Cavernas: O que são cavernas


Cavernas são cavidades formadas em rochas. Para que seja considerada uma caverna, o tamanho da cavidade deve permitir a passagem de um ser humano adulto. Costumam ocorrer em terrenos formados por rochas sedimentares, rochas ígneas e metamórficas. Também podem ocorrer em geleiras e recifes de corais.

Outras denominações possíveis para as cavernas são: tocas, grutas, lapas, abismos.

Cavernas

Tipos de cavernas

As cavernas são classificadas em cavernas primárias ou cavernas secundárias. Esta classificação está relacionada com o período e a maneira como a caverna foi originada.

As cavernas primárias são aquelas em que a formação da cavidade rochosa é contemporânea à formação da rocha. Ou seja, a caverna originou-se junto com o processo de formação da rocha. Nestes casos, podemos citar as cavernas vulcânicas e as cavernas de corais.
As cavernas vulcânicas são aquelas formadas a partir do escorrimento da lava de vulcões ativos. No processo de expelir a lava, quando esta entra em contato com o ar mais frio e inicia-se o resfriamento, os caminhos que ela forma podem originar bolsões de ar, que dão origem às cavernas vulcânicas. Dentre as mais conhecidas, está a caverna de Kazumura, na ilha do Hawaí. Também há registros deste tipo de caverna no Quênia.

As cavernas de corais são formadas junto com o recife de corais. Quando se finaliza o processo e os corais estão solidificados, é possível adentrar em grandes salões e espaços formados nestes recifes.

As cavernas secundárias são aquelas que se originam depois da formação da rocha. O processo de formação mais comum é por abrasamento da rocha. Ou seja, há um desgaste na rocha, causado por um agente externo, como o vento ou a água de rios e chuvas.

Quando o processo de dissolução da rocha é feito pela água, tanto de chuvas quanto de rios, chamamos a caverna que se origina de caverna por carstificação.

Outro processo que pode dar origem há uma caverna é o processo de movimentação de placas tectônicas. As cavernas originárias deste processo, chamamos de cavernas de colapso. Ocorrem em rochas formadas por minerais que não são solúveis em água, como quartzo e gipsita.

As cavernas de gelo são cavernas formadas por qualquer um dos processos. Porém, como se localizam em locais com temperatura abaixo de zero, apresentam gelo em toda a sua formação.

As cavernas glaciais são cavernas formadas pela passagem de água no interior de geleiras. Estas cavernas mudam sua configuração com freqüência, mas são extremamente importantes para o estudo da paleoclimatologia.

As cavernas marinhas se localizam em costões de rochas submersos na água do mar. Podem ter diversas origens, tanto por erosão quanto por colapso mecânico.

Características das cavernas

As cavernas também podem ser classificadas quanto às suas características como umidade, topografia, presença ou não de luz.

Uma caverna é considerada seca quando não há presença de veios de água no seu interior. As cavernas úmidas são aquelas onde é possível encontrar espelhos de água, tanto rasos e possíveis de atravessar a pé, quanto profundos, que exigem equipamentos de segurança.

Quanto ao seu terreno, a sua topografia, podem ser classificadas como:

– Abrigo: Cavidades de grande abertura e pouca extensão. São usadas como abrigos de animais e pessoas.

– Tocas: possuem pouca extensão como os abrigos, grande abertura e terreno irregular. Possui só uma entrada e saída

– Grutas ou lapas: grande abertura frontal, terreno horizontal, com salões internos. Possui mais de uma entrada e saída.

– Fossos: grutas de formação vertical, com apenas uma entrada, com até 10 metros de profundidade.

– Abismos: grutas verticais, com mais de 10 metros de profundidade.

Importância das cavernas

As cavernas constituem um importante sistema ecológico e, para tanto, devem ser preservadas. Nas cavernas, há a existência de uma flora e uma fauna específica destas formações rochosas, que não é possível reproduzirem em outro local. Em relação à flora, devido à inexistência de luz na maioria delas, existem apenas fungos e sementes trazidas pelas águas.

A fauna constitui-se de animais que usam a caverna como abrigo temporário, como também daqueles que vivem tanto dentro quanto fora da caverna. Existem ainda aqueles que passam a vida no interior da caverna e por isto já possuem órgãos especializados para este ambiente. Estes animais são chamados de troglóbios. Geralmente possuem a visão atrofiada, mas o olfato bastante desenvolvido. Podemos citar peixes, aranhas e morcegos nesta categoria.

O estudo das cavernas é feito pela espeleologia. A espeleologia reúne conhecimentos das áreas da biologia, da arqueologia, da geografia e da história para o estudo de cavernas.

A preservação destes ambientes é importante para a sobrevivência dos animais que ali vivem. Além disto, é através das cavernas que os estudiosos conseguem amostras sobre como foi o planeta Terra em eras anteriores.

As cavernas também representam um atrativo turístico para algumas regiões. Entretanto, o turismo deve ser explorado com cuidado, de modo a não prejudicar estas formações rochosas.