Entre eu e você ou entre mim e você?


A língua portuguesa é um idioma repleto de normas, regras e leis que muitas vezes confundem os seus próprios falantes natos. Neste sentido, muitas vezes nos pegamos com dúvidas simples, mas que realmente nos quebram a cabeça. Um exemplo comum é a dúvida que fica no uso dos pronomes pessoais. Devo dizer: “entre eu e você” ou “entre mim e você”?

Entre eu e você ou entre mim e você?

O uso dos pronomes pessoais

Os equívocos no uso de pronomes pessoais são extremamente comuns para os falantes da língua portuguesa – especialmente para aqueles do caso oblíquo.

Porém, com uma dica simples e importante, dificilmente você voltará a ter questionamentos sobre esse assunto. Vamos lá?

Com base na norma culta da língua, depois do uso das preposições vêm os pronomes pessoais em sua forma obliqua.

Veja os seguintes exemplos:

1. Essa informação fica entre eu e ele —- uso errôneo;
2. Essa informação fica entre mim e ele —– uso correto.
3. Essa informação fica entre mim e ti (correto também).

Sendo assim, após a preposição ‘entre’ vem sempre o ‘mim’, um pronome pessoal de forma obliqua.

Os pronomes do tipo oblíquo devem sempre exercer o papel de complementação, enquanto os pronomes pessoais ‘normais’, ou seja, em forma ‘reta’, devem unicamente cumprir com a sua função de sujeito.

Neste sentido, confira os exemplos abaixo:

1. Ele acenou para mim na saída da escola (acenou para quem? O complemento, neste caso, é o próprio ‘mim’).

2. Lembre-se de trazer os ingredientes para eu cozinhar (quem irá fazer algo, ou seja, praticar a ação de cozinhar? O Sujeito, no caso, eu).

A dica é simples e pode ser seguida para qualquer situação. Sendo assim, lembre-se que os pronomes pessoais oblíquos são sempre utilizados como complementares, assim como os pronomes pessoais de caso reto são utilizados como sujeitos.

Alguns exemplos que farão com que você compreenda melhor essa regra da língua portuguesa são:

1. Ela enviou o telegrama para mim.

Ela enviou. Ok. O que? O telegrama. Mas para quem? Para mim. Neste sentido, o ‘mim’ simplesmente completa o sentido da frase, já que sem ele não saberíamos quem recebeu o telegrama. Aqui o pronome oblíquo é então utilizado como complemento do objeto direto ‘telegrama’.

2. Me dê uma caneta para eu anotar o número.

Agora, observe:

Com a caneta em mãos, alguém irá realizar a ação de escrever. Quem é essa pessoa? Eu. Neste caso, o pronome pessoal reto é utilizado como o verdadeiro sujeito da oração, ou seja, o indivíduo que pratica a tarefa.

Cabe ainda aqui a famosa regra de que o ‘mim’ não conjuga verbo. Sendo assim, toda vez que for falar ou escrever algo que você irá praticar, lembre-se que você é o sujeito – e neste caso, pode utilizar o ‘eu’ no lugar do ‘mim’.

Pronomes pessoais – entre eu e você ou entre você e mim?

No que se refere ao questionamento comum que levou à criação deste artigo, ou seja, “entre eu e você” ou “entre você e mim”, o primeiro passo é notar que nessa frase há uma preposição: a palavra ‘entre’.

Sendo assim, ao aplicar a dica que foi dada lá em cima, fica claro que a resposta correta é: entre mim e você. O motivo é simples: depois de uma preposição sempre devemos utilizar um pronome pessoal em seu formato obliquo, neste caso, o mim.

E o mesmo deve ser seguido para frases em que outras preposições são utilizadas, como é o caso de “para mim e ti”, “para mim e você”, “contra mim”, “entre mim e ele”, “sobre mim e ela”, “por mim” e assim por diante. Alguns exemplos neste sentido são:

1. A minha mãe trouxe pizza para mim e você;
2. Ninguém da sala de aula ficou contra mim;
3. Você pode comprar o ingresso por mim, por favor?
4. Sobre mim e ela há muito amor.

Por outro lado, veja o seguinte exemplo:
– Preciso que vocês tragam os ingredientes para mim fazer o nachos.

Esse exemplo está errado. Mas por que, se há a preposição ‘para’ na frase?

O pronome mim, utilizado neste caso, acaba exercendo o papel de sujeito que pratica uma ação na segunda oração, ou seja, no “para mim fazer o nachos”.

Sendo assim, aqui o uso do pronome pessoal do tipo oblíquo acaba sendo equivocado e o certo seria montar a frase da seguinte forma:

– Preciso que vocês tragam os ingredientes para eu fazer o nachos.

Outros exemplos neste mesmo sentido são:
1. Se quiserem nadar na piscina, tragam antes as roupas para eu organizar;
2. Pode me trazer o material de apoio para eu fazer a lição de casa?
3. Estou indo ao mercado comprar ingredientes necessários para eu terminar o bolo.
4. Me dê uma página do seu caderno para eu escrever o conteúdo que está no quadro?