Resumo das Ilhas de Calor


As ilhas de calor nada mais são do que fenômenos de caráter climáticos que acontecem por conta de altas temperaturas em uma determinada região urbana, ao comparar a mesma com uma área de zona rural, por exemplo. Para entender isso, basta chegarmos a simples conclusão de que as grandes cidades são aquelas que contam com temperatura superior quando comparadas com regiões de áreas periféricas, e por isso, caracterizam-se de forma literal como ilhas climáticas.

Sendo assim, devemos destacar que esse tipo de fenômeno é constante principalmente em cidades que contam com um grau alto de organização, já que nesse caso, a temperatura média da região costuma ultrapassar a de outras cidades mais próximas, criando no ambiente uma verdadeira ilha de calor.

Ilhas de Calor

Para entendermos melhor, vamos para um exemplo prático. A temperatura média encontrada no centro de uma capital, por exemplo, e da zona rural aos arredores dessa cidade varia entre 4 a até 6 graus, e em alguns casos, essa oscilação pode chegar a uma média de até 11ºC.

Sendo assim, essa oscilação de temperatura pode provocar uma série de inconvenientes e demais problemáticas para a própria população, já que o calor em excesso pode causar uma série de incômodos para o indivíduo.

Além disso, é claro que esse aumento de calor também pode acabar prejudicando o próprio bolso do cidadão, já que há um aumento bem significativo no próprio consumo de energia, para que ocorra o funcionamento de ar condicionado e demais refrigeradores em comércios, escolas, universidades, residências, indústrias e muitos outros ambientes.

Características das ilhas de calor

As ilhas de calor são facilmente notadas tanto durante os períodos diurnos como também durante as noites, mas a diferença que é realmente notável é aquela encontrada entre uma área urbana e outra rural durante o momento de anoitecer. Esse ápice é sentido com maior facilidade pelo fato de que a área rural fica mais fria rapidamente ao anoitece: as calçadas, os muros, asfalto e demais formas de edificação recebem a luz do sol por muito mais tempo, e a essa retenção faz com que ocorra a diferença de calor entre a área urbana e rural em questão.

Já nas áreas florestais e rurais a cobertura vegetal é que faz com que tanto os processos de evaporação quanto de evapotranspiração sejam capazes de amenizar as temperaturas sentidas. Isso no caso não é o mesmo que ocorre nas grandes cidades, que por sua vez, não contam com essa cobertura vegetal e estão impermeabilizadas.

No que diz respeito a esse fenômeno climático devemos destacar que a ação do homem é capaz unicamente de interferir ou de agravar uma situação já pré-existente de qualquer maneira, sendo essas ilhas de calor totalmente antrópicas.

As ilhas de calor são criadas a partir do momento em que se remove toda a cobertura vegetal de um determinado ambiente, construindo no local da mesma grandes aglomerados. Esses aglomerados essencialmente urbanos, como é o caso dos arranha-céus por exemplo, acabam atuando como refletores da radiação e luz do sol. Isso impede que ocorra a circulação de ar dentro da cidade, e consequentemente, o calor sentido na região é aumentado.

Sendo assim, as ilhas de calor são favorecidas por conta da construção de prédios, zona asfálticas e trânsito em excesso. Além disso, a falta de árvores é também algo que impulsiona o desenvolvimento dessas ilhas de calor. A sensação de calor, por sua vez, é desconfortável não só para os seres humanos como também para outras espécies, no caso, os animais e plantas.

As principais causas

Entre as principais causas que favorecem as altas temperaturas em ilhas de calor o destaque vai para a falta de vegetação, com pouca presença de verde (marcada por plantas e árvores de uma forma geral), assim como pelos altíssimos índices de poluição do ar, ocasionadas pelo trânsito e pela própria poluição provocada pelas fábricas por exemplo.

Devemos destacar que a presença e a própria formação de mais e mais ilhas de calor nos arredores do mundo são extremamente negativas para o nosso meio ambiente, já que isso intensifica de uma forma bem agravante o próprio aquecimento global.

Para evitar a formação dessas ilhas de calor algumas dicas podem ser seguidas, como é o caso por exemplo da plantação de árvores, assim como parques com grande presença de área verde em grandes cidades. A preservação das áreas verdes é também essencial para manter a temperatura mais estável.

Além disso, controlar os gases poluentes como é o caso daqueles emitidos por fábricas e indústrias é também fundamental para evitar esse fenômeno.

Entre as cidades que atualmente são consideradas ilhas de calor podemos dar alguns exemplos: no Brasil, o destaque vai para Rio de Janeiro e São Paulo. No resto do mundo, Nova Iorque, Cidade do México, Nova Deli e Pequim também são alguns exemplos de ilhas de calor.