Melatonina


Neste artigo você vai aprender tudo sobre Melatonina. O que é, para que serve e também quais são as últimas novidades descobertas pela ciência sobre a melatonina.

O que é Melatonina

Você provavelmente já deve ter ouvido falar de melatonina. Volta e meia surgem produtos que prometem fazer com que ela seja regulada no seu corpo trazendo diversos benefícios. Mas afinal, o que é melatonina e para que ela serve?
A melatonina é um hormônio natural, produzido por diversos tipos diferentes de plantas e animais, sendo que na maioria das vezes é produzida pela glândula pineal. É assim que acontece em nós, seres humanos. Ou seja, estamos sempre produzindo naturalmente este hormônio dentro de nossos corpos.

Melatonina

A fórmula química deste hormônio é N-acetil-5-metoxitrptamina, e ela é uma indolamina, sintetizada a partir de um aminoácido essencial que pode ser encontrado em proteínas, o triptofano. A melatonina tem um caráter anfifílico, ou seja, ela é capaz de atravessar as membranas da célula por difusão de forma muito fácil. E devido a este processo, o hormônio apesar de ser produzido pela glândula pineal, não fica armazenado dentro dela. Assim que é produzida, a melatonina é imediatamente liberada e já cai nos chamados capilares sanguíneos. Neste momento, o hormônio passa a irrigar a glândula pineal.

Portanto, esta secreção depende exclusivamente da síntese, na qual o hormônio é catalisado por quatro diferentes tipos de enzimas:

* TPH – Triptofano hidroxilase
* Descarboxilas de L-aminoácidos aromáticos
* NAT – N- acetiltransferase
* HIOMT – hidroxi-indol-O-metiltransferase

Mas para que serve, afinal, este hormônio dentro do nosso corpo? Então, a glândula pineal também faz parte do sistema que organiza os ritmos biológicos. Ela, portanto atua de forma a mediar o ciclo claro x escuro dos ambientes, além de processos regulatórios da fisiologia, como por exemplo, a regulação endócrina de reprodução, regulação de períodos de sono e de vigília. Outra função bastante importante da melatonina é ajudar diretamente na regulação do sistema imunológico. Ou seja, ajuda a gente a dormir melhor e ainda ajuda o corpo a se defender de possíveis doenças.

A melatonina em nós, seres humanos, é a principal responsável por nos trazer sono, principalmente quando nos encontramos em ambientes calmos, tranquilos e escuros. Quando estamos em ambientes assim, a produção de melatonina aumenta significativamente, aumentando o sono e acalmando nosso corpo.

Por este motivo que é tão importante deixarmos o local de dormir sempre livre de preocupações, eliminando o melhor possível, as fontes de luz existentes, bem como som, aroma, calor ou frio excessivo. Todos estes estímulos acabam por acelerar o metabolismo e impedir que o hormônio seja formado, impedindo o nosso sono de forma plena. Isso acontece mesmo que a gente não perceba.

A melatonina ainda tem outra função no corpo. Ela também funciona como sendo um importante antioxidante e recupera células da pele que ficaram expostas à radiação ultravioleta. Acredita-se também que é possível ingerir melanina através de suplementos para ajudar até na recuperação de neurônios que foram afetados por uma doença bastante grave, o Alzheimer.

Novidades do mundo da ciência sobre a melatonina

Pesquisadores sempre souberam que a melatonina era produzida de forma natural e era a principal forma de regulação do sono. E somente há poucos anos foi iniciado o uso de suplementação do hormônio de forma sintética, através de medicamentos.

Portanto, ainda há poucas novidades com relação ao estudo da reposição da melatonina, mas os resultados já têm sido bastante animadores. Cientistas descobriram que o hormônio pode ser muito benéfico para a saúde de diversas formas, inclusive na reposição do sono, já que nos dias de hoje, o estilo de vida das pessoas faz com que todos estejam dormindo cada vez menos. E quanto mais a gente se entrega aos estímulos como assistir televisão no quarto, usar o celular até tarde da noite, entre outros hábitos, mais difícil fica para o corpo produzir a melatonina de forma natural.

Alguns estudos recentes revelam que pessoas que trabalham à noite, ou se mantém estimulados até tarde sem se entregar ao escurinho, apresentam muito mais chances de desenvolver alguns tipos de câncer, isso sem falar da obesidade e da depressão, grandes males deste último século. Tudo isso acontece porque tanta luz e agitação confunde o corpo, que acaba por não produzir a melatonina, causando desequilíbrio no organismo.

Como ainda são muito poucos os estudos com este hormônio, não é possível dizer com certeza absoluta sobre todos os benefícios que a suplementação da melatonina podem trazer. Mas já se sabe que como ela tem muita facilidade de entrar nas células, pode influenciar de forma positiva todas elas. Estudos recentes realizados aqui no Brasil, na Universidade de São Paulo (USP), revelam que a melatonina afeta inclusive na produção de insulina, que é responsável pela entrada de glicose em nossas células. Portanto, acredita-se que a melatonina seja essencial para o controle da diabetes também.

Assim sendo, o melhor é evitar ao máximo os estímulos noturnos, para que nosso corpo possa produzir de forma natural esse hormônio tão importante para a regulamentação do metabolismo e prevenção de doenças.