Resumo do Livro O Guarani


Resumo, análise, e contexto do livro O Guarani, de José de Alencar

A princípio, a obra O Guarani foi feita em forma de folhetim, sendo distribuídos entre o mês de fevereiro e o mês de abril de 1857, Correio Mercantil – fim do ano publicado como livro. Esta obra encontra-se em domínio público.

A história se passa em uma fazenda no interior do Rio de Janeiro, no século XVII. Se resume basicamente na devoção e lealdade de Peri, um índio Goitacá, à sua amada Cecília de Mariz. Peri mora em uma cabana na fazenda, pois salvou Ceci (como Peri gosta de chama-la), de ser atingida por uma pedra. A partir deste momento, o índio passa a se dedicar somente às vontades e desejos de Cecília.

Livro O Guarani

Na trama há também o amor da mestiça Isabel por Álvaro, e amor de Álvaro por Cecília. A morte acidental da índia que pertence a tribo aimoré, causada por D. Diogo, gera revolta dos índios aimorés, e daí se inicia uma batalha. A família da índia quer matar Ceci, então começa uma rebelião dos lutadores que estão ao lado de D. Antônio de Mariz, liderados pelo ex-frei Loredano, um personagem ambicioso e de mau caráter, que pretende saquear a casa e sequestrar Cecília.

Análise em resumo do livro O Guarani, de José de Alencar

Álvaro, que já tinha conhecimento sobre o amor de Isabel, e também a amava, se fere nesta guerra contra os aimorés. Ela vê o corpo de Álvaro e tenta se matar asfixiada próxima ao corpo, mas ao notar que ele está vivo, tenta salvá-lo, mas ele impede que ela se mate.

Durante a batalha, D. Antônio, ao notar que não resistiria à vida, passa o dever de cuidado a Peri a salvar Cecília e cuidar da filha. Os dois vão embora, Ceci vai inconsciente e Peri vê a casa explodindo, de longe. A única pessoa que resta na vida de Ceci agora é Peri. Rumam para um destino desconhecido durante dias, e eis que surge uma forte tempestade, que os pega de surpresa e acaba transformando-se em dilúvio.

Ambos ficam no topo de uma palmeira, Ceci esperando a sua morte e do seu companheiro chegar. Peri resolve contar uma lenda indígena para Ceci, que conta a história de Tamandaré e sua esposa, que conseguiram se salvar de um dilúvio, refugiando-se no topo da palmeira sem conexão com a terra, e alimentando-se somente de frutos. Ao término da enchente, Tamandaré e a esposa descem e ocupam a Terra.

Neste resumo do livro O Guarani, é importante ressaltar que os personagens possuem papéis e linhas pré determinadas, ou seja, com traços marcantes e simbólicos, como o herói, a heroína, os vilões, numa história de pessoas planas e previsíveis. Os heróis são Peri e Cecília, D. Antônio de Mariz é pai de Ceci e também fidalgo português; D. Lauriana é uma dama paulista, mãe de Ceci; Isabel é a filha ilegítima de D. Antônio, que assume papel na trama como sua sobrinha; D. Álvaro de Sá é o líder dos aventureiros a serviço de D. Antônio. Os vilões são Loredano, um indivíduo aventureiro e também um fraude renegado, Rui Soeiro e Martim Vaz, comparsas de Loredano.

Com relação ao contexto de O Guarani, o autor José de Alencar estabeleceu um projeto cultural ao longo de toda a sua carreira literária. O tema fundamental de todos é o Brasil. Ele escreveu obras regionalistas, históricas, urbanas e indianistas. O escritor submetia as peculiaridades nacionais, ou seja, os costumes, a uma forma inspirada no modelo romântico, considerado por ele necessário em um esforço para colocar a cultura brasileira no patamar da europeia.

O livro O Guarani é importante pois é uma expressão do nacionalismo romântico, consolidando personagens típicos do país, e reforçando a figura do herói, com qualidades de um cavalheiro medieval. Vale ressaltar nesta análise e resumo do livro O Guarani, que esta obra indianista faz parte do romantismo literário brasileiro.

A trama possui duas linhas visíveis na construção do livro, a dimensão épica das aventuras na construção da nacionalidade, e a dimensão lírica das relações amorosas, no jogo sentimental entre Peri e Ceci, Álvaro e Isabel. A característica mais marcante é a previsibilidade de o leitor saber que neste jogo, no final, o amor vencerá, e que esta vitória representa o êxito do bem na disputa contra o mal.

Outra característica rica e clara dentro da obra é o Maniqueísmo, principalmente marcante nos personagens Peri, típico cavalheiro, sempre muito elogiado por D Antônio, que o coloca em um patamar superior à do índio amigo), e Loredano, um típico vilão, que não demonstra nenhum apego a terra, e nem pelos valores da fidalguia, é exatamente o extremo do bonzinho Peri, com características que reforçam o dualismo e esta relação muito bem estabelecida e dividida entre o bem e mal.

Sobre estilo narrativo, José de Alencar utiliza recursos românticos – o famoso folhetim, marcante na época do Romantismo, descrições e definições exuberantes, diálogos dramáticos, narração que resgata fatos da vida passada dos personagens, entre muitos outros. A exploração da comparação e metáfora, também discorre durante todo o livro, e construção de uma alegoria da raça brasileira, o maior propósito da obra. Surge a formação da raça brasileira, então, a partir da união de duas raças distintas: a raça branca com a indígena, no contexto do livro, o amor entre os personagens Ceci e Peri.