Berinjela


A berinjela é uma fruta originária do vegetal Solanum melongena, uma solanaceae de arbustos, que floresce de ano em ano e oriunda da Índia. Esse fruto é classificado como de fácil plantio nos trópicos, e faz parte da mesma linhagem do pimentão. É frágil a temperaturas baixas, geadas e a grande quantidade de chuvas no nível do florescimento. O período de plantio, no hemisfério norte, vai de Setembro a Fevereiro e, e, locais de clima mais quente, o plantio acontece o ano inteiro.

A nomenclatura “Berinjela” é originária de um termo persa badnjan, que vem de uma expressão árabe chamada de badinjanâ.

De acordo com uma parcela de historiadores, sua criação teve inicio como planta ornamental, aproximadamente há 4000 anos, na Índia, chegando à Europa por volta do século XIII por intermédio dos árabes vindo da Península Ibérica, que eram e ainda são excelentes admiradores desse fruto.

Berinjela

Há diversas espécies de berinjela, que são distinguidas pela sua coloração. As mais frequentes são a de cor vermelho-escuro ou roxo, mas pode ser encontrada também na cor branca, apesar de ser muito rara.

Apresenta uma polpa moldável e macia, e uma cutícula lisa e brilhante que a embala. No mercado português as espécies mais frequentes são a roxa, a grande, a híbrida, a híbrida super F-100 com uma coloração vermelho-escuro lustrosa e a embu de tom roxo avermelhado. Todos esses tipos de berinjela possuem uma haste verde.

Uso culinário

A berinjela pode ser utilizada na preparação de comidas como tortas, saladas, suflês, cuscuz, berinjelas recheadas, e várias outras maneiras de cozinhar. Também é muito usada para fazer lasanha.

A berinjela pode variar na sua forma de cozimento como, cozida, assada, frita ou grelhada e combinam muito bem com tomates, cebolas, pimentões e azeitonas, resultando em um excelente acompanhamento para carnes assadas ou grelhadas. Outra opção são porções de vinagrete com sabor específico.

Com esse fruto, ainda é possível fazer tortas com sabor característico e muito agradável.

Uso medicinal

A eficiência da berinjela na cura de hipercolesterolêmica e no monitoramento do colesterol é duvidosa. Uma pesquisa feita no Instituto de Biociências na UNESP de Botucatu/São Paulo revelou que a berinjela pode diminuir no máximo 30% dos índices de colesterol em coelhos. Porém, os mesmo efeitos não foram diagnosticados em outros animais de estudo. A gestão do fruto em ratos não causou diminuição nas taxas de colesterol.

Quando o mesmo estudo foi aplicado em humanos, foi constatado que em um pequeno número de pessoas houve uma redução expressiva no colesterol plasmático com o consumo do suco de berinjela, ao mesmo tempo outros pacientes não apontaram o mesmo resultado. Uma pesquisa médica do Instituto do Coração de São Paulo não comprovou os mesmos resultados. O trabalho divulgado atesta que a berinjela não deve ser considerada com suplente da estatina. A berinjela precisa de estudos superiores e indicações sobre os seus possíveis efeitos em humanos

O princípio ativo da berinjela encarregado da diminuição dos índices de colesterol, ainda não é conhecido, porém os cientistas desconfiam de um alcalóide que existe no fruto.

Por ser uma fruta cheia de vitaminas (A, B1, B2, B5, C), proteínas, alcalóides e minerais (fósforo, cálcio, potássio, ferro, magnésio), que funcionam reduzindo a pressão sanguínea, evitando a aterosclerose, os naturalistas aconselham a ingestão para evitar outros problemas relacionados ao fluxo sanguíneo.

Também aconselhável em situações de artrite, possuindo excelentes efeitos no reumatismo e na gota, tal como em inflamações de pele e diabetes.

Outro beneficio da berinjela ela relacionado com os seus nutrientes, digestão e seu poder laxante, muito recomendada em situações de desnutrição, prisão de ventre e indigestão. A ingestão do fruto também é recomendada para distúrbios do estômago e do fígado.

Para êxito nutricional, também pode ser utilizada dividida em pedaços com casca e posta em um recipiente com água na geladeira e consumir 200 ml três vezes ao dias em situações de crise de hipertensão e diabetes alta e , conforme for melhorando, diminuir as doses.

Sua utilização não deve ser feita frequentemente, para que não ocorram casos de hipoglicemia ou outros danos a saúde. O ideal é fazer o uso por 15 dias, descansar e retornar o consumo, se necessário, após os exames médicos. A berinjela não deve ser utilizada para perder peso, uma vez que se a pessoa não apresentar nenhum distúrbio de saúde citado anteriormente, pode ser prejudicial para a mesma, podendo ocasionar, também, baixa da hemoglobina, gerando anemia.

As melhores berinjelas para serem usadas são as de condição firme a casca luminosa. As sem brilho e moles já estão velhas e não apresentam mais suas propriedades nutricionais em totalidade.

A berinjela ainda pode ser comercializada em forma de pó como legume medicinal.