Glicocálix


Quando estamos na escola, muitas vezes nos deparamos com temas estranhos; nem sempre sabemos o real significado de uma palavra assim que a ouvimos pela primeira vez. E estamos acostumados a pensar que isso só acontece nas aulas de química ou Língua Portuguesa, mas nem sempre é assim. Em qualquer matéria, existem termos peculiares que precisam ser explicados e entendidos antes que se siga adiante na matéria, porque entender cada um deles é fundamental para um real aproveitamento do aprendizado.

Glicocálix

Mas e na aula de biologia? Essa ciência fascinante que estuda os seres vivos também tem suas particularidades, onde entender certos termos ajuda a compreender melhor alguns mecanismos da natureza e das células, por exemplo. Quer ver só como funciona? Você já ouviu falar de glicocálix? Se você nem imagina o que essa palavra significa, já vamos adiantando que se trata de um componente das células animais. E ainda mais: é uma estrutura de suma importância para o correto funcionamento do organismo desses seres.

Mas afinal, para que serve o glicocálix?

Para entender melhor, vamos pensar que todas as células do organismo animal são envoltas por uma camada de carboidratos, que é ligada a lipídios e proteínas. A essa camada, damos o nome de glicocálix.

Vamos relembrar, para ajudar na compreensão do glicocálix, do Complexo de Golgi. Este complexo se origina a partir de invaginações da membrana plasmática, e o nome deriva-se da própria estrutura, que, por ser composta de vários tubos e dutos interligados, compõe um verdadeiro complexo, e Camilo Golgi foi o descobridor dessa estrutura. Resumidamente, é nele que são distribuídos os nutrientes para as diversas partes da célula. E é exatamente a partir dessa estrutura que surge o glicocálix de uma célula, também chamado de glicocálice.

Além das glicoproteínas e glicolipídios, há os glicosaminoglicanos e outros componentes menos usuais. Esses são secretados pela membrana plasmática, para só depois serem aderidos a partir de processos no interior da célula. E o glicocálix atua em diversos destes processos importantes para a célula e, consequentemente, essenciais para o organismo num âmbito geral. Continue lendo para conhecer mais sobre as funções do glicocálix no interior de uma célula animal.

Funções do glicocálix

Dentre as principais funções do glicocálix para o funcionamento da célula, podemos citar:

• Cada tipo de célula apresenta também um tipo específico de glicocálix. E essa característica é facilmente reconhecida entre as células. Quando uma célula encontra outra que contém o mesmo tipo de glicocálix que ela, a tendência é que elas se unam em busca de um objetivo: formar tecidos. O inverso ocorre quando duas células com glicocálix diferente se encontram: elas se repelem. A diferença encontra-se basicamente nas moléculas de carboidrato dessa estrutura.

• Essa estrutura apresenta um aglomerado de enzimas e nutrientes que circundam a célula, formando uma espécie de barreira de proteção contra agentes químicos ou mesmo físicos do meio ambiente. Dessa forma, fica mais difícil que qualquer corpo estranho penetre na célula e atue sobre a sua estrutura.

• Da mesma forma que protege a célula da entrada de substâncias indesejáveis, ele também serve para permear a entrada de nutrientes essenciais para a manutenção da saúde da célula.

• Esses nutrientes que entram na célula muitas vezes precisam ser processados. Um bom exemplo disso é a lactose que, através de um processo que ocorre pelo glicocálix e é conhecido como lactase, é degradada e catalisada no interior da célula.

• Assim que um vírus entra em contato com célula, é este componente que facilita e possibilita o seu imediato reconhecimento. Qualquer agente dessa natureza pode ser rapidamente identificado por esse componente.

• É graças a ele também que a célula pode apresentar uma consistência viscosa. É essa condição que facilita seu deslocamento.

• Além do deslocamento, o glicocálix também tem a importante função de facilitar a reprodução da célula. A junção de um óvulo com um espermatozoide que dará origem a uma nova vida começa através dessa camada.

• Algumas células cancerígenas se reproduzem por meio da mitose que, quando apresenta problemas, desencadeia o crescimento desordenado destas células, de onde resultam tumores e neoplasias. É o glicocálix que emite sinais químicos capazes de interromper este processo. Caso essa característica seja perdida, existem grandes possibilidades de que tumores se formem e cresçam mais facilmente, sem encontrar barreiras orgânicas naturais para impedi-los.

• Ele é capaz de definir um ambiente especial para a sobrevivência da célula. Este lugar apresenta força iônica, PH e carga elétrica próprios.

Como pudemos ver, a presença do glicocálix é essencial, até mesmo para a preservação da saúde do organismo. Sem ele, a entrada de vírus seria muito mais fácil, pois não haveria nas células um agente causador de repulsão (tanto os vírus quanto o glicocálix têm carga negativa, por isso se repelem) e o crescimento de células cancerígenas se tornaria algo comum em muitos organismos.