Resumo da Arte Egípcia


A arte egípcia é a tradição artística e cultural da civilização do Antigo Egito, que habitou o vale do rio Nilo no Norte da África. A arte dos antigos egípcios teve como principal influência a religiosidade daquele povo durante um longo espaço de tempo, compreendido aproximadamente pelos últimos 3000 anos a.C., e ajudou a estabelecer diferentes períodos que ajudam na classificação das diversas variedades de estilos. Esses períodos constituem uma importante fonte para se obter um resumo da arte egípcia. Os principais períodos são:

• Época Tinita
• Império Antigo
• Império Médio
• Império Novo
• Época baixa
• Período Ptolemaico

Arte Egípcia

Ainda há diversos outros períodos intermediários, que ajudaram na transição de uma grande época para outra, ou na ruptura do estilo de um período para o estilo do próximo. No entanto, esses períodos intermediários são marcados pelo obscurantismo em todas as esferas da sociedade egípcia, o que dificulta a sua interpretação e não fazem deles um objeto de estudo para se obter um resumo da arte egípcia.

Temas e objetivos da arte egípcia

As manifestações artísticas dos antigos egípcios objetivavam a agradar, e expressar, a política e a religião. Para entender como isso se dava é necessário compreender a figura do soberano absoluto daquele povo, o faraó. Os faraós egípcios eram considerados como representantes de Deus no mundo, além exercerem seu papel político de governantes supremos, e é justamente é essa dualidade que marcará intensamente a manifestação artística do Egito Antigo e constituir um resumo da arte egípcia.

A arte dos antigos egípcios buscava sempre representar, homenagear e venerar o faraó e várias divindades da religiosidade e mitologia daquele povo. Os objetos em que o povo egípcio usava para manifestar sua arte eram principalmente peças ou espaços vinculados ao culto dos mortos, uma vez que que a passagem da vida para a morte era vista por aquele povo como a transição da vida terra para a vida após a morte, considerada a vida eterna e plena.

O povo do Antigo Egito cria que o faraó, bem como todos os seus familiares e membros da alta sociedade possuíam a regalia de ter acesso à vida após a morte. Tendo em vista esta crença, se pode entender por que os túmulos do Antigo Egito são o marco mais significativo da sua arte, uma vez que são lá o local de depósito das múmias dos faraós e de todos os seus bens materiais. No Antigo Egito se acreditava que a alma, após a morte do corpo físico, necessitaria desses bens para fazer a transição para o outro mundo.

O papel das cores na arte egípcia

A exemplo da arte grega, a arte egípcia estimava muito as cores. As múmias e o interior de túmulos e tempos eram extremamente coloridos, e não cinzentos e sem vida como vemos hoje. A passagem do tempo se encarregou de desbotar a arte egípcia e fez com que se criasse a imagem popular da múmia como sendo um cadáver envolto em fitas brancas, quando na verdade era um corpo ricamente adornado e colorido, por exemplo.

Além dessa função decorativa que as cores tinham na tradição artística do Egito Antigo, elas também possuíam um caráter de forte simbolismo, que impregna toda a arte egípcia. E a partir da compreensão do significado de cada cor na arte daquele povo se pode obter um resumo da arte egípcia.

• Branco – Era cor representativa da pureza e também da verdade. O branco era obtido através da cal ou do gesso. Artisticamente era usado na indumentária de sacerdotes e em objetos ritualísticos. Os tempos, e também muitas casas, eram pintadas de branco. Os egípcios antigos também tinham um preferência por flores brancas, devido ao significado que esta cor tinha para eles.
• Preto – Obtido a partir do carvão, o preto representava a morte e a noite. Outro significado atribuído a esta cor pelos antigos egípcios era o da fertilidade e renovação, devido a inundação anual do rio Nilo, que era responsável por trazer uma terra negra que fertilizava o solo. Artisticamente, o preto era usado em sobrancelhas, perucas, bocas e olhos. Osíris, um deus do Antigo Egito, era constantemente representado com a pele inteiramente negra.
• Vermelho – Esta cor possuía dois significados para os egípcios antigos. Primeiro ea a cor associada à sexualidade, ao poder e a energia. Segundo, era a cor ligada a maldade, devido ao deus Set, um deus maléfico na mitologia egípcia, que era representado com olhos e cabelos pintados de vermelho. O vermelho era conseguido através de ocres.
• Verde – Obtido através da malaquite do monte Sinai, o verde simbolizava a vida.
• Amarelo – Esta cor representava a eternidade, uma vez que o sol e o ouro eram amarelos. Todas as obras artísticas mais importantes feitas pelo egípcios antigos eram feitas com ouro, como estátuas de deuses, objetos funerários de faraós e etc. O amarelo era obtido do óximo de ferro hidratado.
• Azul – Era a cor representativa do céu e das águas, principalmente as do rio Nilo. Era obtido a partir do carbonato de cobre.