Experimento Aleatório


Quer aprender tudo sobre experimento aleatório? Então leia o artigo abaixo e descubra o que é, para que serve, como fazer e quais são os principais usos deste conceito em aplicações reais. Você vai descobrir que este conceito é muito mais simples de se compreender do que imagina, e vai passar a utilizar esta ideia muito mais vezes.

Conceito de Experimento Aleatório

O conceito de experimento aleatório é na verdade algo bastante simples e tem tudo a ver com o nome. É um fenômeno que acontece quando se utiliza o mesmo processo ou processos bastante semelhantes, mas que trazem resultados totalmente imprevisíveis.

Experimento

Imagine, por exemplo, que você tem uma moeda em suas mãos. Ao jogá-la para o alto, você sabe que pode sempre cair um dos lados para cima, não é capaz de prever com certeza absoluta qual lado será. Portanto este é um exemplo bastante simples que ajuda a compreender o que é o conceito de experimento aleatório. Outro exemplo também bastante elucidativo é o lançamento de um dado, independente da quantidade de lados que ele apresente. Ao se lançar um dado para cima é impossível saber com certeza qual será a face que ficará voltada para cima.

E diversos outros exemplos deste mesmo conceito. Por exemplo, se colocarmos uma infinidade de bolinhas coloridas dentro de uma bolsa fechada e irmos retirando uma a uma das bolas sem olhar antes, será impossível prever qual a cor de bola será retirada em primeiro, segundo, terceiro ou em qualquer ordem.

Este tipo de experimento aleatório produz resultados que são outros conceitos matemáticos, denominados espaços amostrais. Cada espaço amostral possui diferentes subconjuntos que são chamados de eventos. Como você pode verificar com os exemplos que citamos anteriormente, cada experimento aleatório possui uma quantidade possível de resultados. Ou seja, a quantidade de lados de uma moeda é seu espaço amostral, ao mesmo tempo que a quantidade de faces de um dado também pode ser chamado desta forma. Ou ainda, o número absoluto de bolinhas coloridas que colocamos dentro da bolsa.

Os espaços amostrais dos experimentos aleatórios podem ser:
* Discretos
* Contínuos

Nos espaços amostrais discretos, também chamados por muitos matemáticos de finitos, existe um número conhecido de elementos como, por exemplo, no caso da moeda ou de um dado. Já nos espaços amostrais do tipo contínuo é impossível saber qual é a quantidade de elementos no sistema, ou seja, eles são infinitos. Um bom exemplo disso pode ser a quantidade de estrelas no céu.

E por sua vez, os subconjuntos, que na verdade são cada possibilidade de resultado possível, considerados totalmente separados. Já que, na maioria das vezes é impossível que dois resultados sejam dados ao mesmo tempo. Parece complicado? Mas não é, veja como demonstramos isso de forma matemática.

No caso da moeda, por exemplo, devemos considerar que o espaço amostral em caso de um experimento aleatório seria {coroa e cara}. E ainda considerando a mesma moeda, os seus subconjuntos seriam { (coroa) , (cara) }. Agora ficou muito mais fácil de compreender, certo?

Ou seja, o tempo todo estes experimentos aleatórios acontecem. Quando jogamos baralho e temos 52 possibilidades diferentes de resultados, ou quando jogamos qualquer jogo. O conceito de experimento aleatório, portanto, está diretamente ligado ao conceito de probabilidade, muito utilizado na matemática e conteúdo presente em diversos tipos de provas. Compreender tudo isso facilita a compreensão do mundo, além de ser muito importante para a vida escolar.

Exemplos de experimentos aleatórios utilizados

Na verdade nem nos damos conta, mas este tipo de evento acontece o tempo todo em nossas vidas. E muitas vezes estes acontecimentos são utilizados como forma de jogos, como por exemplo, os que utilizam cartas de baralho, moedas, dados e etc. Jogar na loteria, por exemplo, pode ser considerado um experimento aleatório. Não é possível saber com certeza qual número será sorteado nem tão pouco qual será a ordem de cada um deles. Ao mesmo tempo é possível se calcular qual é a probabilidade que cada número tem de aparecer.

Os experimentos aleatórios também são muito utilizados para pesquisas, onde se tem um número conhecido de elementos e deseja de forma aleatória escolher algum. Este método de pesquisa é muito utilizado na ciência, no marketing, e em diversos outros ramos, inclusive os industriais. Para testar um lote de produtos, por exemplo, os industriais escolhem de forma aleatória algum para verificar se está de acordo com as normas.

As probabilidades podem ser calculadas através do uso de fórmulas de probabilidade. Há diferentes formas de se calcular de acordo com a natureza do seu espaço amostral, quando eles são discretos ou finitos ou quando são contínuos e infinitos.

O estudo das probabilidades são muito importantes na sociedade e além da ciência e para uso de marketing, são também bastante empregas na genética para se saber a probabilidade que determinado paciente tem de desenvolver ou não alguma doença.