Antroponímia


Por mais que pouco fale-se sobre a antroponímia possui importante papel na história e significados dos nomes, até mesmo nos dias atuais. A antroponímia é considerada uma divisão da onomástica que caracteriza-se como um estudo realizado com nomes próprios. Esse estudo visa pesquisar todos os fatores que levaram a denominação de um nome. Através disso são realizadas diferentes buscas que estejam relacionadas com os gêneros e origens dos nomes de uma ou mais línguas, seja de uma pessoa, objeto ou local.

O estudo realizado pela onomástica começou ser colocado em prática a partir do século XIX, emitindo grande importância e sendo que desde o início já a consideravam uma parte da linguística. A divisão da onomástica ocorre com o objetivo de realizar mais estudos que estejam relacionados às descobertas sobre a origem de diferentes nomes, além da possibilidade de encontrar os seus significados, e assim em diante. Por isso, como parte da divisão da onomástica, é possível encontrar a toponímia e a antroponímia.

 Antroponímia

Entenda o que representa a antroponímia

A antroponímia pode ser caracterizada como o estudo dos nomes “próprios” de pessoas. Esse estudo ocorre tanto com os prenomes ou sobrenomes de cada ser, sendo que, através da pesquisa, pode-se explicar a sua origem, variação em função de local, época e costumes e, também, a evolução. Essa pesquisa sempre foi muito valorizada, pois, através dela, era possível notar a relevância de cada nome diante da história, da cultura, da política e, também, para instituições, e assim em diante.

Desde sempre os nomes de pessoas, objetos e locais foram considerados um assunto a ser discutido diante da semântica que existia entre um objeto e a sua denominação. Fora isso, as pessoas costumavam a questionar qual a referência que o nome possuía diante de um objeto, o conceito e a forma da palavra. Com o tempo, foram criando conceitos e estudos que pudessem explicar a origem de nomes, sendo que a grosso modo explica-se que o nome nasce a partir da relação semântica entre o objeto e a sua designação.

Para os estudiosos, o nome de uma pessoa ou objeto era constituído a partir de uma forma que irá dar origem a palavra. A partir disso aponta-se um significado (conceito) que irá se referir às coisas. De forma simples, como os estudiosos ressaltavam a palavra é o resultado da combinação de determinada forma com um significado que seja específico. Com isso, é possível entender a necessidade de se trabalhar com o contexto e a referência de um nome, para que seja recuperado o significado de um nome.

Antigamente acreditavam que o nome de pessoas ou objetos na necessidade de nomear um indivíduo de acordo com a sua cultura onde, muitas vezes, era possível ver um herói, um animal ou objeto com a mesma designação. Esse conceito utilizado pelos antigos representava um amuleto às pessoas, que poderiam servir como proteção e uma forma de atrair novos fluídos. Nos dias atuais, isso mudou, o nome pode ser atribuído para uma pessoa ou lugar, mas a designação de ambos passa a ser diferente.

Dando significado aos nomes

A Antroponímia permite a classificação dos nomes de acordo com o uso do mesmo, além de sua origem e alteração. Na questão do uso é utilizado o nome de batismo atribuído há uma pessoa, além do seu sobrenome familiar e apelidos que a pessoa possa estar sujeita a receber. Na questão da origem, classifica-se um nome de acordo com a influência que ocorre na localidade no nome das pessoas, além de utilizar a classificação de acordo com ofícios, hierônimos e, até mesmo, por qualidade.

Vale destacar que quase sempre os sobrenomes são os principais responsáveis pela conotação de qualidades e características referentes ao indivíduo. Para a alteração ocorre a classificação através de aglutinação e transposição, sendo que ambos alteram conforme o tempo o nome original de determinada pessoa. Essa alteração pode ocorrer pela junção de nomes já existentes que formam um novo nome ou simplesmente pela adaptação de um nome “estrangeiro” para a realidade.

A adaptação desse nome de língua estrangeira ocorre de forma simples, mas destaca-se que, neste caso, não há nenhuma relação de classificação do mesmo com o local, costume ou ofício. Veja exemplos de classificações de nomes através do uso, origem e alteração:

– Uso: O uso classifica o nome de acordo com seu nome de batismo, sendo que o sobrenome era usado com maior precisão para especificar a quem se referia. O nome de batismo é José, sendo o sobrenome Rodrigues e o apelido Zé;

– Origem: Ocorre a designação a partir dos nomes com base em diversas origens. Na localidade é Guimarães, o ofício é Ferreira, o hierônimos é Francisco e a qualidade pode ser Belo;

– Alteração: Na aglutinação, pode-se juntar os nomes de Cláudio e Leonor formando o nome Claudionor. Já na transposição, pode ocorrer que Thomas Woodrow Wilson torne-se Wilson Silva.