Predicado: Verbal, Nominal e Verbo-Nominal


A análise sintática, em Língua Portuguesa, consiste em analisar as funções que as palavras e expressões ocupam quando estão interagindo em uma oração. A oração, por sua vez, é um enunciado linguístico dotado de sentido, organizado pelo verbo e que contém três elementos principais: sujeito, verbo e complemento.

Entender o que é cada um desses elementos, suas funções em uma oração, os tipos diferentes que existem é fundamental para qualquer falante da Língua Portuguesa! É o básico para escrever e ler com eficiência. É por isso que, agora, você vai saber tudo sobre uma dessas partes que compõem uma oração.

Predicado

O que é predicado?

Você deve estar se perguntando: mas essa palavra não apareceu no primeiro parágrafo, quando foram citadas as partes que formam a oração. É porque o predicado é a junção de verbo e complemento, ou seja, tudo aquilo que a oração está dizendo sobre o sujeito.

Quando estamos fazendo uma análise sintática, o primeiro passo é encontrar o verbo, porque, com ele, poderemos localizar o sujeito. E, depois que o sujeito estiver devidamente identificado, tudo o que sobra é o predicado. Vamos ver alguns exemplos para entendermos melhor.

“As mulheres foram ao shopping.”

Qual é o verbo da oração? “Foram”. Quem foram? “As mulheres”, portanto, esse é o sujeito da frase. Tudo o que sobrou é o nosso predicado: “foram ao shopping”.

“A criança parece triste.”

O sujeito é “a criança”, afinal, é ela quem parece triste. Portanto, tirando “a criança”, o que sobra é “parece triste” e esse é o predicado. É importante entender que esse elemento que estamos estudando possui um significado, é o que caracteriza o sujeito ao qual se refere. Esse método de localizar o sujeito e classificar tudo o que sobra como predicado é apenas para agilizar a análise.

Como o predicado envolve o verbo e o complemento, a análise dessas duas partes faz parte dele.

• Transitividade Verbal

1. Verbo Transitivo Direto (V.T.D.): Entre ele e o complemento (chamado de objeto direto – O.D.), não há nenhuma preposição:

“Marcos comprou um livro.”

Predicado: comprou um livro
V.T.D.: comprou
Complemento (O.D.): um livro

2. Verbo Transitivo Indireto (V.T.I.): É caracterizado pela necessidade de uma preposição que o ligue ao seu complemento (chamado de objeto indireto – O.I.):

“Todos precisam de trabalho.”

Predicado: precisam de trabalho
V.T.I.: precisam
Complemento (O.I.): DE trabalho (DE = preposição)

3. Verbo Transitivo Direto e Indireto (V.T.D.I.): vai se relacionar com dois objetos, em um deles haverá preposição e em outro não:

“Eu entreguei o livro ao aluno.”

Predicado: entreguei o livro ao aluno
V.T.D.I.: entreguei
O.D.: o livro
O.I.: ao aluno

4. Verbo Intransitivo (V.I.): é o que não precisa de nenhum complemento para ser compreendido, portanto, não possui objeto:

“O homem morreu.”

Predicado: morreu
V.I.: morreu

“O bebê chorou.”

Predicado: chorou
V.I.: chorou

Também pode aparecer o verbo de ligação, que, em vez de indicar uma ação do sujeito, vai indicar o estado em que ele se encontra. Nesse caso, o complemento é o predicativo do sujeito:

“O cão está doente.”

Predicado: está doente
Verbo de ligação: está
Predicativo do sujeito: doente

Verbos com dupla transitividade

Alguns verbos podem ser transitivos e intransitivos, dependendo do contexto em que são empregados.

Um exemplo é o verbo dormir, que pode ser intransitivo ou transitivo direto. Veja nas orações seguintes:

“Minha mãe já dormiu.” – V.I., não possui nenhum complemento.
“O bebê dormiu um sono agitado.” – V.T.D., tem como O.D. o termo “um sono agitado”.

Tipos de Predicado

Existem três tipos diferentes: verbal, nominal e verbo-nominal

1. Predicado verbal: é o que indica uma ação. Portanto, o núcleo, ou seja, a palavra mais importante, é o verbo, que pode ser transitivo ou intransitivo:

“Os professores conversaram muito.”

Predicado verbal: conversaram muito
Núcleo: conversaram (V.I.)

“Maria foi à feira.”

Predicado verbal: foi à feira
Núcleo: foi (V.T.I.)

2. Predicado nominal: nesse caso, indica o estado em que o sujeito se encontra. Por isso, aparece um verbo chamado verbo de ligação (V.L.) e o complemento não é chamado de objeto, mas de predicativo do sujeito:

“João está triste.”

Predicado nominal: está triste
V.L.: está (perceba que não indica uma ação)
Predicativo do sujeito: triste.

3. Predicado verbo-nominal: ele indica ao mesmo tempo uma ação e um estado do sujeito, como nos casos a seguir:

“A aluna chegou atrasada para a prova.”

Predicado verbo-nominal: chegou atrasada para a prova
Ação: chegou
Estado: atrasada

“Os meninos andavam quietos.”

Predicado verbo-nominal: andavam quietos
Ação: andavam
Estado: quietos

A melhor maneira de absorver todo esse conteúdo é praticando! A dica é: separe orações de algum livro que esteja lendo ou até de um jornal e tente analisá-las. Identifique verbo, sujeito, predicado e classifique-os. Em pouco tempo, você estará dominando o assunto!