Trovadorismo: Características


Trovadorismo

O trovadorismo é um movimento estético que pautou a literatura de parte da Idade Média nos principais países do continente europeu.

Surgiu no século XI no Sul da França, na região da Provença, de onde se propagou para o velho continente, chegando a diversas regiões. Perdeu força no século XIV e deu lugar a outros movimentos mais alinhados com as mudanças que ocorriam na Europa, particularmente o mergulho proporcionado pelo Renascimento no arcabouço cultural das civilizações da Antiguidade, particularmente na cultura greco-romana.

Contexto Histórico

O contexto histórico em que floresceu o trovadorismo foi a Idade Média, um período marcado pelo apogeu do poder político e militar da Igreja Católica.

A sociedade daquele período era teocêntrica, estando a figura divina no centro de toda existência humana, condicionando o modo de vida, as crenças, os costumes, o pensamento e a lei.

Do ponto de vista da estrutura política e social, a Igreja exercia grande poder, que esteve disseminado por todo o território europeu. Foi o período em que predominou a economia feudal.

O proprietário de grandes quinhões de terra, o senhor feudal, dispunha de prestígio e poder, enquanto a maioria camponesa vivia em condições miseráveis, subjugada pelo pode da Igreja Católica e dos senhores feudais.

Características do trovadorismo

Foi nesse contexto que se desenvolveu o trovadorismo, um movimento dotado de figuras bem características.

A poesia era a manifestação literária utilizada pelos trovadores. Os poemas se transformavam em cantigas, entoadas pelos jograis, que eram cantores. O criador dos poemas era o trovador.

Os poemas eram recitados ou cantados, acompanhados por instrumentos musicais, sendo os mais populares à época a lira, a flauta, a viola e a harpa.

Esse foi o primeiro movimento literário a surgir em Portugal, tendo duas vertentes opostas: líricas e satíricas.

Os poemas e cantigas do movimento lírico eram basicamente tratados de amor e amizade, sendo que o amor estava bastante associado ao sofrimento.

Por outro lado, o trovadorismo satírico era marcado pelo sarcasmo e pela sátira. Apesar da rigidez da época, o alvo era a sociedade feudal, um traço importante dos movimentos literários que se seguiriam, como no teatro de Gil Vicente, em Portugal, e, no Brasil através de Gregório e Matos Guerra, já no período em que predominava no mundo inteiro o Barroco como tendência estética.

Em resumo, a temática do trovadorismo era, de um lado, o sofrimento de amor, a veneração do ser amado e a exaltação da amizade, e, de outro, a crítica política e social, a ambiguidade e o deboche escrachado.