Explosão Demográfica


Existe mais que 7 bilhões de indivíduos habitando o planeta Terra. Ao longo da história da humanidade, este número representa a maior concentração de indivíduos já vista.

Explosão Demográfica

Para compreender este fato, basta pensar que há pouco mais de 100 anos, a população mundial era de 1 bilhão de indivíduos. Observe as estatísticas:

  • Há dois mil anos: a Terra não ultrapassava 250 milhões de habitantes;
  • Em 1600: esse número dobrou, chegando a 500 milhões;
  • Em 1850: A Terra chegou ao número histórico de 1 bilhão de pessoas;
  • Em 1950: chegamos a 2,5 bilhões de habitantes na Terra;
  • Em 1985: Ultrapassamos a faixa dos 5 bilhões de habitantes;
  • Em 2010: a marca histórica de 7 bilhões de habitantes foi alcançada.

Mas o que será que aconteceu?

Ao interpretarmos esses dados de modo simplista, notamos que a população, para dobrar de 250 milhões de indivíduos para 500 milhões, levou 1600 anos.

Mas para que a população dobrasse novamente, foram necessários apenas 200 anos. Em seguida, chegamos à nossa maior surpresa: em pouco mais de 35 anos, a população mundial, que era de 2,5 bilhões de indivíduos em 1950, chegou a 5 bilhões em 1985.

O crescimento populacional elevado, intenso e extremamente veloz ocorrido a partir da década de 80 é o que caracteriza o que conhecemos hoje como “explosão demográfica”.

Principais características da explosão demográfica

Na comunidade acadêmica, uma explosão demográfica nada mais é do que o aumento repentino e elevado da população humana. Ela pode acontecer não só em âmbito mundial (como foi o caso do exemplo escolhido para ilustrar sua definição), como também em continentes, países, regiões específicas, municípios, bairros ou até mesmo em comunidades.

Grande parte das explosões demográficas já observadas ocorreu a partir do século XX, ou seja, após dado o início à “Era Cristã”, também conhecida como “Era Contemporânea”. Elas foram registradas em dois diferentes casos:

  • Após a introdução de novos métodos, condições ou tecnologias capazes de reduzir bruscamente as taxas de mortalidade – como é o caso do desenvolvimento de novas vacinas, cura para doenças, melhora na produção alimentícia e assim por diante;
  • Em casos de “baby boom”, ou seja, quando as taxas de natalidade são bruscamente aumentadas em determinada região. A razão para tantos nascimentos se dá principalmente quando a sociedade passa por algum tipo de ameaça, como em períodos de guerra ou na ocorrência de desastres naturais.

Antes da Era Contemporânea que vivemos agora, a contagem da população não era controlada amplamente como nos dias de hoje.

Porém, pesquisadores da área afirmam que as explosões demográficas já aconteciam há muito tempo em regiões e períodos específicos. Algumas delas foram:

  • Na transição da Era Paleolítica para o período Neolítico, ou seja, há 8.000 antes de Cristo;
  • No século XI, em meio à Idade média, a inclusão de novas técnicas no setor agrícola estimulou o crescimento das cidades e do comércio, promovendo uma explosão demográfica;
  • Durante a Revolução Urbana, estimulada após a descoberta da metalurgia, há 3.500 anos antes de Cristo. O período, conhecido como a “Idade dos Metais”, também levou a uma das maiores explosões demográficas registradas no passado.

Causas e consequências da explosão demográfica

As explosões demográficas são estimuladas a partir de novas tecnologias e descobertas – principalmente no âmbito da ciência e medicina.

A partir do século XX, tais novidades foram amplamente descobertas e disseminadas. Alguns exemplos são: surgimento de vacinas, melhora das técnicas de produtividade agrícola, surgimento de medicamentos antibióticos, penicilina e até mesmo a criação de produtos para promover a limpeza de ferimentos e mãos.

Atualmente, com mais de 7,5 bilhões de indivíduos na Terra, as principais causas que justificam a explosão demográfica são: urbanização, agricultura, industrialização e implantação de melhores técnicas médicas-sanitárias.

Quais são as consequências?

Com a explosão demográfica, o território que antes era ocupado por 10 pessoas para ser ocupado por 20, depois por 30 e assim por diante. Os efeitos nem sempre são positivos para a mãe natureza, e nem mesmo, para a economia de algumas nações.

Atualmente, a maior e grande consequência da explosão demográfica diz respeito à produção de alimentos suficientes para toda a população mundial. Não à toa, a procura por técnicas cada vez mais eficazes para o cultivo e produção alimentícia é constante.

Segundo dados estimados pela Organização das Nações Unidas (ONU), a previsão é de que, em 2050, a população mundial chegue a 9,2 bilhões de indivíduos, sendo este um crescimento de 30% quando em comparação ao ano de 2010.

Sendo assim, nota-se que as explosões demográficas já não seguirão a mesma tendência nos próximos anos. Mas, mesmo considerando o crescimento mais lento da população estimado daqui para frente, ainda há preocupação sobre a disponibilidade de condições e recursos o suficiente para o bem-estar e qualidade de vida de todos – o que reflete diretamente em problemas como extrema pobreza, fome, analfabetismo e outros.