Tipos de Tecidos Vegetais


Nesse artigo você compreenderá um pouco sobre uma área chamada histologia vegetal, ou os tecidos das plantas. Essa área estuda os tecidos vitais e suas funções para os vegetais. São tecidos altamente especializados que surgem na estrutura da planta conforme ela cresce. Dessa maneira o tecido vegetal se configura por um agrupamento de células vegetais destinadas para determinada função. Quando ocorre o processo de embriogênese vegetal, existe o processo de formação dos meristemas, ou seja, células indiferenciadas que ficam nas regiões caulinar, apicais e radicular.

Tipos de Tecidos Vegetais

Durante todo o ciclo de vida as plantas crescem e sofrem diferenciação celular, afinal as células merismáticas, quando se dividem, uma célula fica no meristema de maneira diferenciada como uma célula inicial. Enquanto isso a outra muda.

Os tecidos chamados merismáticos tem divisão celular por mitose, isso concede o desenvolvimento dos tecidos e crescimento deles. Possuem um núcleo volumoso e citoplasma denso, além da parede celular com lamela média.

Cada um dessas células se diferencia de acordo com o material genético contido e herdado pelos pais. Isso, pois as células não são atingidas por um sistema nervoso que coordenaria a diferenciação.

Outro ponto de modificação é o de fatores ambientais com a quantidade de luz, nutrientes, solo, etc.

Mesmo com diferenciações celulares por conta de expressão genética, existe outro mecanismo de diferenciação que é da posição em que ela se encontra. Para que isso aconteça existe uma comunicação entre as células. A associação é chamada de tecidos vegetais que estão associados e agrupados para formar o sistema de tecidos. Eles são chamados de sistema vascular, sistema fundamental e sistema dérmico.

Tipos de tecido meristemáticos

• Primários: ficam na região apical de caules e dos ramos. Eles fazem o crescimento em extensão longitudinal do vegetal. Eles veem do sistema embrionário e estão no ápice da raiz e do caule. A divisão interna é: protoderme (origina da epiderme), meristema fundamental (origina tecidos fundamentais) e procâmbio (origina tecidos vasculares primários).

• Secundários: diferente dos meristemas primários eles possuem grandes vacúolos em seu citoplasma, ficam no cilindro central dos vegetais e estão ligados ao crescimento do vegetal em espessura. Nesse caso ele fica no cilindro central do caule e raiz, (chamado de câmbio) e na casca. O câmbio formará células ligadas ao líber ou floema para o lado externo. Já as células do lenho ou xilema estão ligados do lado interno. O felogênio formará a cortiça no lado externo e também células de um parênquima, o feloderma, para o lado interno.

Sistema fundamental dos tecidos vegetais

Agora você conhecerá os principais tecidos dos vegetais: parênquima, colênquima e esclerênquima.

• Parênquima: tem células vivas como vacúolo e parede celular delgada; existem tecidos que armazenam nas folhas os cloroplastos que fazem a fotossíntese, existem parênquimas de reserva que armazenam substâncias como o amido, ar, proteína e água.

• Colênquima: esses tecidos que auxiliam no suporte de órgão ainda em formação. Por esse motivo possui estrutura mais grossa de celulose, normalmente encontrados em vegetais em áreas mais novas.

• Esclerênquima: nesse caso são células mortas que tem impregnação de lignina, substância que gera a impermeabilização da planta. Estão nas áreas mais velhas da planta. Eles se apresentam em forma de fibras longas nos feixes e nos esclereídes que ficam em grupos isolados de tecido.

Classificação dos tecidos

Para facilitar o entendimento, existe uma classificação dos tecidos:

  • Tecidos protetores – epidérmico e suberoso – tem a função de proteção.
  • Tecidos embrionários – merismático – desenvolve o crescimento da planta.
  • Tecidos fundamentais – parênquima – tem a função de fotossíntese e armazenamento de substâncias.
  • Tecidos esqueléticos – colênquima e esclerênquima – sistema de sustentação.
  • Tecidos condutores – lenhosos e liberianos – tem a função de conduzir a seiva.
  • Tecidos secretores – glândulas – tem a função de secretar.

Sistemas vascular e dérmico

O sistema vascular possui o xilema e o floema. O xilema é o sistema que conduz água, sais minerais e nutrientes e é composto com células mortas com lignina; já o floema possui células vivas e faz o transporte de seiva elaborada de folhas em direção a raízes e caule. Ele fica embaixo da casca da planta, formada por célula chamada de elementos crivados. Elas formam a placa crivada que está associada a células parenquimáticas especiais.

Já o sistema dérmico possui a epiderme e periderme. O primeiro é a parte dérmica da planta e tem diferentes funções e estruturas. As células têm um revestimento feito por cutícula que fornece uma característica impermeável para a célula. Existem, também, as chamadas células guarda que fazem o processo que abre e fecha os poros, os estômatos.

Já a periderme é um tecido secundário de proteção dos vegetais. Ele tem aeração dos tecidos internos de caules e raízes. Ali também fica o súber.

Os tecidos vegetais possuem muitas divisões e subdivisões, por isso é preciso ficar atento às classificações.