Gado Limousin


A Gado Limousin é uma raça de bovinos que teve origem no sudoeste da França. O primeiro touro dessa raça chegou no Brasil, provavelmente, na década de 1870, nos tempos do Império, quando um engenheiro francês presenteou um pecuarista de Minas Gerais com o um touro e uma vaca. Depois disso, ao longo dos anos a espécie de gado foi sendo importada aos poucos para o país e utilizada em cruzamentos, principalmente, nos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.
gado-limousin

Tratando-se de um “melhoramento” da raça Garoneza, o Gado Limousin no século XIX era muito utilizado para tração animal, até que a raça foi aperfeiçoada novamente nessa época. A pelagem típica desse gado é de cor amarelada, e uma das principais características da raça é o corpo maior em comparação às outras raças bovinas. Isso acontece porque, quando foram feitos os cruzamentos para melhorar a espécie, optou-se por um corpo maior para que o Gado Limousin fosse eficiente tanto para o trabalhado, quanto para produzir carne.

De forma geral o Limousin é uma raça que agrada muito os criadores de gado, haja vista que estão na liderança em relação ao índice de crescimento dos bovinos, da mesma forma que estão entre as espécies com maior facilidade de reprodução. Além de os bezerros Limousin nascerem facilmente, outro benefício é que esses filhotes já nascem prontos para ir para o pasto para crescerem e serem amamentados pela fêmea. Dessa forma, o gado dessa raça está entre os mais vantajosos para os criadores brasileiros.

Quer saber mais sobre o Gado Limousin? Confira nesse artigo todas as informações e dicas que temos para você!

Veja abaixo:

• Gado Limousin: quais são as características dessa raça?

De forma geral são animais de médio porte, de pelagem amarelada e com um tamanho de corpo maior em relação às outras raças de bovinos. Os pelos, por sua vez, são finos e curtos e, nas áreas próximas aos olhos, a cor é rosada. Devido à qualidade da carne produzida pelo gado Limousin, esses animais são criados e foram melhorados, a partir de diversos cruzamentos, para a indústria da carne. O rebanho dessa espécie é interessante aos criadores, principalmente, porque crescem e se desenvolvem muito rápido.

As fêmeas Limousin têm mais facilidade no parto em comparação às fêmeas de outras raças bovinas, além de os bezerros já nascerem mais desenvolvidos do que os bezerros de outras espécies. Para se ter ideia, é possível fazer a coleta de sêmen do macho Limousin com apenas 16 meses de idade, o que contribui muito para que a raça seja uma das mais bem vistas pelos criadores. Já as fêmeas podem receber o sêmen com apenas 15 meses de vida, o que é ideal para ter o aumento da produtividade.

Entre os problemas comportamentais identificados nesse tipo de gado, porém, estão o temperamento estressado e o defeito de aprumo, além de problemas de doenças como escoliose e cifose. Líder na produção industrial de carne vermelha para venda, essa raça de bovinos também apresenta animais que vivem mais em relação à diversas outras espécies de gado, sendo a fêmea Limousin capaz de reproduzir até os seis anos de idade.

• “O gado dos açougueiros”

Devido à excelente qualidade da carne do gado Limousin essa raça tornou-se conhecida, em 1985, como “o gado dos açougueiros”. Segundo a história dos Limousins, os primeiros melhoramentos por seleção natural ocorreram entre as décadas de 1850 e 1890, o que, inclusive, rendeu a Charles de Leobary e Royer mais de 200 prêmios pela qualidade da carne desse gado. Nos anos seguintes, vários cruzamentos foram feitos e o gado evoluiu em termos de peso, embora não tenha evoluído em altura.

No ano de 1914, mais de 5 mil bovinos Limousins já estavam registrados oficialmente e, de lá para cá, a raça ampliou-se ainda mais no Brasil e em outros países. Na década de 1930, a raça passou a ser considerada uma das duas melhores do mundo, ao lado do gado Blond, o que fez com que muitos criadores investissem no cruzamento entre essas duas espécies, já que o objetivo era melhorar ainda mais o rendimento e a qualidade da carne do gado Limousin, que foi assim nomeado, mesmo tendo sido misturado com Blond.
No início da década de 1970, foi criado o Conselho Internacional Limousin (CIL), que agrega mais de 60 países. Nos Estados Unidos, a raça chegou por volta da década de 1960 e, hoje, representa cerca de um quinto dos nascimentos por inseminação artificial. No Canadá, esse número é de cerca de 18%. No Brasil, “o gado dos açougueiros” é uma das raças preferidas dos grandes criadores, já que um macho Limousin pode ser abatido com apenas 15 meses, haja vista que ele já pesa entre 400 e 500 kg.

Esse artigo sobre a raça Limousin foi útil para você? Deixe um comentário!