Resumo sobre a Ciência


A ciência está presente em nosso cotidiano, nos mais diferenciados modos. O termo está nas principais notícias do dia, na lousa dos professores e até mesmo em nossas séries, filmes ou obras preferidas. Mas afinal, o que é ciência?

Resumo sobre a Ciência

Resumo sobre a ciência

Muito provavelmente, só ao ouvir a palavra ciência você já deve associá-la a um cientista de jaleco branco, óculos redondos e dentro de um laboratório. E se é isso que você está pensando, sentimos lhe informar que você está errado.

Ciência é uma palavra que surge como derivada de uma expressão latina: ‘scientia’. Esta, por sua vez, significa saber ou conhecimento.

A ciência é designada, de modo resumido, como o aprendizado que obtemos por meio de estudos (sejam eles teóricos ou práticos).

Além disso, a ciência deve comportar diferentes conjuntos de conhecimentos. É com base neles que teorias e métodos científicos são elaborados.

Outro aspecto fundamental na ciência é a aplicação de uma determinada metodologia. Juízos de valor e pré-conceitos não devem ser considerados.

A ciência como conhecemos hoje foi assim designada só no século XX e é denominada ‘construtivista’. Neste sentido, sua definição envolve um conjunto de aprendizados desenvolvidos a partir de observação, reflexão e experimentação. Seus elementos, por sua vez, podem ser tanto empiristas como racionalistas.

O pai deste modelo de ciência (a ciência moderna) é Galileu Galilei, que deste sempre, lutou pelo direito de novos conhecimentos e saberes.

A ciência está em constante atualização e modificação. Elas podem ser criadas (como quando algum grupo de conhecimentos entra em jogo), podem ser alteradas, aperfeiçoadas ou até mesmo abandonadas (caso não haja comprovação da existência de algo).

Diferentemente do que o senso comum atribui ao termo, a ciência não é algo exclusivo de professores, pesquisadores ou cientistas. A ciência pertence a todos nós, uma vez que o termo reflete em nossa capacidade de reflexão e relação com o mundo ao nosso redor.

Quando o homem se organiza, reflete, estuda, observa e experimenta, ele também se torna um construtor (e possivelmente, transmissor) de conhecimentos. Sendo assim, a ciência que é desenvolvida dentro de laboratórios, por físicos ou matemáticos, é apenas uma entre uma grande variedade de formas de se fazê-la.

A construção de conhecimentos, deste modo, é algo que demanda reflexão, pesquisas, experimentação, observação e é claro, validação de teorias.

E essas teorias podem compor inúmeros segmentos do conhecer. Elas estão presentes na física, na arqueologia, na comunicação, na matemática, na biologia, na medicina, na tecnologia, na linguística e assim por diante.

Nenhuma teoria é eterna. Por isso, elas podem (e preferencialmente, devem) ser examinadas, contestadas, legitimadas, experimentadas e possivelmente, até mesmo substituídas.

A ciência pode ser dividida dos seguintes modos:

• Com base nos objetos de estudo;

• Com base nos objetivos (gerais e específicos) do estudo;

• Com base na precisão necessária para comprovação de sua teoria;

• Com base na área ou segmento específico do estudo;

• Com base nos métodos que serão aplicados no estudo (ou seja, a famosa metodologia).

Cabe aqui destacar que a ciência não é (e não deve ser considerada) a “dona da verdade”, uma vez que está em constante adaptação.
Uma grande teoria pode ser quebrada em questão de instantes, só pelo surgimento de uma evidência que possa lhe invalidar.
Por isso, a ciência não é inquestionável e nem mesmo absoluta. Para realizar a constatação da realidade, ela tem como base o uso de hipóteses.

Diferentes tipos de ciência

A ciência pode se manifestar das mais diferenciadas formas. Seus dois grandes grupos são:

1. Ciências exatas: as ciências exatas trabalham especialmente com constatações baseadas em termos quantitativos. Alguns representantes das ciências exatas são: física, matemática, astronomia, engenharia, biologia, química, física e outros;

2. Ciências humanas: já o grupo das ciências humanas trabalha com verificações, teorias e suposições diretamente associadas ao humano. Seus grandes representantes são: direito, comunicação, antropologia, economia social, história, sociologia, filosofia, psicologia, política social e outros.

Os tipos de ciência ainda podem ser divididos da seguinte maneira:

Ciências sociais

As ciências sociais são voltadas para os estudos das relações e comportamentos humanos na convivência em sociedade.
As principais áreas das ciências sociais são: psicologia, filosofia, direito social, história, antropologia, psicologia, direito e outras.

• Ciência e tecnologia

A ciência tem forte ligação com a tecnologia, até porque os avanços tecnológicos têm se tornado fundamentais para o alcance de resultados expressivos nas mais diferentes áreas das ciências humanas ou exatas.

• Ciências naturais

As ciências naturais são as responsáveis pela ordenação, descrição e comparação de fenômenos naturais do nosso planeta. De modo mais amplo, essa ciência tem grande ligação com a Natureza e também com os processos que nela ocorrem.

As áreas mais representativas das ciências naturais são geografia, biologia, paleontologia, oceanografia, cristalografia e outras. Deste modo, dentro das ciências naturais se encaixam os estudos da Biologia, da Medicina e da Geologia.