Resumo dos Mitos Gregos


A mitologia grega é compreendida como sendo o conjunto de ensinamentos pertencentes à Grécia Antiga, a respeito de seus deuses e heróis, da cosmologia do universo e da origem de seus costumes e rituais. Os mitos gregos integravam a própria religiosidade da Grécia Antiga.

Ao longo dos Séculos a mitologia grega foi fonte de inspiração para a cultura ocidental, influenciando sua arte e cultura. Assim como no passado, hoje os mitos gregos ainda são a inspiração de muitos poetas, escritores e escultores.

Além da influência exercida sobre a arte, os mitos gregos também influenciaram a ciência e a religião modernas. Por exemplo, os nomes dos planetas do sistema solar derivam da mitologia da Antiga Grécia e religiões neo-pagãs, como a Wicca, são fortemente influenciadas pelas crenças geradas a partir da mitologia grega.

Mitos Gregos

Essa perpetuação da antiga mitologia grega ao longo dos tempos oferece um resumo dos mitos gregos e de sua importância sobre a civilização como um todo.

História da Mitologia Grega

A criação da mitologia grega não é um patrimônio exclusivo dos gregos antigos, mas sim de um intercâmbio cultural entre a Grécia e diversas civilizações antigas, como o europeus, os pré-gregos, além dos asiáticos e egípcios e de todos os demais povos com quem a Antiga Grécia se relacionou de alguma forma.

O sucesso da mitologia grega através do tempo se deve a sua incrível capacidade de transformação e adaptação às diferentes épocas em que a cultura grega esteve inserida. E esta capacidade foi um fator importante para enriquecer ainda mais a própria mitologia dos gregos.

A poesia épica teve uma papel fundamental na perpetuação e popularidade da mitologia grega, além de ter possuído a importante função de estabelecer uma cronologia dos mitos gregos. Muitas das histórias da mitologia grega são contraditórias entre si, o que impossibilita o estabelecimento de um cronograma fidedigno a seu respeito, mas se pode supor um cronograma aceitável a partir da compreensão de seus três principais períodos. Estes períodos, aliás, constituem um resumo dos mitos gregos, são eles:

• Mito da Origem – Era dos Deuses: Este período é caracterizado pela teogonia, ou seja, a especulação sobre o surgimento dos deuses, e pela cosmogonia, que é a especulação a respeito do surgimento do universo.
• Era da interação entre homens e Deuses: Este período tem como principal característica a interação de homens, seres mortais, com os deuses gregos antigos e semideuses.
• Era Heroica: Este período tem como marca principal o declínio do papel dos deuses na antiga civilização grega, que passa a venerar com mais intensidade seus heróis.

A Era da interação entre homens e deuses é o principal ponto de interesse entre os estudantes contemporâneos da mitologia da grega, entretanto a Era Heroica sempre foi alvo de grande fascínio e objeto principal de estudo dos acadêmicos mais antigos. Por exemplo, as obras heroicas Ilíada e Odisseia exerceram maior interesse sobre os estudiosos ao longo dos tempos do que o estudo da teogonia grega. Ainda hoje estas duas obras possuem maior destaque e popularidade, entre aqueles que estudam a mitologia grega, do que a origem dos deuses.

As obras de Homero foi responsável por uma reorganização na religiosidade grega, com a separação do reino dos deuses do reino dos mortos, também chamado de Hades.

Fontes da Mitologia Grega

Os mitos gregos chegaram aos dias atuais graças à antiga literatura grega e tradições artísticas, como as obras em cerâmica que ilustram o Período Geométrico em diante.

A narrativa mítica exerceu um papel fundamental em praticamente todos os gêneros da literatura grega. Entretanto, a única obra mitográfica que sobreviveu ao longo dos anos foi a Biblioteca Mitológica, que busca conciliar os pontos contraditórios da obra poética da Grécia Antiga e faz um resumo dos mitos gregos. Essa biblioteca foi de propriedade de um escritor conhecido como Pseudo-Apolodoro, já que o verdadeiro Apolodoro viveu no período compreendido entre 180 e 120 a.C, e muitos dos acontecimentos encontrados na Biblioteca Mitológica são posteriores a sua morte, daí o termo “Pseudo”-Apolodoro.

As duas obras épicas de Homero, Ilíada e Odisseia, são a principal fonte de informações e estudos sobre a Era Heroica. A obra Teogonia, de Hesíodo, provavelmente um contemporâneo de Homero, é o principal documento de estudo sobre a Era dos Deuses. Em Teogonia, Hesíodo busca uma genealogia dos deuses gregos e elabora uma explicação para a origem dos Titãs e dos Gigantes.

Além da literatura, outra importante fonte de informação sobre os mitos gregos é a arqueologia. A partir da descoberta da Civilização Micênica pelo alemão Heinrich Schilemann, no Século XIX, e da descoberta da Civilização Minoica pelo arqueólogo inglês Arthur Evans, já no Século XX, foram fundamentais para o esclarecimento de dúvidas acerca das obras épicas de Homero e pelo preenchimento de diversas lacunas na mitologia grega, como a crença em deuses e em heróis.

A junção das obras literárias sobreviventes da Grécia Antiga com os achados arqueológicos dos Séculos XIX e XX puderam oferecer a civilização moderna um resumo dos mitos gregos.