo com 8.611 metros e que está localizada no Paquistão.