Reino Protoctista


O Reino Protista (também conhecido como Protoctista) pode ser caracterizado como o reino composto por organismos unicelulares e eucariontes, constituídos por um núcleo individualizado, o qual passa a ser envolvido por uma membrana. A palavra protista é derivada do grego e representa a frase “primeiro de todos”, onde compartilha a ideia de que os protistas foram os primeiros eucariontes a surgir na evolução.

O reino é basicamente o englobamento de uma grande quantidade de organismos, sendo que eles são compostos por células estruturais formuladas a partir de camadas externas que são reforçadas a partir de um material proteico. Além disso, também recebem o reforço de carapaças minerais e foraminíferos. O citoplasma desses organismos é dividido em duas zonas, sendo a externa classificada como ectoplasma e a interna como endoplasma.

Protoctista

No caso, pode-se classificar como seres protistas os protozoários e as algas unicelulares. Os protozoários são constituídos por seres heterótrofos, significando que eles representam um grupo de eucariontes com mais de 20 mil espécies. A grande maioria dos protozoários é representada por seres aquáticos que vivem em mares, aquários, rios, poças, tanques, lodos e terra úmida. Ocorre que muitos são microscópicos, mas há outros que podem ser vistos.

Já as algas podem ser caracterizadas como seres eucariontes unicelulares que vivem de forma isolada e que raramente são seres que vivem dentro de colônias. As algas são classificadas como organismos autótrofos, portanto, são espécies que possuem capacidade de produzir seu próprio alimento e também são fotossintetizantes, além de serem divididas em subgrupos chamados de euglenas, dinoflagelados, diatomáceas, algas pardas, vermelhas e verdes.

Sobre os Protozoários

Como já dito, os protozoários são seres muito amplos e passam a se adaptar a locais diferentes, por isso encontramos esses seres em ambientes distintos. Os protozoários são classificados como eucariontes, unicelulares e heterótrofos, sendo que assim como as algas também são autótrofos facultativos. Esses seres ainda são capazes de realizar fotossíntese, caso ocorra algum problema ou escassez de alimentos.

Os seres protozoários podem ser encontrados em ambientes de água doce, água salgada e até mesmo em terras úmidas ou dentro de seres distintos. A reprodução desses seres ocorre a partir da bipartição ou cissiparidade (como também é conhecida), onde ocorre uma duplicação de DNA desses seres protozoários e, logo após, acontece a divisão das duas células. Essa duplicação acontece a partir da mitose, que é uma reprodução assexuada.

Os protozoários podem ser classificados a partir do seu tipo de organoide locomotor, onde a classificação pode ser como flagelados (flagelos), sarcodíneos (pseudópodes), ciliados (cílios) e esporozoários (sem estrutura locomotora). Os protozoários flagelados são os seres que se movem a partir de flagelos que estão localizados na membrana plasmática, sendo que eles podem ser autótrofos facultativos e também heterótrofos parasitas ou de vida livre.

Os protozoários sarcodíneos são os seres que se movem a partir de pseudópodes, que são expansões citoplasmáticas que também são utilizadas como uma forma de capturar alimentos. Acontece que esses sarcodíneos podem ser de vida livre, como aquáticos e também terrestres. Os protozoários ciliados são os seres que se movem a partir de cílios, constituídos por expansões pequenas da membrana plasmática cobrindo toda a superfície dos seres.

Esses seres ciliados são em sua grande maioria aquáticos e podem ser de vida livre, fixos e também parasitas. E, por último, os protozoários esporozoários que são parasitas e não apresentam uma capacidade de se movimentar através de uma estrutura. Os esporozoários podem causar doenças como a malária, doença de chagas, amebíase, doença do sono e também a Leishmaniose tegumentar americana, também conhecida como Úlcera de Bauru.

Os seres esporozoários possuem a capacidade de desenvolver formas de resistência chamadas de esporos durante o seu ciclo reprodutivo, sendo que serve como uma forma de “protegê-lo” durante este processo. É interessante analisar os esporozoários, pois alguns de seus parasitas são transmitidos por mosquitos fêmeas.

Sobre as Algas

As algas são seres eucariontes, unicelulares ou pluricelulares e também autótrofos fotossintetizantes. As algas são classificadas de forma simples e de acordo com o seu pigmento fotossintetizante, e também por conta da substância de reserva que está presente dentro das células das algas. A classificação pode ser em algas euglenas, dinoflagelados, diatomáceas, algas pardas, vermelhas e verdes.

– Euglenas: Algas com pigmentos fotossintetizantes com clorofila a e b, além de carotenoides e com substância de reserva paramilo.

– Dinoflagelados: Algas com pigmentos fotossintetizantes com clorofila a e c, além de carotenoides e peridinina. Sua substância de reserva é amido.

– Diatomáceas: Algas com pigmentos fotossintetizantes com clorofila a e c, além de carotenoides e principalmente fucoxantina. Sua substância de reserva é crisolaminarina.

– Algas Pardas: Algas com pigmentos fotossintetizantes com clorofila a e c, além de carotenoides e fuxocantina. Sua substância de reserva é manitol e laminarina.

– Algas Vermelhas: Algas com pigmentos fotossintetizantes com clorofila a e d, além de carotenoides e ficoeritina. Sua substância de reserva é amido das florídeas.

– Algas Verdes: Algas com pigmentos fotossintetizantes com clorofila a e b, além de carotenoides e xantofilas. Sua substância de reserva é amido.