Casa sustentável


Vivemos em uma época em que os conceitos de sustentabilidade estão cada vez mais evidentes em nosso dia a dia. Os princípios de cuidado com o meio ambiente, do uso de energia renovável, de captação de água e do uso de produtos que obedecem as leis de sustentabilidade da cadeia de produção se tornam cada vez mais comuns, sendo um exemplo a ser seguido tanto no convívio social quanto na vida pessoal.

Nesse contexto, as práticas sustentáveis deixam de ser apenas algo a se fazer no coletivo, sendo indispensável o uso na vida privada, o que é revelado principalmente pela ampla conscientização das pessoas com relação à separação do lixo reciclável do lixo orgânico, do cuidado com a separação dos diferentes tipos de materiais recicláveis, na escolha de produtos mais sustentáveis e assim por diante, porém, é possível ir ainda mais longe, adquirindo projetos inovadores para o desenvolvimento de uma casa sustentável, que pode trazer grandes benefícios para o planeta e para o bolso, já que um dos principais atributos das casas sustentáveis é a economia que ela gera a longo prazo.

Casa

Porém, o projeto da casa sustentável ideal ainda está longe de ser popular. No dia a dia, muitas pessoas lidam com alguns princípios, mas ainda não entendem como funciona o projeto ou como ele poderia ser realmente viabilizado financeiramente. Para explicar um pouco mais sobre isso, preparamos esse conteúdo.

Uma casa sustentável já nasce assim

Um dos primeiros pontos que precisam ser levados em consideração no desenvolvimento de uma casa sustentável é o seguinte: se ela é projetada assim, ela se torna mais prática. Dessa forma, projetos novos têm maior acessibilidade e condições de se fazer um projeto ideal com um custo consideravelmente menor do que aquele que imaginamos quando falamos de casas sustentáveis.

Isso não significa, é claro, que casas ou mesmo apartamentos já construídos não podem receber adaptações para serem mais sustentáveis. Eles apenas têm algumas limitações a mais, que fazem uma grande diferença quando pensamos em economia e efetividade sustentável da obra. E por falar em obra, a sustentabilidade de um projeto pode ser enumerado em 3 pilares: captação de água, energia alternativa e uso de materiais sustentáveis.

• Captação de água – esse tipo de serviço pode ser feito de formas bem diferentes, tais como a simples captação de água para ser usada na descarga do banheiro, para lavar calçada ou mesmo para uso em limpeza do dia a dia, na captação de água que receberá um tratamento especial e então será utilizada para consumo, na abertura de poços artesianos e cisternas e no tratamento de esgotos. Em todos esses casos, a economia de água a longo prazo é o principal diferencial, se tornando inclusive uma vantagem econômica em grandes projetos, tais como condomínios ou empresas. Por falar em empresas, a indústria é a grande responsável pelas crises hídricas que assolam o país, logo, projetos voltados para a captação de água podem ser uma excelente solução de contenção a longo prazo.

• Energia alternativa – o uso de energia alternativa é um dos projetos mais procurados para residências, pois os seus benefícios são os mais percebidos em curto prazo. O uso de uma placa de captação de energia solar, por exemplo, pode reduzir em 80% a conta de luz no final do mês. Também já existem projetos modernos que canalizam a energia para os pontos onde há maiores gastos como os chuveiros ou eletrodomésticos, criando um sistema inteligente que ajuda a economizar agindo exatamente onde precisam. Ainda assim, uma das grandes críticas ao uso de energia alternativa é a manutenção dos projetos, o que tem estimulado a produção de materiais mais simples, como a energia fotovoltaica, que praticamente acaba com necessidades de manutenção periódica. O aquecimento solar também já vem se beneficiando, já que as placas estão se tornando cada vez mais eficientes, diminuindo a necessidade de produtos com manutenção mais complexa e, por consequência, mais cara.

• Materiais sustentáveis – talvez você não saiba, mas a indústria da construção civil é a segunda mais poluente do mundo e os principais responsáveis por isso são as tintas e a quantidade de dejetos despejados na natureza. Dessa forma, materiais alternativos como madeira plástica, casas que não utilizam tijolos, os blocos concretados e tintas sustentáveis oferecem soluções mais inteligentes e eficientes tanto para a natureza quanto para um projeto inovador.

O preço da sustentabilidade

Na prática, o projeto de uma casa sustentável já está muito mais em conta do que os valores que tínhamos a 5 anos atrás e a tendência é que eles abaixem cada vez mais. Ainda assim, as suas principais vantagens não são financeiras, visto que o cuidado com a sustentabilidade garante projetos que trarão benefícios para todos, contribuindo para reduzir as consequências do aquecimento global e trazendo novas esperanças para a vida de todos.