Resumo sobre Centauro


Os Centauros são figuras mitológicas gregas, considerados seres fantásticos. Eles possuem metade do corpo humano e a outra metade cavalo. Como cavalo tinha virtudes maravilhosas, a mistura não era vista de maneira ruim ou negativa. Os centauros tinham a capacidade de socializar e se relacionar com os homens em geral.

Resumo sobre Centauro

Eles viviam nas florestas e montanhas, principalmente as regiões da Arcádia e Tessália, no Peloponeso Central e Sul da Macedônia, respectivamente. O mito surgiu, provavelmente, inspirado em tribos selvagens de regiões agrestes gregas. Outra possibilidade é que a de que veio das cavalarias nômades da Ásia Central, com os cimérios ou sarmátios, citas, hunos e turcos.

Segundo a lenda houve uma união proibida entre Íxion, rei da Tessália e a deusa Hera, esposa de Zeus. Vamos entender melhor como foi. No caso Íxion era o soberano de lápitas, vivendo nos montes Ossa e Pélion (Tessália). Apesar de serem socializados, por vezes eram violentos. Íxion foi o primeiro a matar um familiar e foi condenado por isso. Ainda nessas circunstâncias, Zeus o perdoou em um momento de bom humor. Íxion foi acolhido no reino dos deuses, mas cortejou Hera.

Zeus gera uma nuvem no formato da deusa, e se distraiu vendo o rival desonrá-la. O centauro se orgulha do feito, e Zeus atira Íxion no Hades, ou seja, o local que corresponde ao inferno na mitologia, preso a uma roda aonde arderia em chamas. Como houve uma relação entre Hera e Íxion, um ser meio cavalo meio homem foi concebido e batizado de Centauro ou Kentauros. Outros dois centauros são Quíron (filho de Cronos e Filira, filha do oceano) e Folo (filho de Sileno e a ninfa Melos). Esses dois não eram descendentes de Íxion, logo não eram agressivos como o ancestral.

A história de Quiron

Ele era conhecido pela sua arte em curar, pela sua devoção à humanidade, prática da justiça e do bem. Outra lenda diz que sua mãe pediu aos deuses para ficar longe da criatura que havia gerado, pois a considerada monstruosa. Assim, ela foi convertida em tília, uma árvore que dá folhas e flores medicinais. Outra versão é que sua mãe teria ficado com ele, ajudando-o a formar jovens guerreiros.

Na vida adulta Quiron acompanhou a deusa Diana em suas caças; com isso desenvolveu conhecimentos de astronomia, botânica, medicina e cirurgia. Com suas habilidades, passou o que sabia para heróis gregos. O centauro foi, certa vez, atingido acidentalmente por Hércules, o que gerou uma ferida incurável. Como sentia muita dor, implorou para se tornar mortal, dando a Prometeu a sua imortalidade. Mas Zeus o imortaliza de outra forma, representando-o na esfera celestial, na Constelação de Sagitário.

Outras histórias e características

Outra participação dos Centauros foi no confronto com os Lápitas. Enomau, monarca de Pisa, convidou alguns centauros para o casamento da filha. Ele destinaria a filha ao que vencesse uma corrida de carros. Apesar de ter derrotado diversos adversários, ele foi enganado por Piritos que derrotou o futuro sogro.

Mais uma lenda: Folo também foi morto por Hércules sem querer. Eram grandes amigos, mas ao receber a visita do herói, o centauro se alegrou e abriu a garrafa de vinho. Outros Centauros se sentem atraídos pelo cheiro da bebida, invadem a casa e são alvejados por Hércules. Desse modo Folo também é atingido pelo herói.

Mas a história não acaba aí. Durante a festa de casamento o centauro chamado Eríton bebe muito e tenta violar a noiva, ao passo que todos os outros centauros tentam o mesmo. Isso causou uma luta entre eles e os homens. Os centauros fogem para Tessália após e episódio.

Segundo interpretações dos estudiosos das mitologias, os centauros tinham a capacidade de salientar o conflito entre emoção e razão. Poderiam, portanto, refletir pelos seus atos. Em oposição, a parte inferior representava violência e impulsos sexuais.

Na literatura moderna

Os centauros também são encontrados na literatura moderna. Por exemplo, em As Crônicas de Nárnia de C. S. Lewis eles eram vistos como figuras nobres e sábias. Tinham o dom da cura e profecias, gostavam de guerrear, eram ferozes e valentes.

Já na série Harry Potter e J. K. Rowling, eles moravam na Floresta Proibida e eram vistos como inteligentes e orgulhosos. Tinha também a habilidade da cura, uso do arco e flecha, dom da profecia e prática da astrologia.

Uma terceira obra que apresenta os centauros é Percy Jackson e os Olimpianos de Rick Riordan. Na obra eram vistos como festeiros, selvagens e sem civilização. Quíron é o treinador de heróis, muito hábil e sábio.

Já na série Fablehaven, de Bradon Mull as figuras mitológicas também eram orgulhosas como em Harry Potter e, também, elitistas. Consideram-se melhores do que todas as outras criaturas existentes. Uma última obra é A História Sem Fim de Michael Ende. Nela existe Cairon um centauro muito sábio.