Resumo do Equilíbrio Químico


Neste resumo do equilíbrio químico, vamos apresentar quais as características deste fenômeno e quando ele acontece.

Quem estudou o equilíbrio químico pela primeira vez na história, foi o químico francês Claude Louis Berthollet, em 1803 e está publicado em seu livro chamado Essai de statique chimique.

O equilíbrio químico acontece quando temos uma reação reversível. Isto é, quando a velocidade da reação direta é a mesma da reação inversa. Com isso, as concentrações de todas as outras substâncias que participam da reação, permanecem constantes ao longo do tempo.

Na teoria, todas as reações químicas acontecem em duas direções, ou seja, são reversíveis. Nelas, os reagentes da reação viram produtos, e os produtos viram reagentes. Porém, em algumas reações como na de combustão, por exemplo, todos os reagentes envolvidos viram produtos, porém os produtos não viram reagentes novamente. Quando isso acontece, as reações são chamadas de irreversíveis. Nas reações irreversíveis, o equilíbrio químico não acontece.

Equilíbrio Químico

O equilíbrio químico não é algo estático. Ele é dinâmico. E apesar das trocas não estarem ocorrendo quando observamos macroscopicamente, ao observar a reação microscopicamente, as trocas e compensações entre as partes continuam acontecendo. Além disso, cada reação reversível tem uma característica constante de equilíbrio que depende unicamente da temperatura atingida.

Neste resumo do equilíbrio químico, você verá que o equilíbrio químico é muito importante para a biologia e para a economia também e precisa ser levado em consideração na produção das fábricas. Já que o equilíbrio químico pode afetar o rendimento dos produtos fabricados. Ele também afeta drasticamente o funcionamento do organismo de animais e de nós, seres humanos, mantendo o PH estável, no sistema tampão é apresentado no sangue, entre outras.

Equilíbrios Químicos Homogêneos e Heterogêneos

Com este resumo do equilíbrio químico, você vai descobrir que existem dois tipos diferentes de equilíbrios químicos: os homogêneos e os heterogêneos.

Os homogêneos acontecem quando tanto os reagentes quanto produtos, ou seja todos os participantes da reação estão no mesmo estado físico. Com isso todo o sistema se encontra em uma única fase: aquoso, gasoso ou líquido.

Por sua vez, os equilíbrios químicos heterogêneos acontecem quando os participantes da reação (produtos ou reagentes) ficam em diferentes estados físicos. Isso acontece, por exemplo na reação obtida através da mistura de ácido clorídrico e nitrato de prata. Neste caso, o nitrato de prata fica no estado sólido, enquanto os outros participantes da reação ficam em estado aquoso.

Em casos onde o equilíbrio químico seja heterogêneo e que possuam produtos que estejam no estado líquido ou sólido, as concentrações permanecerão constantes e com isso não irão interferir na situação de equilíbrio.

Em uma reação que se encontra em estado gasoso, ela pode ser afetada com a alteração de compressão da mesma. Quando ocorre um aumento da pressão, o equilíbrio da reação tende a se deslocar, no sentido de diminuir a pressão. Isso significa que haverá um menor número de moléculas no estado gasoso. Neste caso, também não é alterado, o valor da constante de equilíbrio.

Nomes da constante de equilíbrio

Constante de equilíbrio ou Kc, é chamada a lei da reação das massas ou waage do equilíbrio ou ainda lei de Guldberg. Ela foi estabelecida no ano de 1864 por um grupo de cientistas noruegueses.

A constante de equilíbrio recebe nomenclaturas diferentes, de acordo com a reação que está envolvida. Por exemplo, em uma reação existe a decomposição ou a dissociação, a constante de equilíbrio (Kc) recebe o nome de constante de dissociação.

Nos equilíbrios químicos homogêneos onde a reação acontece em grande extensão no sentido direto, e consequentemente em pequena extensão no sentido inverso, as concentrações dos produtos são bastante grandes se comparadas à dos reagentes. Por isso o valor da constante de equilíbrio também é elevado.

Por outro lado, existem também equilíbrios químicos homogêneos que acontecem de forma oposta. Ou seja, quando a reação no sentido direto acontece em pequenas extensões e a reação no sentido inverso acontece em grande extensão. Em equilíbrios químicos deste tipo, as concentrações dos produtos são menores do que à dos reagentes. Resultando, portanto em uma constante de equilíbrio pequena.

Além disso, quanto maior for a constante de equilíbrio dos equilíbrios químicos homogêneos, mais completa será a reação, tanto no sentido direto quanto no sentido inverso. O valor da constante de equilíbrio costuma variar muito de um equilíbrio químico para o outro. Por exemplo, para um mesmo equilíbrio, o valor da constante de equilíbrio pode variar com a temperatura, mas ao mesmo tempo, não varia com a pressão nem com a concentração das substâncias que participam da reação.

O mais interessante destes estudos é que é possível favorecer a formação de um certo produto que interesse, removendo-o em uma certa taxa, durante o processo. Assim o equilíbrio químico seria deslocado a fim de favorecer a formação de certo produto.

Isso é possível se for feito o cálculo de constante de equilíbrio no início da mistura dos componentes. De acordo com a constante de equilíbrio, é possível saber qual a direção que a reação terá.