O clima brasileiro


A atmosfera terrestre é uma camada gasosa que envolve o nosso planeta. A interação entre os elementos que formam esta camada, a energia solar e as características da superfície terrestre, tem como resultado o clima.

Por fazer parte dos processos gerais que caracterizam a natureza da Terra, não podemos considerar o clima como se fosse um fenômeno separado. Por mais que seja necessária uma separação entre o clima e os outros elementos da natureza para que possamos estuda-lo, temos que analisar os fenômenos do clima tentando assim entender a sua relação com estes outros elementos.

clima brasileiro

Ao mesmo tempo, é de conhecimento geral o fato de que nosso meio ambiente está bastante modificado pela ação humana. As transformações realizadas pela atividade industrial, pela urbanização ou pelos transportes, podem ser notadas nas águas, no solo e também, em muitos casos, principalmente a atmosfera. Os elementos do clima são as características identificáveis do estado da atmosfera que nos permitem diferenciar os diferentes tipos de clima no mundo. Entre tais características, podemos citar a temperatura, a umidade relativa do ar, a pressão atmosférica, a presença de micro-partículas no ar, estado do campo elétrico, velocidade dos ventos, etc.

O clima do Brasil

Ao se fazer uma generalização do clima brasileira, levando-se em conta os fatores de maior evidência, percebemos a maior parte de nosso território na faixa tropical, ou seja, entre os trópicos de câncer e de capricórnio. Desta maneira, vemos que as condições de recepção da energia solar são boas em quase todo o país.

A tropicalidade brasileira se reflete principalmente nos domínios da vegetação e na sua hidrografia. Quanto à primeira, mais de 90% da vegetação original do território brasileiro era de matas e de savanas tropicais, ficando de fora somente as araucárias e os campos meridionais. O regime de nossas bacias hidrográficas é pluvial, ou seja, controlado pelas chuvas, com exceção de alguns afluentes da bacia amazônica, que formam com o derretimento da neve dos Andes.

Porém, no território brasileiro podemos encontrar fortes variações do clima. Tais variações são uma consequência de outros fatores, entre eles a altitude e as massas de ar.

As massas de ar que atuam no Brasil

Ao analisarmos a atuação das massas de ar, voltamos a pensar na tropicalidade do Brasil, pois quase todo o clima brasileiro é controlado, na maior parte do ano, pelas massas tropicais e equatoriais. Somente ao sul do trópico de capricórnio a influência da massa polar é mais intensa.

As massas de ar são os fatores de maior intensidade no controle do clima, claro que sem se considerar a localização latitudinal, que determina inclusive quais as massas de ar que atuam em uma região. Porém, como a questão da localização é muito pouca dinâmica, já que só pode ser alterada pelo movimento extremamente lento dos continentes, fica com as massas de ar a formação e a sucessão dos tipos de tempo, que por sua vez podem se individualizar de acordo com os fatores locais, como altitude, orientação do relevo e uso do solo.

-Massa tropical Atlântica: é formada sobre o oceano Atlântico, entre os paralelos 20º e 30º, sendo assim é uma massa quente e úmida. Apresenta fácil penetração no continente sul-americano, dominando as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

-Massa Polar Atlântica: forma-se no Atlântico sul, próximo à região da Patagônia, portanto é uma massa fria e úmida. Tem forte influência sobre a região Sul do Brasil, durante o ano todo e nas outras regiões durante o inverno.

-Massa Equatorial Continental: formada sobre as terras baixas da Amazônia, esta é uma massa quente de elevada umidade. Por ser originada em uma zona de baixas pressões, tem a tendência de permanecer o ano todo naquela área, porém durante o verão acaba por se expandir em direção às regiões Centro-Oeste e Sudeste, tendo assim forte influência sobre estas.

-Massa Tropical Continental: é formada nas terras baixas do centro da América do Sul, na depressão do Chaco, sendo quente e seca. É um centro de atração, tendo assim uma influência secundária na dinâmica da circulação regional.

-Massa Equatorial Atlântica: forma-se ao norte do Equador, próximo ao arquipélago dos Açores, sendo assim quente e úmida. Sua influência também não é grande no território brasileiro, limitando-se ao litoral da região Norte e ao litoral setentrional do Nordeste.

Da relação entre estas massas de ar nascem os climas dominantes no Brasil. A influência de cada uma delas varia conforme a estação do ano, já que são diferentemente potencializadas de acordo com o balanço energético. Por exemplo, no verão, como a radiação é maior no hemisfério Sul, a Massa Tropical Atlântica ganha força e domina grande parte do território brasileiro, acontecendo o mesmo com a Massa Equatorial Atlântica. Porém, durante o período de inverno, a radiação diminui e assim, a força das massas tropicais e equatoriais também, a partir de então sobra espaço para a atuação da Massa Polar Atlântica, agora potencializada. Dessa dinâmica se formam os climas brasileiros.