Afonso Pena


Afonso Pena foi um político mineiro que deu início à sua carreira política no estado de Minas Gerais, exercendo a função de deputado estadual no ano de 1874. Alguns anos mais tarde ele também se tornou deputado federal, defendendo sua nação em âmbito nacional. Mas a sua carreira no poder não parou por aí: ele também foi governador do estado de Minas Gerais e vice-presidente do parlamentar Rodrigues Alves, em 1906.

Biografia de Afonso Pena

O político Afonso Augusto Moreira Pena nasceu em 1847, especificadamente em 30 de novembro, na pequena cidade de Santa Bárbara. O ex-vice-presidente é filho de um imigrante de Portugal, que no caso, chegou a Minas Gerais exatamente com o mesmo intuito do que os outros portugueses nesta época (no começo do século XIX): pela procura do ouro.

Afonso

Afonso Pena foi estudante de Direito, na capital paulista. Seu início na política foi em 1874, como já falamos anteriormente, exercendo o cargo de deputado provincial. Em seguida ele manteve sendo eleito como deputado por mais quatro diferentes legislaturas, entre os anos de 1878 e 1889.

Mas além de exercer cargos legislativos, ele também teve a sua atuação política marcada pelo Poder Executivo, sendo ele o chefe dos Ministérios da Guerra no ano de 1882, chefe da Agricultura, no ano seguinte, e chefe da Justiça no ano de 1885.

Outro fator que marcou a carreira política de Afonso Pena foi a Proclamação da República, já que a partir desse marco na história do nosso país, Pena se tornou deputado constituinte, no ano de 1890. Além disso, também se tornou governador do estado de Minas Gerais, em 1892. Neste último cargo ele promulgou a lei que alterou a própria capital mineira, localizada em Ouro Preto, para a região de Curral Del Rel, onde a capital atual, Belo Horizonte, foi projetada e construída.

Mas certamente a maior contribuição que Afonso Pena trouxe para a política brasileira foi quando se tornou presidente da República, no ano de 1906. Ele foi integralmente apoiado pela aliança política que tinha como base a política do café com leite, formada pelos mineiros e paulistanos.

A medida de maior importância para Afonso Pena, e coincidentemente, a primeira que ele tornou possível, tinha relação com a valorização do café, uma vez que a produção cafeeira no país era uma das principais atividades econômicas durante este período.

Uma das ações que favoreceu os produtores de café foi a criação do Convênio de Taubaté. O principal objetivo do espaço era estabelecer que, para que fosse possível manter o valor do café como produto, o Governo deveria se comprometer a comprar todos os estoques excedentes.

Além disso, Afonso Pena também realizou reformas nos principais portos do país, com o intuito de torná-los modernos o suficiente, possibilitando a melhora do escoamento do café.

Entre as principais medidas tomadas por Afonso Pena assim que ele assumiu a presidência estão:

• Construção de estradas de ferro e de demais portos;

• Amplificação da colonização no interior do país;

• Terceirização de mão de obra, que neste período, começou a entrar do continente europeu. O governo brasileiro foi responsável por estimular de forma bem agressiva a imigração, principalmente no que se refere ao povo italiano;

• Reestruturação do exército brasileiro. Em 1908, o serviço militar tornou-se obrigatório;

• Aumentar e melhorar a rede de comunicação brasileira, integrando-a com outros estados, como Rio de Janeiro e Amazônia, também foi uma de suas medidas. Para fazer isso, em 1907, ele foi um dos percursores no uso da tecnologia do telégrafo.

Mais características sobre o governo de Afonso Pena

E por mais que a carreira política de Afonso Pena tenha sido extremamente positiva, e assim considerada também por seus percussores, nem tudo correu às mil maravilhas – principalmente após ele ter assumido a governança do país.

No ano de 1908, especificadamente, no terceiro ano de seu mandado político, Afonso Pena perdeu uma boa parcela do seu apoio político por conta de uma decisão que, hoje, não seria considerada tão agressiva: o então presidente delegou a sua assessoria política a uma equipe de ‘jovens líderes’. Porém, para o tradicionalismo presente nesta época, a atitude ajudava a impulsionar a política do país para baixo.

Foi assim que a imagem política de Afonso Pena começou a ficar abalada. Nesse mesmo período, algumas camadas de trabalhadores brasileiros e imigrantes organizaram-se para reivindicar condições mais agradáveis de trabalho, época em que as primeiras manifestações trabalhistas começaram a ocorrer no país.

Junto com os acontecimentos e também com o falecimento do seu segundo filho, o quadro de saúde de Afonso Pena começou a ficar cada vez mais abalado. Em 1909 ele foi diagnosticado com pneumonia, que inclusive foi o que ocasionou a sua morte em 14 de junho daquele mesmo ano, no Rio de Janeiro, antes mesmo que seu mandato como presidente tivesse chegado ao fim.