Peptonas


As peptonas são o resultado da quebra das grandes moléculas, que constituem as substâncias orgânicas dos alimentos. Durante uma refeição, quando ingerimos carne, as moléculas de proteínas que constituem esse alimento são enormes e não conseguem passar pela membrana das células intestinais e, consequentemente, passarem para o sangue e a linfa. Dessa forma, as proteínas são degradadas, originando os polipeptídios, cadeias longas de aminoácidos, ou seja, as peptonas, que são pequenas o suficiente para serem absorvidas. As peptonas são o produto da hidrólise enzimática de proteínas pela pepsina e, principalmente, pela tripsina. A hidrólise enzimática é uma reação química de quebra de uma molécula em outras duas e é catalisada por uma enzima que utiliza água.

Peptonas

As paredes do estômago são as responsáveis por produzirem a peptina, uma enzima secretada através do suco gástrico e que possui a função de quebrar as proteínas. Já o pâncreas produz a tripsina em sua forma inativa, o tripsinogênio, que se transforma em tripsina ativa no duodeno, como consequência da enteroquinase presente no suco intestinal. A tripsina transforma quimotripsinogênio em quimotripsina, e propeptidases em peptidases, ambas ativas.

Características das peptonas
– pó
– cor branca levemente amarelada
– solúvel em água
– cheiro que lembra o de carne assada
– gosto amargo ou salgado

Por serem substâncias higroscópicas, as peptonas devem ser sempre armazenadas em locais que podem ser totalmente vedados, já que elas têm a capacidade de absorver a umidade do ar. As peptonas são fonte de nitrogênio. Por esse motivo, essas substâncias são muito utilizadas pela indústria de alimentos, em processos de composição de meios de cultura sólidos e líquidos. Além disso, os derivados de determinadas reações de peptonas com sais metálicos são muito usados pela indústria farmacêutica, na fabricação de medicamentos.

Composição das peptonas

– peptonas de gelatina e caseína são compostas pelos aminoácidos prolina e hidroxiprolina
– peptonas de queratina possuem muita cistina
– peptonas de origem vegetal, como de girassol e farelo de soja, têm riqueza de carboidratos.

O que são as proteínas

Os alimentos mais ricos em proteínas são os de origem animal, como carnes, ovos, leite e peixe, porque eles possuem os aminoácidos essenciais, que são aqueles que o nosso organismo não consegue produzir. Alimentos de origem vegetal, como soja, nozes e legumes, também possuem proteínas, mas não têm uma variedade de aminoácidos essenciais, sendo então considerados incompletos.

As proteínas são macromoléculas formadas por várias pequenas moléculas de aminoácidos. Elas são nutrientes essenciais para o nosso organismo, pois, fornecem materiais tanto para a construção quanto para a manutenção dos nossos órgãos e tecidos. Além disso, elas também são responsáveis por formar anticorpos, enzimas e hormônios, juntamente com outras substâncias. Depois da água, as proteínas são as moléculas que temos em maior quantidade no nosso corpo.

Uma alimentação rica em proteínas auxilia no ganho de massa muscular, já que ajudam na formação do tecido muscular. Após os exercícios físicos, a ingestão de proteína ajuda na recuperação dos músculos.

Pepsinas

Uma das enzimas que possuem a função catalisadora, ou seja, de quebrar macromoléculas em moléculas menores no processo da digestão é a pepsina. Elas são produzidas pelas células parietais e secretadas pelas células principais na sua forma inativa, o pepsinogênio. Só depois de entrar em contato com o ácido clorídrico é que ela se transforma em enzima ativa. A pepsina ativa necessita de um meio ácido para desempenhar suas funções e, por isso, o ácido clorídrico é o principal responsável pelo seu funcionamento no estômago, já que ele eleva a acidez do mesmo. A principal função da pepsina é relacionada à digestão de proteínas.

Digestão humana

O processo de digestão é, basicamente, o processo de quebra dos nutrientes que ingerimos durante a alimentação em nutrientes mais simples, capazes de serem absorvidos pelas células do nosso corpo. Para cada tipo de molécula presente nos alimentos, nosso organismo produz enzimas específicas que agem sobre determinada molécula. As amilases são as enzimas que digerem o amido, as proteases quebram as proteínas, enquanto as lípases agem sobre os lipídios.

O sistema digestivo humano é composto pelos seguintes órgãos: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso e ânus. Além disso, fígado, glândulas salivares, vesícula biliar, pâncreas, língua e dentes são órgãos anexos ao sistema.

Enzimas: para que servem

As enzimas são substâncias orgânicas, normalmente proteicas, que contribuem para catalisar e acelerar as reações biológicas. Ou seja, com a presença de uma enzima catalisadora, uma reação é feita mais rapidamente, além de ter um gasto menor de energia. O nosso organismo é composto por diferentes tipos enzimáticos, que regulam várias vias metabólicas em todo o corpo humano.

Cada enzima possui sua especificidade que é determinada pelo seu tamanho e forma tridimensional, formando regiões de afinidade com os reagentes, que são os substratos. Esse modelo é conhecido pelo nome chave-fechadura. Além disso, a atividade das enzimas é influenciada por alguns fatores, como a concentração enzimática, concentração do substrato, ph e temperatura.