Regência do verbo falar


Hoje o assunto é língua portuguesa, mais especificamente a regência de verbos, conteúdo que faz muita gente “tremer na base”. Nesse artigo o verbo em questão é “falar”.

De acordo com o “Dicionário Informal” falar é um verbo transitivo indireto que refere-se à palavra humana, ou mesmo, orar, dizer e discorrer.

“Opa”, mas espera um pouco: o que significa verbo transitivo indireto?

Caso você não se lembre dessa parte do conteúdo relaxe, afinal, estamos aqui para facilitar a sua vida, quer ver só?

verbo falar

Como assim verbo ser transitivo?

Certamente em algum momento de sua vida escolar você deve ter ouvido falar em “transitividade dos verbos”, e acompanhado disso, também ouviu sobre o verbo ser direto, ou, indireto.

Bem, já é mais do que óbvio que tanto a transitividade, quanto o direto e o indireto, referem-se a uma classe específica de palavras: o verbo, isso mesmo. Agora faça um favor diga-nos qual a definição mais comum para verbo? Se você respondeu “palavra que tem por objetivo indicar ação, ou, estado”, você está mais do que correto.

Vamos por partes, na classe de verbos que tem por meta indicar uma ação há aqueles que necessitam de um complemento, e outros que não necessitam. Ainda dentro dos que exigem o complemento há os que pedem uma preposição.

Pois bem, um verbo transitivo é aquele que exige um complemento. Mas, você pode estar se perguntando: Como vou saber se é direto, ou, indireto? Simples caro estudante:

– Verbo Transitivo Direto: expressa uma ação, apresenta um complemento e tal complemento não é regido por uma preposição.

– Verbo Transitivo Indireto: igualmente indica uma ação, da mesma forma apresenta um complemento que dessa vez será regido por uma preposição.

Entendido isso passamos para próxima fase.

O verbo falar

Assim como em outros campos de conhecimento cabe ressaltar que toda regra tem uma exceção e com os verbos transitivos não seria diferente. A chamada “transitividade verbal” não é necessariamente fixa e é exatamente o que acontece com o verbo falar.

Vamos aos exemplos, assim facilita a compreensão:

1- A mulher fala;

2- A mulher fala inglês;

3- A mulher fala de política;

4- A mulher fala a questão a amiga;

Repare que em cada um dos exemplos descritos a ação de “falar” apresenta uma “transitividade” nada semelhante.

– No exemplo número 1 não há nenhum tipo de complemento, portanto aqui, o verbo falar é INTRANSITIVO, e não, transitivo. – A título de conhecimento um verbo intransitivo é aquele que não vem acompanhado de complemento -. Logo, no primeiro exemplo simplesmente indicamos que alguém fala pelo simples fato de falar, meio confuso não? Calma, com os outros exemplos você vai entender melhor.

– Já no número 2 existe um complemento, entretanto, o mesmo não rege nenhuma preposição, logo, falar é classificado como verbo transitivo direto. Afinal se a mulher fala, ela fala alguma coisa – no caso inglês -.

– Em contrapartida o terceiro exemplo nos traz um complemento regido por uma preposição, sendo assim, falar no exemplo número 3 é um verbo transitivo indireto, já que quem fala, fala de algo – o algo em questão é política -.

– Por fim o último exemplo é o mais difícil de ser compreendido, afinal aqui falar irá assumir as características de um verbo transitivo de natureza direta, mas também, indireta. Afinal a mulher fala, além disso, fala algo, e ao mesmo tempo, fala a alguém.

No início parece um pouco confuso, mas acredite com o tempo você se habitua, e assim não será nada difícil compreender quais verbos são transitivos, quais intransitivos, diretos, ou mesmo, indiretos.

O conselho básico é que você compreenda primeiramente a definição de cada um dos conceitos, na sequência entenda cada verbo de forma isolada e só então você estará preparado para analisá-los nas orações.

Mais particularidades do verbo falar

Vale chamar atenção para o sentido da palavra que não muda apesar de todas as alterações que sofre enquanto verbo, ou seja, falar é sempre falar. Mas vá com calma, afinal, nem todos os verbos são assim tão “camaradas” quanto o falar, alguns podem apresentar até mesmo erros gramaticais, de construção, e, por que não de transitividade.

Tome cuidado com verbos como: perdoar, esquecer, implicar, lembrar e alguns outros, afinal, tais verbos podem possuir vários tipos de transitividade e até mesmo formas de escrever.

O que isso tem haver comigo?

Talvez você esteja se perguntando qual a necessidade de estudar o conteúdo desse artigo, pois bem, além de dicas como essa serem úteis na hora de construir frases, elas também auxiliam na compreensão da relação estabelecida pelo verbo, seus complementos e preposições que o regem, por isso é tão importante.

No mais espero que o conteúdo tenha lhe ajudado, e lembre-se, não deixe de estudar língua portuguesa, afinal, é um conteúdo dinâmico que de tempos em tempos passa por transformações. Até o próximo artigo!