Cárie dentária e flúor


Ouvimos bastante a respeito de cárie dentária e flúor. De tempos em tempos costumamos visitar o dentista para verificar se há alguma cárie nos dentes e geralmente costumamos receber uma aplicação de flúor para deixá-los mais forte e resistente. Mas você saber qual é a verdadeira relação entre uma cárie dentária e o flúor? A seguir você vai aprender tudo sobre o assunto.

Cárie dentária e flúor

A cárie dentária

Há registros de cáries desde o começo da história humana. Está presente em praticamente todas as civilizações e foi encontrada em diversos restos mortais antigos. Na América, cerca de 95% da população sofre com a cárie, mesmo com hábitos tão conhecidos de higiene e cuidado. Ao longo dos anos, muitas pesquisas foram realizadas a respeito das causas da cárie, e hoje se sabe que diversos fatores podem contribuir com o problema.

A cárie dentária é conhecida como uma destruição dos dentes. É causada principalmente por bactérias que causam danos em todos os tecidos do dente, desde o esmalte podendo chegar até a raiz se não for tratada da forma correta e no tempo certo.

Mas como a cárie é formada? Ela nasce da união do ácido lático, produzido na boca principalmente em dietas muito ricas em carboidratos e açúcares, com a saliva e as bactérias que vivem naturalmente nela. Com a mudança do PH, o dente passa a perder cálcio e acaba se deteriorando.

Que a cárie dói, causa a destruição dos dentes e deixa aquela manchinha preta quase todo mundo sabe. Mas o que quase ninguém tem conhecimento é que as cáries são transmissíveis e infecciosas. Tudo começa com uma alimentação que contenha uma grande quantidade de açúcar e carboidratos. Ou seja, balas, doces, bolos, bolachas, sobremesas, pães, massas, arroz, entre outros alimentos.

Estes açúcares se transformam em ácido e alteram o PH da saliva, fazendo com que os dentes sejam atacados, perdendo o que tem de mais importante, o cálcio e outros minerais. O processo da cárie pode ser totalmente evitado ao consumir uma dieta mais balanceada e com higiene constante. O que causa a cárie de verdade é o acúmulo destes alimentos nos dentes por muito tempo, formando assim a chamada placa bacteriana.

É, portanto o acúmulo desta placa bacteriana que causa danos ao dente, correndo o dente rapidamente e formando uma cavidade escura, visível inclusive a olho nu. Mas as cáries não são todas iguais e se diferem entre si da seguinte forma:

  • depressão e fissura
  • superfície lisa
  • da raiz
  • na dentina profunda

O diagnóstico da cárie precisa ser feito sempre por um profissional de odontologia, que avaliará o paciente até descobrir o problema. Algumas vezes, a cárie se apresenta a olho nu, em outras é preciso realizar exames de raios-X e análise profunda até encontrá-las. Quanto antes forem encontradas e tratadas, melhor será para a saúde total do dente em questão.

Os primeiros sinais de lesões causados pela cárie são manchas brancas, ao contrário do que muitas pessoas pensam. Por isso, se verificar alterações na cor dos dentes consulte um dentista imediatamente. Em casos mais desenvolvidos a cárie pode apresentar cor escura, chegando a ficar totalmente preta em alguns casos, além de dor.

Além das manchas esbranquiçadas ou escuras nos dentes, podemos citar como sintomas de cáries:

  • dor na bochecha
  • dor em um ou mais dentes
  • dor em caso de contato com alimentos muito frios ou quentes

Cárie dentária e o flúor

O flúor é considerado como um dos maiores aliados na luta contra as cáries. Por isso há uma relação constante entre a cárie dentária e o flúor, que teve início no começo do século XX o problema era considerado uma questão de saúde pública. Neste período cientistas e profissionais descobriram que a aplicação de flúor era capaz de prevenir a doença, juntamente com hábitos de higiene dental diários, como escovar os dentes e utilizar fio dental no mínimo 3 vezes ao dia.

A partir da descoberta, diversos países do mundo, inclusive o Brasil, passaram a incluir o flúor como um tratamento comum das águas, o que acarretou em uma queda de até 50% dos casos de cáries encontrados em crianças com idades até 12 anos.

Mas o que é o flúor?

O flúor é um elemento extremamente comum na natureza, disponível no ar que respiramos, nas águas e no solo. Eletronegativo, tem imensa capacidade de reagir com diversos elementos formando compostos inorgânicos e orgânicos.

O primeiro pesquisador a descobrir as propriedades do flúor contra a cárie foi McKay, que ao analisar os dentes de crianças da cidade de Springs, no Colorado, percebeu que apesar de apresentarem manchas, a incidência de cárie na região era bem menor do que em outros lugares. Depois de analisar profundamente os hábitos alimentares destas crianças e as de outras regiões, percebeu que a única diferença era a fone da água onde bebiam. Ao analisar a água, encontrou maiores quantidades de flúor. O flúor em quantidades altas, acabava acarretando algumas manchas nos dentes, mas os deixavam menos propensos à sofrerem de cáries.

Por isso, nos dias de hoje, os países acrescentam pequenas quantidades de flúor no tratamento da água potável. Além disso, para prevenir as cáries, indica-se escovar os dentes no mínimo 3 vezes por dia, utilizar o fio de dental e visitar o dentista regularmente para efetuar limpezas e aplicação de flúor odontológico.