Orações Subordinadas Adverbiais


O assunto agora são as orações subordinadas adverbiais. Por definição, estas orações funcionam na oração principal, como adjunto adverbial do verbo, exercendo a mesma função de um advérbio na estrutura da construção da frase. Elas somam à frase principal circunstancias específicas, que podem ser de modo, de tempo, de causa ou fim, de condição ou de consequência, de proporção ou de concessão, ou ainda de comparação ou de conformidade. Neste caso, serão sempre iniciadas por uma conjunção ou por uma locução conjuntiva. Estas orações se apresentam no modo desenvolvido e/ou no modo reduzido. Demonstraremos aqui as formas desenvolvidas, aquelas que possuem uma introdução, seja ela realizada por um pronome, por uma conjunção ou, ainda, por uma locução conjuntiva, e que terão sempre o verbo composto nos modos indicativo ou no subjuntivo.

Subordinadas Adverbiais

Orações subordinadas adverbiais: tipos e ocorrências

1 – Oração subordinada adverbial causal: Como o nome sugere, descreve o porquê, a causa da ação descrita na oração principal. Será iniciada sempre pelas conjunções/locuções causais: que, porque, visto que, porquanto, uma vez que, visto que, pois que, já que, por isso que, pois que, como que, como, visto como. Vejamos alguns exemplos de sua utilização:

– A estrada toda foi alagada já que o rio saiu de seu leito.
– Não vou jantar esta noite visto que almocei tarde
– Já que o tempo passou, vou ficar para o lanche.

2 – Oração subordinada adverbial consecutiva: Descreve a consequência da ação descrita na oração principal. Será iniciada sempre por uma das conjunções ou locuções consecutivas a seguir: tanto que, tal que, tão que, que, de forma que, de sorte que, de modo que, de tal forma que. Vejamos alguns exemplos de utilização:

– A bicicleta custava tão caro que ele resolveu guardar dinheiro.
– O público aplaudiu tanto a apresentação que acabou cansando as mãos.
– Ela planejou a vida de tal forma que acabou realizando todos os sonhos.

3 – Oração subordinada adverbial final: Descreve a finalidade, o objetivo final da ação descrita na oração principal. Será iniciada sempre por uma das seguintes locuções finais/conjunções: que, para que, a fim de que, porque. Exemplos de sua utilização:

– Cheguei cedo na fila, a fim de que pudesse garantir o melhor lugar.
– Eles se dedicaram para que nada desse errado na hora do concerto.
– A estudante dedicou muitas horas a fim de que pudesse viajar nas férias.

4 – Oração subordinada adverbial temporal: Descreve uma referência temporal à oração principal, indicando um tempo em que ocorre. Será iniciada sempre pelas conjunções/locuções temporais:enquanto, quando, logo que, agora que, assim que, desde que, apenas, tanto que, até que, antes que, depois que, sempre que, mal, cada vez que. Exemplos de sua utilização.

– Eu me sinto confortável assim que tiro os sapatos.
– Quando leio aquele livro, me recordo do passeio.
– Mal pulei na água, começou a chover.

5 – Oração subordinada adverbial condicional: Descreve uma condição imprescindível para que a ação da frase principal ocorra ou não ocorra. Será sempre iniciada pelas conjunções/locuções condicionais: salvo se, se, exceto se, desde que, desde, caso, sem que, contanto que, uma vez que, a menos que, a não ser que, sempre que. Alguns exemplos de utilização.

– Se a porta estiver fechada, deixe um recado.
– Desde que ela faça sua parte, o plano sairá conforme combinado.
– A não ser que chova muito, a excursão está confirmada.

6 – Oração subordinada adverbial concessiva: Descreve uma concessão à ação descrita na oração principal, uma noção de contradição ou de contraste. Será sempre iniciada pelas conjunções/locuções concessivas: conquanto, embora, mesmo que, ainda que, posto que, se bem que, por mais que, apesar de que, por muito que por pouco que. Alguns exemplos:

– Embora tenhamos tomado todas as precauções, o evento foi um fracasso.
– Por mais que seja arriscado, o investimento vale a pena.
– Manterei o combinado, mesmo que você descumpra o trato.

7 – Oração subordinada adverbial comparativa: Descreve uma comparação com a ação descrita na oração principal.Será sempre iniciada com as conjugações/locuções comparativas: mais do que, como, assim como, menos do que, que nem, bem como, tanto quanto. Alguns exemplos:

– Ele é competente mesmo, mais do que sempre fui.
– Esse trabalho é fácil, tanto quanto todos foram os anteriores.

8 – Oração subordinada adverbial conformativa: Descreve conformidade e/ou concordância com a regra descrita na frase principal.
Será iniciada com as conjugações/locuções conformativas: como, conforme, segundo, consoante. Exemplos:

– Preparo o prato conforme a receita indica.
– O torneio ocorrerá segundo as leis vigentes naquele pais.

9 – Oração subordinada adverbial proporcional: Descreve uma relação de proporcionalidade em relação à ação descrita na oração principal. Será iniciada pelas conjunções/locuções proporcionais: à medida que, à proporção que, quanto maior, maior; quanto mais, menos. Exemplos:

– Quanto menos ganhava, mais irritado o menino ficava.
– Ela alcançava as marcas à medida que praticava.