Reflexo patelar


Para começar a falar sobre Reflexo Patelar, vamos começar imaginando a seguinte situação: você está em sua casa costurando aquela blusa que você adora e que rasgou, por sinal. Quando de repente, não mais que de repente você encosta o seu dedo na agulha, espetando-o. Qual é a sua reação imediata? Sim, acertou. É tirar o dedo imediatamente a picada que você sentiu. Talvez depois você aperte um pouquinho a fim de tentar controlar a dor, mas a sua primeira reação é um reflexo, você faz por puro instinto.

Reflexo patelar

Outro grande exemplo para ilustrar essa situação acontece quando você encosta-se a uma panela quente. Imediatamente você retira suas mãos, pernas, braço, e o que mais estiverem contato com aquela superfície. É um ato involuntário do nosso corpo. Muitas vezes nem conseguimos raciocinar o que está acontecendo, mas já nos desfizemos daquilo que nos causou dor.

Essa resposta automática é chamada de reflexo. Reflexos nada mais são do uma ação do seu corpo aonde, a mensagem da dor chega ao seu cérebro bem depois da atitude pelo próprio corpo ter sido tomada. E porque isso acontece se o seu cérebro nem processou ainda? Simples, porque se trata de uma resposta medular do seu organismo, determinado por um estímulo.

Quando temos um reflexo medular, temos alguns elementos trabalhando para ele acontecer. São:

  • Receptores
  • Neurônio sensitivo
  • Neurônio associativo (que nem sempre estará presente, não sendo uma regra geral)
  • Neurônio motor
  • Sinapses
  • Órgão efetuador

Quando todos esses elementos que nós citamos acima se juntam, eles acabam formando o arco-reflexo. Quando, ao invés de encontrarmos todos eles, nos deparamos apenas com o neurônio motor, o nome passa a ser de arco-reflexo monossináptico, que tem esse nome devido à apresentação de apenas uma sinapse. Contudo, quando temos a presença de um ou mais neurônio de associação, cedemos o nome de reflexo polissináptico.

Parece simples, mas nem sempre acontece da forma como esperamos. Há alguns tipos de reflexo que envolve outra rota, completamente diferente dessa, e um pouco mais complicada. Vamos pega novamente o exemplo da agulha no dedo, sendo que três neurônios, para que essa resposta seja dada, foram acionados.

Primeiramente, quando a agulha tocou o dedo ela acionou o neurônio sensitivo, que se encarregou de levar a informação até a medula. Já quando ela chega ali, ele manda uma resposta para o neurônio motor, mas que também envia a sua mensagem o encéfalo, sempre através de outro neurônio. É notório então, que o encéfalo só agiu depois que a ação já foi tomada.

Esse ato de reflexo que possuímos é de extrema importância para a continuidade da espécie humana, sendo encontrada em outros animais.

Reflexo Patelar – O que é?

Patela é o nome correto para aquilo que conhecemos como rótula, aquele pequenininho osso que está disponível no nosso joelho. Quando a nossa perna está flexionada e suspensa, como acontece quando sentamos numa determinada altura e levamos uma pancada nela e ficamos com a perna suspensa no ar, colocamos a perna no modo mais protegido.

Isso porque o tendão que sofreu a pancada possui terminações dendríticas de neurônio sensorial que foram modificados a funcionarem como perfeitos receptores de pressão. Em alguns casos, essa modificação pode se transformar em receptores térmicos. Com isso, acabam por enviar impulsos para a região cinzenta do nosso cérebro, dentro da medula espinhal, onde estamos em constantes sinapses com neurônicos associativos e por consequência, os motores também. Esses últimos da lista levarão impulsos para os efetores, que aqui, nada mais são do que o músculo extensores da própria perna. Essa série de impulsos que tem como resultado o desencadeamento do ato reflexo tem o nome de arco reflexo.

Há algumas vezes em que o arco reflexo não tem qualquer neurônio associativo, fazendo com que o neurônio sensorial se comunique de forma direta com o motor. Alguns tipos de arco reflexo ainda existem de forma que o neurônio associativo presente na medula espinhal se comunique cm o encéfalo, sendo que dessa relação resulte nas respostas medular motora, permitindo dessa maneira a inibição do ato reflexo quando se percebe que o fator de estímulo não nos apresenta nenhum tipo de risco, como por exemplo, de tomarmos alguma injeção.

Qual a importância do exame reflexo patelar?

Essa é uma pergunta bastante frequente. Ocorre que, é uma das partes mais importantes e um exame clínico do neurologista, devido à informação que é colhida através da objetividade. São testados os vários reflexos presentes na musculatura corporal, e em teoria, qualquer reflexo muscular pode ser medido e testado. Dessa forma, numa consulta médica, serão testados:

  • Bíceps
  • Tríceps
  • Peitoral maior
  • Cúbito
  • Rádio-pronador
  • Flexor dos dedos
  • Adutores da coxa
  • Flexores da coxa
  • Quadríceps
  • Tríceps sural

Se por algum acaso o paciente não apresente o reflexo desejado, podendo ele ser muito elevado ou apresentado abaixo do esperado, pode indicar o uso de doença neurológica. Tais exames conseguem nortear o médico, dizendo se eles estão nos nervos/plexos/raízes ou se estão na medula.