Evidências da Evolução


A evolução ainda é um tema muito questionado por grande parte da população, porém suas evidencias são grandes e podem ser comprovadas. Muitos estudos vêm analisando esses vestígios de evolução para explicar como tudo ocorreu, desde o surgimento da superfície terrestre.

Uma grande variedade de fósseis foi encontrada, para mostrar que antes de nós, muitas outras espécies vieram e como foi a trajetória até como se é hoje. Muitos animais evoluíram com o tempo, não só fisicamente como de temperamento, como por exemplo, os cachorros.

Evolução

As evidências da evolução funcionam a partir de seu aparecimento. Quando um organismo falece, grande parte do seu corpo se deteriora e tudo se perde, mas algumas partes de seu organismo ficam ainda conservadas em tecidos ou outros locais. Assim são criados os fósseis. Para que parte de seus ossos seja conservada, o indivíduo morto tem que ser rapidamente enterrado. A análise desses fósseis funciona como uma análise da linhagem daquele ser que morreu. É analisada sua espécie, seus ancestrais e o tamanho dos ossos, que mostra características de uma evolução, como diminuição de crânio, partes do esqueleto, etc. Esses registros fósseis são arrumados em ordem cronológica, para se identificar em qual lugar se viveu, em qual ano.

Exemplos do evolucionismo

As evidências da evolução podem ser notadas nos cachorros, como dado exemplo anterior.

Os cachorros vieram dos antigos lobos, que por necessidade de alimento se juntaram aos caçadores, ambos se ajudando, até que conforme evolução da sociedade, o animal foi domesticado e misturado com outros tipos de raças, até se tornar os cães domesticados de hoje.

Alguns dos animais possuem semelhanças em sua anatomia, assim gerando pesquisas que comprovam que seus genes são parecidos, o que mostra que durante sua evolução, talvez possa ter acontecido mistura de espécies, formando tipos diferentes da mesma cadeia.

Os estudos de genes também fazem parte das evidências da evolução, pois é nessa pesquisa que conseguimos identificar o grau de espécie de cada indivíduo e sua respectiva taxa evolucionária, como ligações de ossos, asas e membros que podem ter vindo da mesma origem embrionária, porém de ligações de organismos divergentes. Mas ainda sim apresentam algum grau de parentesco.

A evolução é motivada por vários fatores da sociedade. E um deles seria a necessidade. Um bom exemplo é o da girafa. Alguns cientistas/pesquisadores possuíam diferentes explicações para isso:

• Lamarck: Lamarck era um grande botânico e tinha seu trabalho reconhecido por muitos. Ele acreditava que os seres vivos surgiam a partir de um ser vivo simples até chegar a um totalmente complexo. Assim, a evolução funcionava a partir do uso e do desuso. Como um peixe não utiliza sua barbatana, aos poucos irá perdendo-a, conforme sua evolução, até uma de suas espécies nascer sem ela. No caso das girafas, por causa de sua necessidade de alimentos: como as árvores eram altas e seus frutos estavam no topo, as girafas foram alongando seu pescoço conforme o tempo para suprir sua necessidade de se alimentar.

• Teoria de Darwin: Darwin era médico. Ele fez uma longa pesquisa sobre evolução e foi influenciado por vários outros pesquisadores. Sua teoria acreditava numa evolução de sobrevivência, de variação de espécies. Com o exemplo da girafa, ele acreditava que elas nasciam de diferentes tamanhos e somente as de pescoço longo sobreviviam, pois poderiam alcançar as árvores e se alimentar, sendo que as de genética de altura baixa morreriam de fome. Assim, as girafas de pescoço longo se reproduziam com genes de mesma altura e sua próxima geração seria somente alta.

Assim funcionava essa teoria para as demais espécies: só se reproduziam os mais fortes, gerando reprodução diferencial e criando mais espécies, de diferentes tipos, diferentes imunidades e genes.

Evolução a partir dos primeiros seres vivos

As evidências da evolução são muitas e muitos conceitos diferentes podem explicar porque ela ocorreu, mas ainda muitos pesquisadores trabalham para conseguir mais informações concretas sobre isso. Cabe-se falar que algumas teorias explicam que ao surgimento da Terra o ambiente era de vários tipos de substâncias, assim gerando os seres procariontes autótrofos. Após o surgimento de oxigênio na superfície terrestre, foi dado o surgimento de o primeiro ser aeróbios. E foi a partir desses seres vivos e das substâncias presentes na superfície terrestre que tudo foi se misturando e criando novos tipos de seres vivos, até chegar ao que somos hoje.

Pode-se acreditar que os seres vivos existentes atualmente foram totalmente adaptados ao ambiente que vivemos, e muitas das espécies que havia antigamente foram totalmente extintas, seja por ação natural ou artificial (causada pelo homem). Há teorias de que nossa espécie ainda vai passar por várias evoluções, podendo até ser extinta no futuro e substituída por outra evolução ou reprodução diferenciada.

Observamos que, por mais que nossa espécie já tenha evoluído bastante, ainda podemos observar passos da evolução em gerações que estão surgindo agora: crianças que andam muito mais cedo que as outras, com aprendizado muito mais rápido e também de mistura genética muito diferenciada. Seríamos os próximos a sofrer outra evolução?