O processo de divisão regional do território brasileiro


O Brasil é mundialmente conhecido por seu tamanho, o país possui 8.515.767 Km2 sendo considerado o maior país da América do Sul.

Com um território extremamente extenso o país necessitava ser dividido para maior organização, a divisão regional do Brasil, como conhecemos hoje, foi definida ainda no ano de 1970, e novamente adaptada em 1990. Mas antes disso, diversas outras tentativas de divisão foram feitas.

As primeiras divisões: administrativas

No ano de 1494 o “Tratado de Tordesilhas” foi responsável pela primeira divisão do que hoje conhecemos como território brasileiro. A partir dessa divisão a parte Leste do país deveria pertencer a Portugal, enquanto a Oeste pertencia a Espanha. Pode-se dizer que esta tentativa foi um fracasso, afinal muitos países europeus que iniciavam suas explorações em busca de novas terras não o respeitaram.

território brasileiro

Já no ano de 1534 sugiram as “Capitanias Hereditárias” responsáveis por recortar o país em 15 faixas de terra. Cada pedaço ficou sob a responsabilidade de um membro da corte que tinha total confiança do rei, sua tarefa era trabalhar para que a faixa de terra que a ele pertencia se desenvolvesse.

Foi só no ano de 1913 que a primeira proposta baseada na regionalização surgiu.

A regionalização do Brasil: Primeira divisão (1913)

Em um primeiro momento faz-se necessário entender o que significa o termo regionalização. Regionalizar, nada mais é do que separar em regiões, levando em consideração características apresentadas por cada lugar sejam elas, sociais, econômicas, geográficas, políticas ou culturais.

Agora se torna mais fácil compreender a primeira divisão, ocorrida no ano de 1913. Esta divisão foi feita com o intuito de ser utilizada na disciplina de Geografia, foi baseada somente em aspectos físicos, como por exemplo, o relevo, o clima e a vegetação. De acordo com essa divisão o Brasil teria cinco regiões: Meridional, Oriental, Norte Oriental, Central e Setentrional.

Dados do IBGE (Instituo Brasileiro de Geografia Estatística) órgão responsável pela divisão regional do país, apontam que o critério criado em 1913 teria sido utilizado em pesquisas até o ano de 1930.

A regionalização do Brasil: Segunda divisão (1940)

Por volta de 1940 o IBGE teria de montar o “Anuário estatístico do Brasil”, um documento com informações que variavam desde território e população, até desenvolvimento econômico.

A fim de resultados mais precisos uma nova divisão foi criada, considerando além de características físicas, também socioeconômicas. Ficando assim dividido: região Norte formada por Amazonas, Maranhão, Pará, Piauí e o Acre; em seguida o Centro composto por Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais; já a região Nordeste era representada pelos Estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas e Paraíba; também tinha o Leste, formado por Bahia, Espírito Santo e Sergipe; e por fim a região Sul composta, na época, por Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro.

Mas ainda assim, esta divisão não era oficial.

A regionalização do Brasil: Terceira divisão (1945)

Já no ano de 1945 o país passa a contar com sete regiões, sendo elas: Norte, Nordeste Ocidental e Oriental, Leste Setentrional e Meridional, Centro-Oeste e Sul. Outras mudanças também foram realizadas, com a nova divisão Paraná e Santa Catarina foram cortadas a oeste do Sul, ficando conhecidas como território de Iguaçu.

Além disso, no norte do Amazonas criaram o Rio Branco (atualmente Roraima), ao norte do Pará criou-se o Amapá e Mato Grosso perdeu duas porções de seu território, uma a noroeste (que ficou conhecida como Guaporé) e outra ao sul chamada Ponta Porã.

A regionalização do Brasil (1950-1960)

Cinco anos depois algumas coisas foram totalmente mudadas, por exemplo, Iguaçu e Ponta Porã foram extintos. Já o Nordeste ganhou mais dois estados (Maranhão e Piauí). Também a região Leste passou por mudanças, sendo composto a partir de 1950 por Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Dez anos mais tarde eventos significativos aconteceram, entre os quais: a criação de Brasília em 1960, assim o Distrito Federal, capital do país sai da região Sudeste e vai para Centro-Oeste. E, dois anos depois, em 1962 o Acre torna-se oficialmente um estado, e, a região que antes era conhecida por Rio Branco, passa a ser Roraima.

A regionalização do Brasil (1970-1990)

A partir de 1970 o país é dividido tal qual nós conhecemos hoje em dia. Foi criada nesse período a Região Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo) e o Nordeste ganhou dois novos estados (Bahia e Sergipe).

As mudanças realizadas em 1990 ocorreram devido a Constituição de 1988. Nesse período as principais mudanças foram a criação de Tocantins, que passou a ser da Região Norte. Além disso, três estados se tornaram independentes, sendo eles, Roraima, Amapá e Rondônia, e por fim, Fernando de Noronha é incorporado ao estado de Pernambuco, deixando de ser, simplesmente, um território Federal.