A literatura de Pedro Abelardo e São Tomás de Aquino


Pedro Abelardo e São Tomás de Aquino

A literatura de Pedro Abelardo e São Tomás de Aquino

A Idade Média é um período da história da sociedade humana percebido como uma era de trevas, de repressão ao pensamento crítico e criativo, da perseguição implacável aos inimigos e críticos da Igreja Católica.

Embora tudo isso seja verdade, de acordo com os estudos históricos, é possível identificar traços distintos dessa realidade desconfortável. A verdade é que mesmo a temporalidade histórica não é a mesma em todo o continente europeu.

Da mesma forma, é possível identificar contribuições valiosas para o pensamento, como acontece com a obra de Pedro Abelardo e São Tomás de Aquino, discípulos da à escola Escolástica, uma corrente de pensamento que se desenvolveu nas universidades de Colônia, atualmente na Alemanha, e Oxford, na Inglaterra.

Essa escola de pensamento buscou traços de aproximação entre a fé cristão e o pensamento aristotélico. A metodologia de ensino era tratar cada tema a partir de uma abordagem dual, em que cada estudante defendia um ponto de vista, com mediação dos mestres.

Ao contrário do que se possa imaginar, havia um empenho daqueles pensadores de explicar a religião pela razão.
Literatura de São Tomás de Aquino

São Tomás foi um filósofo, cuja principal obra foi “Suma Teológica”. Essa obra, que teve como insumo o pensamento de Aristóteles, influenciou o pensamento cristão na Alta Idade Média.

São Tomás, que também escreveu sobe a economia e a política da Idade Média, defendeu o poder da igreja como direito natural, mesmo pregando que a fé deveria ser acompanhada do domínio da razão absoluta.

Literatura de Pedro Abelardo

Além de escritor, Pedro Abelardo foi um concorrido palestrante de seu tempo, tendo lecionado na Universidade de Paris.

Sua principal obra foi “Sim e Não”, na tradução para o português de “Sic Et Naun”, cujo desenvolvimento é bastante curioso. Propunha temas religiosos, que eram abordados à luz da filosofia e da teologia, opondo argumentos favoráveis e contrários a cada questão apresentada. Na verdade, uma boa ilustração do pensamento escolástico e uma referência histórica importante.

Além disso, escreveu “Conhece-te a ti mesmo”, um tratado de filosofia e moral, que tenta expor a natureza do pecado. Segundo Abelardo, o pecado não está no ato, mas na simples intenção de cometê-lo.