Gene Recessivo


O gene recessivo é um gene cuja característica não fica aparente quando há dois alelos distintos. Esse tipo de gene só terá sua característica expressa quando existe um arranjo homozigoto, isto é, quando o seu alelo manifesta-se em ambos os pares cromossomos homólogos. Portanto, ele não predomina quando existe um gene contrário (gene dominante). De modo geral, genes recessivos estão relacionados a cores (pele, cabelo, olhos, entre outros), mas podem ainda definir uma variedade de síndromes e enfermidades decorrentes de genes recessivos anormais como, por exemplo, o daltonismo. Saiba mais a seguir.

Gene Recessivo

Gene recessivo e o xadrez mendeliano

Até a metade do século XIX, os cientistas não conheciam como funcionavam as questões de hereditariedade. Sendo assim, não era possível explicar as semelhantes e distinções presentes em membros da mesma família. Esses padrões eram observados ainda outros seres vivos, inclusive em plantas. No ano de 1865, Gregor Mendel, um religioso tcheco, resolveu pesquisar em profundidade esse assunto. Em vista disso, ele estabeleceu uma série de experimentos para justificar as similaridades e diferenças encontradas nas gerações.

Para conduzir os seus estudos, Mendel decidiu pegar ervilhas como modelos de cheiro (Pisum sativum) devido ao cultivo fácil do item. O tamanho e traços discrepantes também influenciaram na escolha. Na sua análise, Mendel efetuou cruzamentos entre representantes puros do vegetal. Em um de seus testes, cruzou plantas que apresentavam sementes verdes com outras que tinham sementes amarelas, sempre puras. O monge batizou essas ervilhas de Geração Parental (P). Como produto do cruzamento, ele obteve 100% de plantas com sementes de cor amarela e as chamou de Geração F1. Na experiência seguinte, Mendel fez um cruzamento das ervilhas da Geração F1 entre si, conseguindo então a Geração F2.

O resultado foi de 75% de vegetais com sementes amarelas e 25% com sementes verdes. Pelo fato das sementes amarelas aparecerem em proporção mais significativa na avaliação, o especialista nomeou tal característica de “dominante”. Por sua vez, houve um recesso nas sementes verdes durante a Geração F1 e Mendel classificou esse tipo de característica como “recessiva”.

Para melhor ilustrar os seus achados de Mendel, as características de comportamento dominante são expressas por letras maiúsculas e as recessivas por letras minúsculas. Ou seja:

AA (homozigoto dominante);
Aa (heterozigoto);
aa (recessivo);

Ainda que gene recessivo exista em situação de heterozigoto, ele não se revela. Com isso, podemos ter a sensação de que o gene dominante impede a sua atividade.

Os genes são parte do DNA que formam proteínas específicas. Os dois tipos de genes – recessivos e dominantes – são ativos. O que os difere é que a proteína que o gene recessivo produz tem certa dessemelhança da enzima funcional, o que faz a sua ação na célula seja um pouco distinta. Já os genes dominantes dão origem a enzimas normais, tanto como homozigoto quanto como heterozigoto. Como consequência, o fenótipo é igual nos dois casos. As células de sujeitos homozigotos recessivos geram enzimas defeituosas ou não funcionais. Destarte, a reação não ocorre usualmente e o fenótipo será diferente.

As ervilhas do experimento mendeliano têm o pigmento verde, que é proveniente da clorofila. O fato das sementes serem de cores variadas é resultado do gene dominante que produz a proteína da cor amarela e se superpõe ao pigmento verde. Como os vegetais recessivos são incapazes de fornecer esse pigmento, elas permanecem verde (cor da clorofila).

Outra manifestação interessante é o do tipo sanguíneo na herança ABO. Os sangues que apresentam fenótipo A e B dominam e geram os aglutinogênios na área superficial de suas hemácias. O sangue de caráter O, recessivo, não traz aglutinogênios.

Com as conclusões descritas por Mendel, foi possível ter uma visão mais completa da hereditariedade e calcular as chances de um indivíduo ter determinadas características físicas ou desenvolver doenças.

Características e doenças determinadas por genes recessivos

Algumas das principais características recessivas são:

  • Cabelos claros (louros);
  • Cabelos ruivos;
  • Cabelos castanhos quando cruza com o gene de cabelo preto;
  • Cabelos lisos;
  • Olhos azuis;
  • Olhos verdes:
  • Mão esquerda dominante (canhotos);
  • Miopia;
  • Nariz reto;
  • Incapacidade de enrolar a língua;
  • Tipo sanguíneo com fator Rh negativo.

Características manifestadas em genes alelos dominantes:

  • Calvície;
  • Lábios grossos;
  • Habilidade de enrolar a língua;
  • Nariz com ponte curvada ou dobrada;
  • Dedos curvados (polegar/mindinho);
  • Olhos e cabelos escuros.

Condições de saúde relacionadas a genes dominantes:

  • Polidactilia;
  • Doença de Huntington;
  • Doença de von Hippel.

Os genes estão presentes nos autossomas e os indivíduos afetados têm duas cópias do gene mutante. Exemplos de doenças ligadas a genes recessivos:

  • Fibrose Cística;
  • Cirrose Hepática;
  • Hemocromatose;
  • Albinismo.
  • Hemofilia (Gene recessivo presente no cromossomo X)
  • Daltonismo (Gene recessivo presente no cromossomo X)

Quando o gene que causador da doença está situado na parcela do cromossomo Y que não possui um correspondente no cromossomo X, a condição só se desenvolve em representantes do sexo masculino. Isso porque o cromossomo Y é incumbido de definir o gênero nos homens.