Resumo Maquiavel


A história do pensamento e consequente reflexão humana é marcada por importantes períodos históricos, que tiveram (e ainda têm) uma importância ímpar para tornar o mundo o que ele é hoje. Das reflexões dos chineses antigos, do consagrado pensamento dos filósofos gregos, da escolástica medieval e do Renascimento na Europa do século XIV.

Resumo Maquiavel

No Renascimento, ocorre um regaste do humanismo, da razão, da observação através da pesquisa, e neste aspecto propunha uma ruptura com o pensamento medieval, baseado no estudo de grandes autoridades da Grécia Antiga e dos primeiros Padres da Igreja Católica.

Portanto, se altera o pensamento se alteram também os valores. Antropocentrismo (o homem como o centro, e não mais Deus), o hedonismo (prazer maior da vida), racionalismo (pensamento pautado pela lógica) e individualismo (liberdade do indivíduo perante ao estado ou à sociedade) são apenas alguns exemplos dos novos valores. É neste contexto que surge um dos mais importantes pensadores da época: Maquiavel.

Na sequência, iremos olhar com mais calma a vida e o obra do autor, destacando sua importância para o movimento da época e sua relevância no pensamento atual. Em outras palavras, será feito um resumo Maquiavel, procurando englobar diferentes aspectos.

Vida

Niccolò di Bernardo dei Machiavelli ou simplesmente Nicolau Maquiavel, é um italiano nascido em Florença (1527). Considerado um dos mais importantes pensadores da época, foi músico, poeta, diplomata e historiador. Nascido em uma família pobre, sua educação não foi tão extensa e completa quando comparada a de outros humanistas, mas nada disso diminui a grandeza de sua obra.

Fazendo um rápido resumo sobre Maquiavel, sua carreira começa na República de Florença, na qual exerceu importantes cargos governamentais e realizou inúmeras missões diplomáticas. Esta época foi tão importante que muitos historiadores encontram evidência em sua obra que apontam a diplomacia como base de seu pensamento.

Como parte de seu trabalho, em 1502 recebe o inescrupuloso César Bórquia, filho do futuro Papa Alexandre VI. A missão dos Bórquia era muito clara: entender ao máximo o domínio sobre as terras italianas. Além de tratar de assuntos diplomáticos, Maquiavel propôs a troca dos mercenários (conquistadores) pela milícia nacional, projeto que foi aprovado e funcionou por 12 anos, quando em 1512, com o fim da República, perde seu cargo.

Na sequência, os Médici assumem o poder, e o pensador, oposto ao governo, foi preso em 1513 sob a justificativa de conspirar contra os Médici e exilado próximo à Florença. É neste período que escreve a maior parte de suas obras.

Obra

O historiador tem três grandes obras: O Príncipe, Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio e A arte da guerra. O primeiro é considerado o mais conhecido, e por isso o analisaremos primeiro, deixando claro que será feito um breve resumo Maquiavel, já que as obras são muito mais complexas do que exposto aqui.

O Príncipe é uma obra que nasce no primeiro ano de exílio de Maquiavel, no ano de 1513. Existem duas versões sobre o nascimento da obra. A primeira crê que a obra nasceu da aliança entre o Papa Leão X e Juliano de Médici, na qual o autor via a esperança de unificação da Itália e de defesa contra possíveis invasões de estrangeiros. A segunda dá conta de que o livro na verdade é uma tentativa de obter favores dos Médici.

Independente da versão, o livro se estrutura em 26 capítulos. Nos capítulos iniciais, é feito um levantamento sobre os diferentes tipos de principado e os aspectos que caracterizam cada um. Na sequência, aborda a estrutura do governo e a necessidade de se ter um exército propriamente dito, e baseado não em mercenários, e sobre as fraquezas que assolam os estados italianos. Assim, a conclusão do livro é um apelo para que o príncipe conquiste para depois libertar a Itália.

Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio é um livro que difere sobre o primeiro por sua temática, mas não menos interessante. É uma obra comparativa, na qual o autor compara os estados da Itália do tempo em que viveu com a obra de Tito Lívio, Ab urbe condita (Desde a fundação da cidade), o pensador romano que descreve a história desde a criação de Roma (753 a.C.) até o início do século I. Nas primeiras, segunda e terceira partes, Maquiavel aborda respectivamente a fundação e organização, o enriquecimento e expansão e a decadência dos estados.

Por fim, em A arte da Guerra, o autor lança o primeiro livro publicado durante sua vida (os outros foram póstumos), no qual defende que os cidadãos devem estar militarmente preparados e sobre como criar e manter uma força militar verdadeiramente preparada.

Portanto, com este breve resumo sobre Nicolau Maquiavel, esperamos ter mostrado o quanto o pensador foi importante na época do Renascimento, cujas bases até hoje influencia o modo como vivemos e encaramos o mundo.