Resumo sobre Darwinismo


O Darwinismo consiste em um termo essencialmente prático e relacionado com os estudos que foram desenvolvidos por Darwin, motivo pelo qual ganhou esse nome. Seu principal objeto de pesquisa foi o meio ambiente e o processo de evolução dos seres vivos, como humanos e animais. A própria organização da vida na Terra também foi um dos temas de maior relevância para ele. Sendo assim, o Darwinismo é o nome que ganhou o conjunto de todas as suas teorias e estudos, sendo o naturalista Charles Darwin reconhecido até os dias de hoje como o verdadeiro “pai da Teoria da Evolução“.

Durante o período vivido por Charles – entre 1809 e 1882 – o Criacionismo (teoria que alegava que todos os seres vivos eram criações divinas) era a que imperava. Dessa forma, o Darwinismo – também conhecido como teoria do Evolucionismo – surgiu como uma vertente contrária, que acreditava que os ambientes eram os responsáveis pela seleção dos organismos mais propícios para habitar aquele determinado espaço.

Darwinismo

O que levou ao Darwinismo?

Charles Darwin baseou-se nas pesquisas desenvolvidas por Malthus para chegar à conclusão de que o crescimento da população é mais alto do que o crescimento de espaços para que eles vivam, ou seja, recursos para alimentá-los.

Sendo assim, ele concluiu que havia uma grande competição entre indivíduos, e só eram favorecidos aqueles com maiores variações que incluíssem principalmente deixar naquele espaço um número mais extenso de descendentes.

Levando o estudo adiante, Darwin analisou todas as taxas tanto de mortalidade como de reprodução em uma série de sociedades, para comprovar de forma experimental que alguns indivíduos diferenciados conseguiriam sobreviver e se reproduzir com maior eficácia, passando para frente as suas características dominantes.

Por outro lado, os indivíduos com características menos favoráveis teriam grandes dificuldades para competir, sobreviver e consequentemente, para reproduzir. É, então, nesse âmbito que entra a seleção natural, uma vez que os indivíduos mais desfavoráveis desapareciam de forma mais rápida e agravante com o passar dos anos.

Para entender é simples. As espécies – não só de animais com também grupos de seres humanos – com maior aptidão para realização de determinadas tarefas que envolvam a sobrevivência irão conseguir se multiplicar e evoluir com facilidade, dominando a região em que habitam. Os incapazes disso, por sua vez, não conseguirão se adequar ao meio ambiente e rapidamente serão extintos.

Outro aspecto que deve ser levado em consideração no resumo do darwinismo é que a capacidade que os organismos têm para se reproduzir é muito maior do que a do meio ambiente, no sentido de oferecer condições viáveis para o sustento dos mesmos, com abrigo e alimentação por exemplo.

Sendo assim, os estudos, experiências e observações que levaram ao conjunto de ideias do Darwinismo concluem que a luta pela sobrevivência será eterna. Sempre serão várias as variações entre uma espécie e outra, o que torna uma delas “mais forte” para sobreviver quando em comparação com as outras.

A competição, nesse caso, é o que explica porque algumas espécies se mantêm vivas e outras morrem. Quem vive mais, se alimenta mais e desempenha um número maior de atividades terá mais chances de deixar um ambiente favorável para seus descendentes. Com os mais fracos eliminados, a espécie mais forte também ganha espaço para propagar os seus organismos por meio da reprodução.

Quais são os principais tópicos do Darwinismo?

Ao falar sobre o resumo do darwinismo, é certo afirmar que esse conjunto de ideias é capaz de provocar alterações na população dos seres vivos já há muito tempo, fazendo com que o mecanismo possa se decompor em cinco diferentes tópicos para sua melhor compreensão:

• Variação – nenhum tipo de espécie é igual a outra, havendo sempre variações mesmo no caso de seres do mesmo parentesco. A variabilidade foi fundamental para o processo evolutivo, já que confirma a hipótese de indivíduos com diferentes características;

• Herança – a forma como as características próprias de uma espécie passa para outra são baseadas na herança, como aquelas de pais para filhos. Darwin não conseguiu chegar a uma resposta sobre o assunto, que veio posteriormente com a genética;

• Seleção – um dos fatores determinantes sobre a teoria do darwinismo envolve a competição por recursos naturais e ambientais para que uma espécie verdadeiramente evolua, ou seja, seja a “selecionada” por aquele espaço;

• Tempo – a seleção natural demanda de alterações contínuas e não ocorre em pequenos intervalos, mas pelo contrário. Até que uma espécie seja totalmente eliminada, várias podem ser as variações da mesma que ainda convivem no espaço;

• Adaptação – por fim, a característica que favorece e define a sobrevivência de um grupo no ambiente é a sua adaptação ao mesmo – só o mais apto conseguirá sobreviver e se reproduzir. Sendo assim, aqui a seleção natural ocorre e define qual será o grupo mais propício para se estabelecer naquele determinado ambiente natural, sendo este o aspecto que põe um ponto final no resumo sobre o darwinismo.