Resumo da Tarsila do Amaral


Neste resumo da Tarsila do Amaral você vai conhecer sobre a sua biografia, o quanto foi importante para o movimento artístico nacional e quais são as obras mais famosas.

Quem foi Tarsila do Amaral

Tarsila do Amaral é considerada uma das artistas mais importantes da história das artes plásticas do Brasil. Neste resumo da Tarsila do Amaral, você verá que ela sempre foi muito ativa, e desenvolveu um papel central durante a fase modernista das artes plásticas no cenário nacional, ao lado de Anita Malfatti, Oswald de Andrade e diversos outros artistas.

Neste resumo da Tarsila do Amaral, você também vai conhecer os pontos mais importantes da biografia dela. Vamos à eles:

Tarsila do Amaral

Tarsila do Amaral nasceu em Capivari no dia primeiro de setembro do ano de 1886, em uma família bastante rica. Tarsila cresceu nas fazendas no interior do estado, juntamente com seus irmãos. Estudou em colégios para freiras em São Paulo, e terminou seus estudos em Espanha, na cidade de Barcelona.

Quando voltou da Europa, no ano de 1906 casou-se com o médico André Teixeira Pinto, com quem teve sua única filha. Tarsila durante este período já desejava pintar e desenhar, porém seu marido acreditava que as esposas deveriam somente cuidar da casa e do marido. Por isso que logo após o nascimento de sua filha, batizada de Dulce, o casal se separou. Tarsia então voltou a morar com os pais em alguma das muitas fazendas da família.

Tarsila do Amaral começou a pintar mais frequentemente no ano de 1917, e no ano de 1920 foi à Paris para aprimorar sua arte e dedicar-se ao desenho. Apesar de ter tido contato direto com a arte moderna, Tarsila do Amaral se mantinha bastante tradicional em sua pintura, até sua volta ao Brasil, exatamente em 1922, quando o movimento modernista se iniciava no país. Ela conheceu Oswald de Andrade, Anita Malfatti, Mário de Andrade e Menotti del Pichia em uma confeitaria, em São Paulo. E eles foram seus amigos durante todos os outros anos de sua vida e mudariam sua arte e sua história no mundo da arte para todo o sempre.

Em 1923, Tarsila e Oswald se tornaram um casal, e juntos viajaram pela Europa. Ela voltou à Paris onde estudou cubismo. Lá ela conheceu o lendário pintor Pablo Picasso e tornou-se amiga de Fernand Léger, de quem a pintora aprendeu muitas de suas técnicas.

Em 1924, Tarsila e seus amigos modernistas, vivem o redescobrimento do Brasil e Tarsila entra em sua fase chamada de Pau Brasil, pintando com cores vibrantes temas que remetem ao país, como paisagens tropicais, a flora e a fauna nacionais, bem como trilhos de trens e máquinas, os símbolos da fase moderna que as cidades estavam passando. Em 1926 Tarsila se casa com Oswald de Andrade, e no mesmo ano ela realiza sua primeira exposição individual.

No ano de 1928 ela pinta sua obra mais famosa, o Abaporu, nome indígena que significa “homem canibal” ou “homem que se alimenta de carne humana”, obra que dá origem ao famoso movimento artístico nacional intitulado de movimento antropofágico, idealizado por Oswald de Andrade.

Em 1929, durante a grande crise econômica o casal se separa e família de Tarsila perde todas as suas fazendas. Em 1930 ela se torna conservadora da Pinacoteca de São Paulo, cargo que ela perde durante a ditadura de Getúlio Vargas.

Em 1931, Tarsila consegue vender uns quadros seus e viaja para a Rússia, onde simpatiza com os movimentos de esquerda que aumentam em toda a região. Sem dinheiro, ela trabalha como operária da construção civil, juntamente com seu terceiro marido. Ela volta ao Brasil em 1933 é presa, considerada subversiva.

Durante a década de 40, Tarsila do Amaral também expõe suas obras durante a primeira e a segunda bienais de São Paulo, e em 1960 ganha uma retrospectiva de sua história artística no Museu de Arte Moderna de São Paulo, o MAM.

Tarsila se casaria mais uma vez, com Luiz, um marido 20 anos mais jovem que ela, até 1965. Ano em que depois de uma cirurgia na coluna, se torna paralítica e vive seus últimos dias em uma cadeira de rodas.

Em 1966, Dulce, sua única filha vem a falecer depois de um ataque de diabetes, o que a deixa ainda mais deprimida. Ela então se aproxima do espiritismo e todo o dinheiro que consegue a partir da venda de seus quadros é destinada à obras de caridade encabeçadas pelo Chico Xavier.

Tarsila do Amaral faleceu no dia 17 de janeiro do ano de 1973, teoricamente devido à depressão.

Neste resumo da Tarsila do Amaral vamos apontar somente algumas das obras mais conhecidas da artista:

* 1923 – Rio de Janeiro
* 1923 – Caipirinha
* 1924 – A Cuca
* 1924 – São Paulo
* 1924 – Morro da Favela
* 1925 – O vendedor de Frutas
* 1925 – O Mamoeiro
* 1927 – Religião Brasileira I
* 1927 – Manacá
* 1928 – A Boneca
* 1928 – Abaporu
* 1929 – Antropofagia
* 1933 – Operários
* 1936 – Costureiras
* 1940 – O Casamento
* 1941 – Procissão
* 1947 – Praia
* 1956 – O Batizado de Macunaíma
* 1958 – A Metrópole