Resumo sobre Albert Einstein


O físico alemão Albert Einstein foi um dos maiores cientistas da história da humanidade. Autor da Teoria da Relatividade, Einstein ganhou, em 1921, o Prêmio Nobel de Física pelo estudo que fundamentou a teoria quântica. Einstein revolucionou o mundo científico com a Teoria da Relatividade, cujos estudos iniciais foram apresentados, em 1905, aos 26 anos de idade.

Resumo sobre Albert Einstein

Einstein, em seus estudos, concluiu que não havia distinção entre matéria e energia, as quais possuíam massas equivalentes. A equação E= mc² é considerada como o marco da evolução da energia atômica.

Filho dos judeus Hermann Einstein e Pauline Koch, Albert Einstein nasceu, no dia 14 de março de 1879, em Ulm, cidade alemã onde os pais fixaram residência após o casamento, em 1876. Naquela época, o pai do futuro cientista trabalhava com o comércio de penas para a fabricação de colchões.

A família mudou-se para Munique, em 1880, quando Einstein completou um ano de idade. Aprendeu a tocar violino quando tinha apenas seis anos de idade. Até o fim da vida, o violino foi seu hobby. O pai e o tio de Einstein, Jacob, fundaram, em 1885, um novo negócio. Passaram a trabalhar com a venda de material elétrico.

Formação acadêmica de Einstein

Naquele ano, Einstein iniciou os estudos em Munique, em uma escola católica. Posteriormente, foi para o Luitpold Gymnasiumon, onde estudou por 15 anos. No início da adolescência, Einstein já demonstrava a sua genialidade nos estudos de matemática e física. Além dos números, também se interessava muito por literatura e filosofia, com destaque para os filósofos Kant, Leibniz e Hume.

Dez anos mais tarde, devido a dificuldades no comércio, a família foi obrigada a partir para a Itália. Einstein ficou em Munique até o fim do ano escolar. Ele tentou uma vaga na escola Eidgenössische Technische Hochschule (ETH), em Zurique (Suíça), mas não obteve êxito nos exames de ciências humanas.

Decidiu, então, concluir o ensino secundário em outra escola suíça. Formou-se, em 1896. Após renunciar à cidadania alemã, aos 17 anos de idade, Einstein, ficou um período sem nacionalidade oficial. Somente, em 1901, tornou-se cidadão suíço. Na Suíça, ele conclui o ensino superior no Instituto Politécnico, tornando-se professor, alguns anos mais tarde.

Einstein casou-se, em 1903, com Mileva Maric, com quem teve três filhos. A primogênita, Lieserl, nasceu antes do casamento, mas morreu ainda bebê. O filho Eduard, formado em literatura e música, sofria de esquizofrenia e acabou internado em um hospital psiquiátrico suíço, local onde faleceu. Hans Albert formou-se professor de hidráulica, sendo contratado pela Universidade da Califórnia.

Trajetória científica de Einstein

Com a publicação da obra “Annalen der Physik” (Anais da Física), em 1905, Einstein expôs seus estudos sobre eletrodinâmica, fenômeno fotoelétrico, equivalência entre massa inerte e energia, dimensões moleculares. Estes trabalhos fundamentaram a teoria quântica, a teoria da relatividade restrita e a teoria atômica da matéria.

Einstein deu aulas nas cidades de Zurique, Praga e Berna, no período de 1909 a 1913. Só retornou à Alemanha em 1914, antes que a Primeira Guerra Mundial fosse deflagrada. Foi pesquisador na Academia Prussiana de Ciências. Ao mesmo tempo, lecionou na Universidade de Berlim e dirigiu o Instituto Wilhelm de Física.

Teoria da Relatividade

O cientista apresentou a Teoria da Relatividade, em 1915. O “Fundamento Geral da Teoria da Relatividade” foi publicado em 1916. Três anos depois, já separado de Mileva, casou-se com Elsa, sua prima. Neste ano, com a comprovação da teoria da relatividade, através de experimentos feitos, durante o eclipse solar, Einstein ganhou destaque no mundo todo.

O Prêmio Nobel de Física veio em 1921 por seus trabalhos sobre física quântica. Naquele ano, o cientista foi integrado aos quadros da Organização de Cooperação Intelectual da Liga das Nações. O estudo intitulado “Sobre a Teoria da Relatividade Especial e Geral” foi publicado no mesmo ano em que ganhou o Nobel de Física.

Presidiu a Universidade Hebraica de Jerusalém, no período de 1925 a 1928. Com a ascensão de Adolf Hitler, Einstein novamente renunciou a cidadania alemã, e deixou o país, em 1933. Mudou-se para os Estados Unidos, onde fez parte do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de Princeton. Tornou-se cidadão americano, em 1940, mas não abriu mão da cidadania suíça.

Einstein renunciou ao cargo de diretor, em 1945, sem deixar o trabalho na Universidade de Princeton. Aquela instituição iniciou, em 1941, o Projeto Manhattan, com o objetivo de criar a bomba atômica, mas Einstein não participou desse projeto.

Passou 25 anos da vida tentando concluir a Teoria Unitária do Campo, na qual pretendia abranger os fenômenos gravitacionais e magnéticos. Não conseguiu desenvolver tal teoria, nem provar sua inexistência.

Albert Einstein teve uma vida intelectual bastante produtiva. Em conjunto com Sigmund Freud, ele escreveu, em 1933, a obra “Por que a Guerra?”. Alguns anos mais tarde, foram publicadas outras duas obras: “O Mundo como Eu o Vejo” e “Meus Últimos Anos”, nas quais apresenta seus conhecimentos sobre o universo.

Einstein chegou a ser convidado para assumir a presidência do Estado de Israel, em 1952, pelo, então, primeiro-ministro Ben-Gurion. O cientista declinou do convite devido a problemas de saúde.

Antes de morrer, Einstein escreveu uma carta a Bertrand Russell, um dos maiores matemáticos do mundo, confirmando a decisão de incluir seu nome em todos os manifestos contra as armas nucleares. Aos 76 anos, Einstein faleceu, em Nova Jersey, no dia 18 de abril de 1955. O corpo foi cremado e seu legado eternizado como um dos maiores físicos do mundo.

Gostou desse resumo? Leia outros textos em nosso site! Bons estudos!