Impactos nos biomas


O Brasil é um dos países mais ricos em biodiversidade em todo o mundo. O tamanho das nossas reservas hidrográficas é suficiente para nos deixar despreocupados em relação aos problemas que a falta de água pode causar. No entanto, há muito com que se preocupar, pois, com o crescimento desordenado das cidades, o aumento da população e a destruição dos nossos principais biomas, o ciclo da água e todo o ecossistema brasileiro estão ficando descontrolados, fazendo com que haja secas em algumas regiões e enchentes em outras.

O impacto causado nos biomas brasileiros afeta todo o país e pode fazer com que a população brasileira comece a ter problemas muito em breve. Para entender melhor quais são estes impactos e onde eles têm maior influência, é preciso saber mais sobre estes biomas e como é possível minimizar os impactos causados pelo homem.

biomas

Principais impactos por bioma

Antes de falar sobre os impactos negativos particulares de cada bioma, é importante ressaltar que o avanço da agropecuária, causado pela necessidade cada vez maior de alimento, é o principal impacto negativo sobre os biomas. Esta é uma característica comum a todos eles e é um assunto delicado, uma vez que envolve governos, produtores rurais e a própria necessidade da população em obter alimentos. Entenda melhor cada bioma e os impactos negativos causados pelo homem:

Floresta Amazônica: este é um dos biomas que mais sofre atualmente com os impactos negativos causados pelo homem. O desmatamento é o principal impacto, sendo que até há leis de proteção em muitas áreas, mas a necessidade por mais áreas de pasto e plantações faz com que o desmatamento seja, muitas vezes, encoberto para que ONGs de proteção ambiental não denunciem. Outro grave problema na Floresta Amazônica é a construção de diversas usinas hidrelétricas, devido à grande quantidade de rios com alta vazão na região. Além de modificar a paisagem e o ecossistema, o represamento de água dos rios faz com que vários moradores indígenas tenham suas casas destruídas, tendo que deixar os locais de moradia. Somente o esforço mundial pode fazer com que a Floresta Amazônica seja salva. Caso contrário, este será um bioma seriamente ameaçado em poucos anos;

• Cerrado: pouco mais de 80% deste bioma já foi destruído. Grande parte foi convertida em pasto ou áreas de plantio. O Planalto Central brasileiro – região onde o Cerrado está localizado – passou por grandes transformações, principalmente no século XX. Brasília foi construída, estradas foram feitas e o progresso avançou para a região. A vítima foi o Cerrado, que sofre com períodos de seca e com desmatamento constante. Especialistas afirmam que ele pode ser extinto em pouco mais de 20 anos caso o governo não tome medidas mais drásticas para preservar este bioma;

• Caatinga: a Caatinga já é um bioma naturalmente frágil. Grandes épocas de seca e a presença de muitas espécies endêmicas (que só existem nesta região do mundo) faz com que cada impacto negativo cause problemas de grandes proporções. A ocupação do bioma para o desenvolvimento da pecuária e da agricultura fez com que o solo se tornasse pobre. Além disso, a destruição da vegetação nativa, sobretudo das margens dos poucos rios existentes na região, faz com que a seca seja ainda mais implacável e isso prejudica a existência da Caatinga;

• Mata Atlântica: o bioma mais prejudicado de todos desde que o Brasil foi “descoberto” pelos europeus. Por estar localizada numa área mais próxima do litoral, a Mata Atlântica foi rapidamente destruída em favor do progresso. Pouco menos de 10% do bioma ainda existe. A maior parte é protegida por leis, portanto a Mata Atlântica é, curiosamente, o bioma que corre menos risco de sofrer ainda mais. Os principais impactos negativos durante todos os anos da história do Brasil foram a criação das cidades, a instalação de indústrias e a criação de infraestruturas necessárias ao desenvolvimento do país, como portos e aeroportos;

• Pantanal: este bioma tem sofrido mais recentemente pela ação do turismo predatório. O desenvolvimento desorganizado da atividade turística faz com que haja crescente poluição dos rios e lagos, depredação do ambiente, perturbação da fauna e flora local por pessoas despreparadas e, também, pela construção de estruturas que facilitem o acesso ao local, como aeroportos e outras estruturas turísticas.

A urbanização, seus impactos e as soluções

Dois problemas estão entre os principais causadores de impactos nos biomas brasileiros: a agropecuária e a urbanização. Já ficou claro que a agropecuária é a principal “tomadora de espaço” nos biomas, mas a urbanização – promovida de forma equivocada e sem organização – pode provocar impactos ainda maiores e irreversíveis nos biomas. As áreas de restingas e manguezais (na faixa litorânea, que é a mais populosa do país) sofrem impactos o tempo todo: são esgotos lançados sem tratamento nos rios e no oceano, é a presença de indústrias e refinarias petroquímicas, enfim, a urbanização no Brasil é um agente predatório e só a revisão das políticas públicas pode dar um fim nos impactos negativos nos biomas brasileiros.