Europa Regional


Por mais que o continente europeu seja um dos menores em proporção, ele não pode de maneira alguma ser considerado homogêneo. Suas características apresentam uma série de disparidades, encontradas na política e em demais aspectos socioeconômicos, em paisagens naturais, cultura, clima e muito mais.

Para ‘regionalizar’ o continente, muitas são as maneiras adotadas, começando pela divisão clássica entre Europa Oriental e Europa Ocidental. Além disso, há também uma classificação mais aprofundada e que veremos adiante.

Muitos são os especialistas que se aprofundam no estudo da Europa Regional e suas características, por meio de análises culturais, econômicas e também espaciais. A classificação do continente, de uma forma geral, pode ser realizada em quatro diferentes áreas: a Europa Ocidental, Europa Meridional, Europa Setentrional e Europa Centro-Oriental.

Europa

Processo de regionalização e relação com a política

A regionalização foi capaz de criar uma grande fronteira no continente europeu, principalmente depois do final da Segunda Guerra Mundial. Isso porque criou-se uma verdadeira barreira na ideologia dos povos. Foram separados dois grandes grupos de países: um deles, associado aos ideais capitalistas dos Estados Unidos, e outro, de países que apoiavam a União Soviética e os ideais de um governo socialista. Esses grandes grupos são, respectivamente, a Europa Ocidental e a Oriental.

Quando a URSS declinou, assim como os ideais socialistas, muitas foram as repúblicas autônomas que se desenvolveram na Europa. Mesmo assim, essa “independência” não foi assim tão eficaz economicamente falando, já que esse modelo de economia/produção não conseguia acompanhar as outras bases econômicas.

Porém, o processo de regionalização da Europa é ainda maior do que podemos imaginar, já que ele tem se intensificado de maneiras cada vez mais gradativas por conta das diferenças tanto físicas, como também socioeconômicas tão marcadas nesse território.

Por isso, a Europa foi então dividida em seis diferentes regiões: Europa Nórdica, Península Ibérica, Europa Central, Leste Europeu, Países Bálticos e Península dos Bálcãs. Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre cada uma dessas regiões.

Europa Nórdica

A Europa Nórdica está localizada na região norte e mais extrema de toda a Europa, sendo essa parte do continente conhecida pela melhor condição socioeconômica: a economia é estável e o padrão de vida da população é altíssimo. Entre os países que integram a Europa Nórdica estão: Finlândia, Dinamarca, Islândia, Suécia e Noruega.

Para ter uma ideia, a renda per capita da região varia entre 19 a até 28 mil dólares, sendo tais nações avançadas “anos-luz” a frente do resto da nossa realidade mundial. O país com o melhor nível de vida de todo o mundo está localizado nessa região europeia: a Noruega.

Europa Central

A Europa Central é conhecida por agrupar os mais ricos e também influentes países de todo o continente europeu, sendo o verdadeiro ‘coração’ da Europa. A área é constituída por doze diferentes países, sendo eles: Alemanha, Bélgica, Holanda, Áustria, França, Reino Unido, Irlanda, Luxemburgo, Liechtenstein, Itália, Suíça e San Marino.

Sendo assim, é evidente que esse grupo é formado por grandes potências do continente e também pelas grandes cabeças da União Europeia.

Península Ibérica

Já essa parte da Europa é formada por apenas três países: Espanha, Andorra e Portugal. Essas nações fazem parte da União Europeia desde o seu surgimento e são conhecidos em toda a Europa como grandes produtores agrícolas, já que o clima é favorável (mais quente) e as terras estão localizadas nas mais baixas altitudes do continente. Além disso, a região também é extremamente turística e os visitantes devem dividir o tempo na região entre as áreas de montanhas, outras ricas em civilizações históricas e até mesmo com as belíssimas praias do mar mediterrâneo.

Península dos Bálcãs

Essa certamente é a região da Europa que concentra o maior número de problemas socioeconômicos, sendo ela formada pelos países: Bulgária, Bósnia, Albânia, Eslovênia, Croácia, Grécia, Macedônia, Iugoslávia e a parte europeia da Turquia.

Leste Europeu

O Leste Europeu também não está em boas condições: muitos países foram compostos pelo final da Guerra Fria e grande parte das nações integrantes eram parte do bloco socialista e adeptos aos ideais da URSS. Por isso, essa região da Europa ainda sofre com algumas crises econômicas, já que tardaram muito para entrar no sistema capitalista.

Os países integrantes do Leste Europeu são: Armênia, Eslováquia, Belrus, Azerbaidjão, Hungria, Geórgia, Moldávia, República Tcheca, Polônia, Rússia, Ucrânia e Romênia.

Países Bálticos

Por fim, a regionalização da Europa chega ao fim com os países bálticos, sendo este o menor espaço territorial da Europa após essa divisão.

Essa parte da Europa é formada por apenas três países, sendo eles oriundos do extinto “mundo socialista”. São eles: Estônia, Lituânia e Letônia. Essas nações só conseguiram a independência com o fim da URSS e, por conta disso, ainda são extremamente atrasadas com as adequações da economia do mundo capitalista.

Esses três países são extremamente ligados uns aos outros, tanto no que diz respeito à economia, cultura, sociedade e outros.