E. coli


A E.Coli, abreviatura de Escherichia coli, é uma das bactérias mais conhecidas. Apesar de não parecer, ela vive naturalmente dentro do organismo de diversos animais de sangue quente, incluindo nós, seres humanos. Ao mesmo tempo, quando está presente fora do corpo humano ou de animais, indica a contaminação e pode inclusive causar doenças graves. Em muitos lugares, uma das formas de averiguar a qualidade da água e se há tratamento de esgoto adequado, é analisando a água de rios e lagos.

E. Coli

A seguir, conheça tudo a respeito desta bactéria, quais são suas características e quando e porque é capaz de causar danos à nossa saúde.

Características da E.Coli

A E.Coli é uma bactéria em forma de bacilo presente normalmente no trato gastrointestinal de diversos tipos de animais. Ela possui diversas estirpes e cada uma delas possui características diferentes. Algumas destas bactérias são totalmente inofensivas à saúde dos seres humanos, enquanto outras podem causar intoxicações e problemas graves de saúde.

Trata-se de um incrível ser, já que é capaz de produzir por si só, praticamente todos os componentes que a compõe. A E.Coli corresponde a 0,1% de toda a flora intestinal de nosso corpo e ajuda na digestão de alimentos. Ou seja, apesar de ser capaz de causar danos é de extrema importância para o bom funcionamento no organismo.

A bactéria E.Coli é o que os cientistas chamam de lactase positiva, ou seja, é capaz de fermentar os açúcares presentes no leite e seus derivados. Por este motivo, em algumas pessoas, causa flatulência em excesso e desconforto intestinal.

Para não serem eliminadas pela urina ou fezes, estas bactérias possuem um sistema de adesinas ou fímbrias, que mantém sua fixação nas paredes. Este tipo de bactéria precisa estar sempre em ambientes úmidos e não resistem muito tempo quando estão secos.

Apesar de muito pequena, esta bactéria, assim como todas as outras, são seres muito interessantes e cheios de particularidades. Biólogos e estudiosos do mundo todo, especializados em biologia molecular, microbiologia industrial e bioengenharia debruçam-se a fim de descobrir tudo que é possível a respeito dela.

Além disso, é também de extrema importância para área de engenharia genética, com intuito principal de produção de proteínas recombinantes.

Para termos uma ideia do quanto estas bactérias são interessantes vamos a uma comparação com nosso próprio corpo. Os seres humanos possuem cerca de 3 bilhões de pares de bases em sua composição, capazes de codificar cerca de 27 mil proteínas. A E.Coli consegue codificar mais de 4 mil proteínas e possui um total de 5 bilhões de pares de bases.

Como já dissemos, a E.Coli possui diversas estirpes, que normalmente são classificadas a partir dos sintomas que causam nos seres humanos quando são patogênicas. Seu nome foi dado em 1919, mas a bactéria foi descoberta em 1885, pelo médico austríaco Theodor Escherich.

A E.Coli e a saúde humana

A presença de algumas espécies de E.Coli na água ou até em alimentos, é uma das causas da intoxicação alimentar em seres humanos. Como é uma bactéria que vive em nosso trato gastrointestinal, significa que pode haver indícios de contaminação por fezes humanas ou de outros animais.

Além da água e de alimentos, as principais formas de contrair problemas de saúde relacionados à Escherichia Coli são:

  • Consumo de Carne mal cozida;
  • Contato direto com animais contaminados;
  • Consumo de Legumes, frutas ou vegetais que foram lavados em água contaminada;
  • Nadar ou brincar em água contaminada e não tratada;
  • Contato com esgoto não tratado;
  • Consumo de queijos ou leite que não foram pasteurizados;

Além de ser uma das principais causas de intoxicação alimentar, a E.Coli também causa outros tipos de doenças mais graves, algumas delas podem inclusive levar à morte se não tratadas a tempo. São elas:

  • Septicemia
  • Apendicite
  • Meningite
  • Infecção do trato urinário
  • Peritonite

Cada uma das doenças listadas acima possui seus sintomas específicos e na desconfiança de contaminação deve-se procurar um médico o mais breve possível.

O diagnóstico destas doenças é feito através de amostras dos líquidos ou produtos infectados. Quando a contaminação não é muito grande, o tratamento é feito através de repouso, dieta e algo consumo de líquidos. Mas também podem ser utilizados medicamentos e antibióticos.

Muitas das estirpes da Escherichia coli já estão resistentes a alguns antibióticos e por isso, é preciso sempre buscar ajuda médica para verificar qual é o tipo mais indicado para cada caso.

Como é possível verificar, na maioria das vezes, é possível evitar o contágio e a contaminação por E.Coli. Basta que aja higiene, limpeza e que as pessoas sempre lavem muito bem as mãos com água e sabão depois de ir ao banheiro.

Além disso, é preciso tratar sempre água e esgoto da forma correta, tomar cuidados na produção de alimentos, utilizar água limpa e tratada para a lavagem de alimentos e cozinhar muito bem carnes de todos os tipos.