Resumo sobre Flores


Elas não são só bonitas: Entenda as funções, características e famílias das flores

Normalmente, sinônimos de beleza e cores, as flores fazem parte dos itens naturais mais admirados tanto por mulheres, assim como também por homens. Mas, a verdade é que, apesar da associação com a beleza e alegria, encontradas nas flores mais comuns, existem algumas espécies que são muito mais discretas, com a cor verde sendo mantida em toda a sua extensão, dando uma aparência discreta e que pouco lembra as flores com as quais estamos mais acostumados.

A formação de uma flor

Flores

Entendendo melhor as flores

*Produção de Sementes (Função)
*Sépalas protegem o botão
*Pétalas servem para atrair insetos
*Estigma é quando a flor recebe o pólen e começa também a produzir
*Insetos contribuem neste processo
*O vento também pode atuar ajudando as sementes a se espalharem

Apesar das flores serem itens de extrema beleza, contribuindo com a aparência dos campos, casas e outros tipos de ambiente. Na natureza, elas têm a função de produzir sementes da espécie vegetal a que pertence.

No caso das flores com uma constituição mais simples, o comum é que ela seja constituída por sépalas e pétalas. Apesar de pouco faladas, as sépalas têm uma função extremamente importante no desenvolvimento das flores, já que elas atuam na proteção da flor quando ela ainda é um botão.

Enquanto isso, as mais conhecidas pétalas servem como um atrativo para insetos, que têm a função de trazer o pólen de outra flor do mesmo tipo. Esse tipo de operação é chamado de estigma e depois dessa fase, o pólen segue de maneira granulada pelo estilete até o ovário. Para que exista realmente a formação de sementes, os óvulos precisam ser fertilizados por meio do toque de pequenos tubos existentes nas flores.

Depois dessa fase, as flores começam a produzir pólen na ponta de suas antenas. Como já citamos anteriormente, o processo é viabilizado com o auxílio de abelhas, moscas, mariposas e outros insetos ou, até mesmo, pelo vento.

Famílias das Flores

Conheça as famílias das flores

*Rosácea é a família da rosa
*Umbelífera é a família das flores que têm formato de guarda-chuva
*Ranunculácea é a família do botão de ouro
*Leguminosa é a família da ervilha e feijão

Você pode até não saber, mas as flores têm diversas espécies e, também, as suas chamadas famílias, de nomes complicados e diferenciações possíveis normalmente apenas para os especialistas ou muito apaixonados pelo universo das flores.

Entre elas, estão as rosáceas, que, como o próprio nome entrega, é a família das famosas rosas. Também temos as umbelíferas, que têm a aparência semelhante ao de um guarda-chuva. Além delas, também podemos destacar a família de espécies como o botão de ouro, que são as ranunculáceas e, também, as leguminosas, que são a família responsável por produzir sementes como ervilha e feijão, por exemplo.

Como Plantar em Casa

Saiba antes de plantar

*É preciso saber quais espécies se adéquam ao seu ambiente
*Busque o aconselhamento de um profissional
*Saiba quais são as necessidades de rega e poda, entre outros cuidados
*Procure flores adequadas para a sua região
*Entenda o processo de crescimento e desabrochar
*Dedique tempo e cuidado no cultivo

Não é segredo para ninguém, que as flores são um recurso natural de decoração em qualquer tipo de ambiente ou ocasião. E é claro que elas também dão um toque especial a qualquer jardim, canteiro, ou vaso, entre outros itens.

Mas saiba que, apesar de relativamente simples, plantar flores e cultivá-las em casa são atividades que precisam de cuidado e atenção, pois esse “enfeite natural” exige um procedimento correto, tanto de plantio, como também de cultivo. O seu crescimento, força e a sua beleza estão diretamente ligados a regiões como clima, exposição ao sol, adubação, poda e rega, para citar alguns exemplos.

O ideal é que, se você não tiver experiência, peça a consulta de um jardineiro ou qualquer outra pessoa que possa reconhecer melhor quais as alternativas para solucionar o seu desejo e as condições do local de cultivo. É preciso saber que algumas espécies simplesmente podem não se adequar ao local em que você quer plantá-las, principalmente por condições climáticas. Porém, existe uma infinidade incrível de flores para todo o tipo de clima, local e terra.

Por isso, antes de escolher a sua flor preferida para plantar, identifique quais recursos você possui e como você pode adequar questões como luminosidade e temperatura, por exemplo.

Uma vez plantadas, não esqueça que as flores têm um período correto para desabrochar e não tente acelerar o que não é possível, mas trabalhe para que esse momento chegue da maneira mais saudável para a sua planta.

É fundamental também não se esquecer de que os cuidados vão muito além do momento do plantio e que é preciso estar atento a possíveis pragas e doenças.